Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sócio do Clube de Cinema de Porto Alegre, frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 98 certificados) e ministrante do curso Christopher Nolan - A Representação da Realidade. Já fui colaborador de sites como A Hora do Cinema, Cinema Sem Frescura, Cinema e Movimento e Cinesofia. Sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para marcelojs1@outlook.com ou beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

terça-feira, 27 de outubro de 2009

Cine Clássicos: Especial Mês das Bruxas: DRÁCULA: DE BRAN STOKAR

Francis Ford Coppola criou a versão definitiva do clássico vampiro

sinopse:
No século XV, um líder e guerreiro dos Cárpatos renega a Igreja quando esta se recusa a enterrar em solo sagrado a mulher que amava, pois ela se matou acreditando que ele estava morto. Assim, perambula através dos séculos como um morto-vivo e, ao contratar um advogado, descobre que a noiva deste a reencarnação da sua amada. Deste modo, o deixa preso com suas "noivas" e vai para a Londres da Inglaterra vitoriana, no intuito de encontrar a mulher que sempre amou através dos séculos.

Espetaculo visualmente impecavel, utilizando técnicas de sobreposição de imagens e com prólogo arrebatador, ambientado no século XV. Embora fiel ao romance de Stoker, o roteiro de Kim Hart (Hook) trata superficialmente as relações entre os personagens. Oldman da um banho de interpretação no papel titulo, mas Winona e Reeves são escolhas um tanto que incorretas. Oscar de maquiagem, edição e efeitos sonoros.   


Curiosidades
O roteiro de Drácula de Bram Stoker chegou às mãos de Winona Ryder quando a intenção ainda era fazer um filme para a TV americana, que seria dirigido por Michael Apted (007 – O Mundo Não É o Bastante). Ryder então presentou o roteiro a Francis Ford Coppola, com quem não falava já há 6 meses, desde o início das filmagens de O Poderoso Chefão III. Coppola leu a história, se interessou pelo projeto e assumiu a direção do filme, com Michael Apted passando a ser um dos produtores executivos do projeto e ocorrendo a decisão de lançálo nos cinemas e não mais na TV americana.
O grito do Príncipe Vlad após ele cortar a cruz com sua espada não é de Gary Oldman. Nesta cena em especial a voz de Oldman foi dublada pela de Lux Interior, vocalista da banda punk The Cramps.

Um comentário:

Unknown disse...

Te vi no orkut da Bruna, e fui ver teu perfil, vi lá o link pro teu blog, e achei um máximo!!!!
Sou fanática por filmes, e de terror então, são os meus preferidos....
Muito bacana o teu blog, parabéns!!!!