Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sócio do Clube de Cinema de Porto Alegre, frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 97 certificados) e ministrante do curso Christopher Nolan - A Representação da Realidade. Já fui colaborador de sites como A Hora do Cinema, Cinema Sem Frescura e Cinema e Movimento. Atualmente sou colaborador do site Cinesofia. Sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para marcelojs1@outlook.com ou beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

terça-feira, 10 de dezembro de 2019

Cine Dica: Cine Dica: Em Blu-Ray - DVD – VOD: 'História de um Casamento' - Drama e comédia na medida certa

Sinopse: Nicole (Scarlett Johansson) e seu marido Charlie (Adam Driver) estão passando por muitos problemas e decidem se divorciar.  

O clássico "Kramer versus Kramer" (1979) foi lançado em uma época em que a separação de casais ainda era vista como tabu para a maioria da sociedade norte americana. Vários anos depois, o divórcio entre as partes se tornou comum, pois uma coisa é haver a separação, mas não significa que não tivesse havido a paixão. "História de um Casamento" vem para lançar uma nova luz sobre as separações dos tempos atuais, pois embora tenham se tornado comuns, não significa que não venha a doer
Dirigido por Noah Baumbach, do filme "Frances Ha" (2012), o filme conta a história de Nicole (Scarlett Johansson) e seu marido Charlie (Adam Driver) estão passando por muitos problemas e decidem se divorciar. Os dois concordam em não contratar advogados para tratar do divórcio, mas Nicole muda de ideia após receber a indicação de Nora Fanshaw (Laura Dern), especialista no assunto. Surpreso com a decisão da agora ex-esposa, Charlie precisa encontrar um advogado para tratar da custódia do filho deles, o pequeno Henry (Azhy Robertson).
Noah Baumbach não procura vilanizar nenhuma das partes da trama, mas sim humaniza-los e para assim facilmente nos identificarmos com eles. Aliás, a abertura é primorosa, pois testemunhamos os pensamentos de ambas partes com relação um ao outro e assim fazendo com que simpatizamos com eles facilmente. É após essa apresentação que o filme adentra em redemoinho de fortes emoções.
Emoções essas que sentimos através dos desabafos dos dois protagonistas, principalmente pelas palavras iniciais Nicole e cuja a interpretação de Scarlett Johansson nos enfeitiça facilmente. Conhecida pelo grande público atual por interpretar por anos a personagem da Viúva Negra, Johansson nunca escondeu sua predileção por papeis mais desafiadores, pois basta nos lembrarmos de suas primeiras atuações como, por exemplo, "Encontros e Desencontros" (2003). Mas se por um lado em "Vingadores - Ultimato" ela havia provado que poderia ir ainda mais longe em momentos dramáticos, do outro, aqui ela finalmente nos brinda com uma atuação verdadeiramente digna de nota e se tornando uma forte candidata para as próximas premiações que antecedem ao Oscar.
Mas o filme ganha um charme ainda maior graças a sua galeria de personagens coadjuvantes, principalmente vindo dos advogados que trabalham no caso da separação de ambas as partes. Se por um lado os advogados de Charlie, interpretados respectivamente por Ray Liotta e Alan Alda, chamam atenção pelos seus lados sarcásticos, Laura Dern, por sua vez, coloca o filme no seu bolso ao interpretar advogada de Nicole e cuja a sua personagem é sobrecarregada por uma grande sinceridade. Atenção para a cena em que ela levanta uma teoria sobre o papel da Virgem Maria e que fará o mais puro conservador cair da cadeira.
Mas convenhamos, do segundo ao terceiro ato em diante o filme acaba pertencendo ao Adam Drive. Ao ter cometido um erro no passado, o seu personagem acaba adentrando em redemoinho de fortes emoções que fazem a gente sentir a maior pena dele do começo ao fim. Adam Drive, novamente, nos brinda com uma grande atuação de sua carreira e cuja a sua atuação se sobressai até mesmo perante os veteranos em cena.
Porém, a alma do filme se encontra na derradeira cena em que o casal central coloca tudo pra fora.  É nesse momento, aliás, que Noah Baumbach se sobressai ao dirigir os dois interpretes em cena e cujo momento remete até mesmo ao clássico "Cenas de um Casamento" (1973) do mestre Ingmar Bergman. Duelo verbal de ambas as partes é forte, realista, humano e que fará muitos caírem nas lagrimas.
"História de um Casamento" é sobre os relacionamentos atuais em frangalhos, mas cujo amor que existia no passado jamais será esquecido. 

Onde assistir: Netflix. 

Joga no Google e me acha aqui:  
Me sigam no Facebook,  twitter, Linkedlin e Instagram.  

Cine Dica: Indicados ao Globo de Ouro 2020

Começa a temporada de prêmiações do cinema e só há peso pesados na lista dos indicados ao Glogo de Ouro 2020. Confira.  

MELHOR FILME DE DRAMA
O Irlandês
História de um Casamento (Marriage Story)
1917
Coringa
Dois Papas

MELHOR FILME DE MUSICAL OU COMÉDIA
Entre Facas e Segredos
JoJo Rabbit
Dolemite é Meu Nome
Era Uma Vez em... Hollywood
Rocketman

MELHOR ATRIZ EM FILME DE DRAMA
Cynthia Erivo - Harriet
Scarlett Johansson - História de um Casamento (Marriage Story)
Saoirse Ronan - Adoráveis Mulheres
Charlize Theron - O Escândalo
Renée Zellweger - Judy

MELHOR ATOR EM FILME DE DRAMA
Christian Bale - Ford vs Ferrari
Antonio Banderas - Dor e Glória
Adam Driver - História de um Casamento (Marriage Story)
Joaquin Phoenix - Coringa
Jonathan Pryce - Dois Papas

MELHOR ATRIZ EM FILME MUSICAL OU COMÉDIA
Awkwafina - The Farewell
Ana de Armas - Entre Facas e Segredos
Cate Blanchett - Cadê Você, Bernadette?
Beanie Feldstein - Fora de Série
Emma Thompson - Late Night

MELHOR ATOR EM FILME MUSICAL OU COMÉDIA
Daniel Craig - Entre Facas e Segredos
Roman Griffin Davis - Jojo Rabbit
Leonardo DiCaprio - Era Uma Vez em... Hollywood
Taron Egerton - Rocketman
Eddie Murphy - Dolemite é Meu Nome

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE
Kathy Bates - Richard Jewell
Annette Bening - The Report
Laura Dern - História de um Casamento (Marriage Story)
Jennifer Lopez - As Golpistas
Margot Robbie - O Escândalo

MELHOR ATOR COADJUVANTE
Tom Hanks - Um Lindo Dia na Vizinhança
Anthony Hopkins - Dois Papas
Al Pacino - O Irlandês
Joe Pesci - O Irlandês
Brad Pitt - Era Uma Vez em... Hollywood

MELHOR DIREÇÃO
Bong Joon-ho - Parasita
Sam Mendes - 1917
Todd Phillips - Coringa
Martin Scorsese - O Irlandês
Quentin Tarantino - Era Uma Vez em... Hollywood

MELHOR ROTEIRO
Noah Baumbach - História de um Casamento (Marriage Story)
Bong Joon-ho e Han Jin-won - Parasita
Anthony McCarten - Dois Papas
Quentin Tarantino - Era uma Vez em... Hollywood
Steven Zaillian - O Irlandês

MELHOR FILME ANIMADO
Frozen 2
Como Treinar seu Dragão 3
O Rei Leão
Link Perdido
Toy Story 4

MELHOR FILME EM LÍNGUA ESTRANGEIRA
The Farewell
Os Miseráveis
Dor e Glória
Parasita
Retrato de Uma Jovem em Chamas

MELHOR TRILHA SONORA ORIGINAL
Adoráveis Mulheres
Coringa
História de um Casamento (Marriage Story)
1917
Brooklyn - Sem Pai Nem Mãe

MELHOR CANÇÃO ORIGINAL
"Beautiful Ghosts" (Cats)
"I'm Gonna Love Me Again" (Rocketman)
"Into the Unknown" (Frozen 2)
"Spirit" (O Rei Leão)
"Stand Up" (Harriet)

MELHOR SÉRIE DE DRAMA
Big Little Lies - (HBO)
The Crown - (Netflix)
Killing Eve - (BBC America)
The Morning Show - (Apple TV Plus)
Succession - (HBO)

MELHOR SÉRIE DE COMÉDIA OU MUSICAL
Barry - (HBO)
Fleabag - (Prime Video)
The Kominsky Method - (Netflix)
The Marvelous Mrs. Maisel - (Prime Video)
The Politician - (Netflix)

MELHOR MINISSÉRIE OU FILME PARA TV
Catch 22
Chernobyl
Fosse/Verdon
The Loudest Voice
Inacreditável

MELHOR ATRIZ EM MINISSÉRIE OU FILME PARA TV
Michelle Williams - Fosse/Verdon
Helen Mirren - Catherine the Great
Merritt Wever - Inacreditável
Kaitlyn Dever - Inacreditável
Joey King - The Act

MELHOR ATOR EM MINISSÉRIE OU FILME PARA TV
Christopher Abbott - Catch-22
Sacha Baron Cohen - The Spy
Russell Crowe - The Loudest Voice
Jared Harris - Chernobyl
Sam Rockwell - Fosse/Verdon

MELHOR ATRIZ EM SÉRIE DE DRAMA
Jennifer Aniston - The Morning Show
Olivia Colman - The Crown
Jodie Comer - Killing Eve
Nicole Kidman - Big Little Lies
Reese Witherspoon - The Morning Show

MELHOR ATOR EM SÉRIE DE DRAMA
Brian Cox - Succession
Kit Harington - Game of Thrones
Rami Malek - Mr. Robot
Tobias Menzies - The Crown
Billy Porter - Pose

MELHOR ATRIZ EM SÉRIE DE COMÉDIA OU MUSICAL
Christina Applegate - Dead to Me
Rachel Brosnahan - The Marvelous Mrs. Maisel
Kirsten Dunst - On Becoming a God in Central Florida
Natasha Lyonne - Russian Doll
Phoebe Waller-Bridge - Fleabag

MELHOR ATOR EM SÉRIE DE COMÉDIA OU MUSICAL
Michael Douglas - The Kominsky Method
Bill Hader - Barry
Ben Platt - The Politician
Paul Rudd - Living with Yourself
Ramy Youssef - Ramy

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE EM MINISSÉRIE OU FILME PARA TV
Patricia Arquette - The Act
Helena Bonham Carter - The Crown
Toni Collette - Inacreditável
Meryl Streep - Big Little Lies
Emily Watson - Chernobyl

MELHOR ATOR COADJUVANTE EM MINISSÉRIE OU FILME PARA TV
Alan Arkin - O Método Kominsky
Kieran Culkin - Succession
Andrew Scott - Fleabag
Stellan Skarsgård - Chernobyl
Henry Winkler - Barry

PRÊMIO CECIL B. DEMILLE
Tom Hanks - homenageado

PRÊMIO CAROL BURNETT
Ellen DeGeneres - homenageada


Joga no Google e me acha aqui:  
Me sigam no Facebook,  twitter, Linkedlin e Instagram.  

segunda-feira, 9 de dezembro de 2019

Cine Dica: 1939 - O Ano de Ouro de Hollywood (10 a 22 de dezembro)

MOSTRA ESPECIAL DE ENCERRAMENTO DO ANO APRESENTA CLÁSSICOS HOLLYWOODIANOS REALIZADOS EM 1939
E o vento levou

A partir de terça-feira, 10 de dezembro, a Cinemateca Capitólio apresenta a mostra 1939 – O Ano de Ouro de Hollywood. A programação especial de encerramento de 2019 exibe doze clássicos lançados no ano que marcou o apogeu da era dourada do cinema clássico norte-americano, em diálogo com a exposição A Era do Ouro do Cinema: anos 30 e 40, com curadoria de Alice Trusz, que segue em exibição na galeria da Cinemateca até o dia 20 de dezembro. O valor do ingresso é R$ 10,00, com meia entrada para estudantes e idosos.
Os principais gêneros hollywoodianos – romance, comédia, musical, drama histórico, faroeste, fantasia, aventura, policial, horror – estarão presentes na tela da Cinemateca Capitólio! Grandes estrelas do cinema – Cary Grant, Vivian Leigh, Laurence Olivier, Greta Garbo, James Cagney, Rita Hayworth, Humphrey Bogart, Jean Arthur, John Wayne, Maureen O'Hara, Henry Fonda,  Judy Garland, James Stewart, Claudette Colbert, Clark Gable, iluminarão a esquina da Rua Demétrio Ribeiro e a Avenida Borges de Medeiros!
A seleção apresenta obras eternas da história do cinema como ...E o Vento Levou e O Mágico de Oz, dirigidos por Victor Fleming, A Mulher Faz o Homem, de Frank Capra, O Morro dos Ventos Uivantes, de William Wyler e outras obras-primas célebres de nomes como Howard Hawks, Raoul Walsh e Ernst Lubitsch. A programação também inclui os três marcos lançados pelo mestre John Ford naquele ano: No Tempo das Diligências, Ao Rufar dos Tambores e A Mocidade de Lincoln.

FILMES  
...E o Vento Levou
(Gone with the Wind)
Estados Unidos, 1939, 241 minutos, HD
Direção: Victor Fleming
Scarlett O'Hara é uma jovem mimada que consegue tudo o que quer. No entanto, algo falta em sua vida: o amor de Ashley Wilkes, um nobre sulista que deve se casar com a sua prima Melanie. Tudo muda quando a Guerra Civil americana explode e Scarlett precisa lutar para sobreviver e manter a fazenda da família.

O Morro dos Ventos Uivantes
(Wuthering Heights)
Estados Unidos, 1939, 104 minutos, HD
Direção: William Wyler
Humilhado por seu irmão de criação, Heathcliff (Laurence Olivier) torna-se um homem rico e em busca de vingança. Ao mesmo tempo, o rebelde nutre grande paixão por Cathy (Merle Oberon), irmã do homem que deseja matar e que, durante os anos em que esteve ausente da Inglaterra, casou-se com o nobre Edgar (David Niven). Adaptação do romance de Emily Brontë.

O Corcunda de Notre Dame
(The Hunchback of Notre Dame)
Estados Unidos, 1939, 116 minutos, HD
Direção: William Dieterle
No final do Século XV, o tocador de sino Quasimodo é eleito o Rei dos Bobos. A bela cigana Esmeralda não tem a necessária permissão para entrar em Paris e procura santuário em Notre Dame com o Arcebispo de Paris.

O Paraíso Infernal
(Only Angels Have Wings)
Estados Unidos, 1939, 121 minutos, HD
Direção: Howard Hawks
Em um pequeno aeroporto na América do Sul, Bonnie Lee (Jean Arthur) conhece um grupo de pilotos que se arriscam diariamente entre neblina e montanhas fazendo entregas pela região. O frio e distante líder dos aviadores, Geoff Carter (Cary Grant), chama especialmente sua atenção, mas para conquistá-lo Bonnie terá antes que afastar Judy MacPherson (Rita Hayworth) de seu caminho. Mais uma obra-prima de aviação de Howard Hawks.

Ninotchka
Estados Unidos, 1939, 110 minutos, HD
Direção: Ernst Lubitsch
Nina "Ninotchka" Ivanovna, uma diplomata russa pragmática, é enviada a Paris em uma missão de negócios oficial. Lá, ela se apaixona pelo guardião das joias de uma grã-duquesa, o conde Leon, um homem que representa tudo que ela deveria odiar.

O Mágico de Oz
(The Wizard of Oz)
Estados Unidos, 1939, 104 minutos, HD
Direção: Victor Fleming
Dorothy e seu cachorro Totó são levados para a terra mágica de Oz quando um ciclone passa pela fazenda de seus avós no Kansas. Eles viajam em direção à Cidade Esmeralda para encontrar o Mago Oz e no caminho encontram um Espantalho que precisa de um cérebro, um Homem de Lata sem um coração e um Leão Covarde que quer coragem.

Heróis Esquecidos
(The Roaring Twenties)
Estados Unidos, 1939, 106 minutos, HD
Direção: Raoul Walsh
Eddie Bartlett é um veterano de guerra desempregado que se torna contrabandista de bebidas, trocando as batalhas por garrafas. Enquanto cresce seu império, Eddie enfrenta ameaças externas e internas, constantes batalhas territoriais, confrontos de gangues e traições.

A Mulher Faz o Homem
(Mr. Smith Goes To Washington)
Estados Unidos, 1939, 129 minutos, HD
Direção: Frank Capra
Jovem interiorano e idealista é eleito para o Senado e chega à capital americana cheio de sonhos e aspirações. Mas logo ele descobrirá os verdadeiros interesses que movimentam seus colegas de congresso.

Ao Rufar dos Tambores
(Drums Along the Mohawk)
Estados Unidos, 1939, 104 minutos, HD
Direção: John Ford
Jovem casal muda-se para um vale e começa a descobrir os percalços da vida a dois. Atacados continuamente por índios que estão sob o comando da tutela britânica, acabam obrigados a recomeçar seu lar em outro local. A chegada do filho, a vida coletiva com os demais refugiados, tudo é ameaçado por um novo ataque.

A Mocidade de Lincoln
(Young Mr. Lincoln)
Estados Unidos, 1939, 100 minutos, HD
Direção: John Ford
Os primeiros passos do jovem Abraham Lincoln: sua formação no Direito, a perda da primeira esposa e a difícil defesa dos irmãos Matt e Adam Clay, acusados de homicídio. John Ford dirige um dos filmes maiores da sua obra, e um dos mais pessoais. Para muitos, é mesmo a sua obra prima absoluta. Eisenstein referiu-se a ele como o filme que gostaria de ter feito.

No Tempo das Diligências
(Stagecoach)
Estados Unidos, 1939, 97 minutos, HD

Direção: John Ford
Um grupo de nove pessoas é obrigado a embarcar em uma perigosa jornada em cima de carruagens através do Arizona, em um território indígena. Sendo levados por cavalos durante bastante tempo, cada um tem o seu motivo pessoal para realizar tal viagem. No meio do caminho eles terão que enfrentar Geronimo e seus guerreiros apaches, e contra eles contarão apenas com a ajuda do cowboy Ringo Kid (John Wayne).

O Filho de Frankenstein
(Son of Frankenstein)
Estados Unidos, 1939, 100 minutos, HD
Direção: Rowland V. Lee
O cientista e médico Barão Wolf von Frankenstein, filho de Henry Frankenstein, acompanhado da esposa Elsa e do filho pequeno Peter, vão ao castelo da família num vilarejo remoto. Mas, ao chegar, percebe que os habitantes do local temem que ele recrie a criatura de seu pai.

GRADE DE HORÁRIOS
10 a 22 de dezembro de 2019

10 de dezembro (terça)
14h –  Ninotchka
16h – ...E o Vento Levou
20h – O Morro dos Ventos Uivantes

11 de dezembro (quarta)
14h – Heróis Esquecidos
16h – O Mágico de Oz
18h – O Filho de Frankenstein
20h – Sessão Abraccine: Miragem + Animal Direto

12 de dezembro (quinta)
14h – O Morro dos Ventos Uivantes
16h – A Cidade dos Piratas
17h30 – A Mulher Faz o Homem
20h – Diante dos Meus Olhos

13 de dezembro (sexta)
14h – A Mocidade de Lincoln
16h – A Cidade dos Piratas
17h30 – Paraíso Infernal
20h – Diante dos Meus Olhos

14 de dezembro (sábado)
14h – Heróis Esquecidos
16h – A Cidade dos Piratas
17h30 – O Corcunda de Notre Dame
20h – Diante dos Meus Olhos + debate com André Felix

15 de dezembro (domingo)
14h – Ninotchka
16h – A Cidade dos Piratas
17h30 – A Mulher Faz o Homem
20h – Diante dos Meus Olhos

17 de dezembro (terça)
14h – O Corcunda de Notre Dame
16h – A Cidade dos Piratas
17h30 – No Tempo das Diligências
20h – Diante dos Meus Olhos

18 de dezembro (quarta)
14h – Ao Rufar dos Tambores
16h – Diante dos Meus Olhos
18h – Mostra Unisinos de Cinema
20h – Mostra Unisinos de Cinema

19 de dezembro (quinta)
14h – O Corcunda do Notre Dame
16h – O Mágico de Oz  
18h – Mostra Unisinos de Cinema
20h – Mostra Unisinos de Cinema

20 de dezembro (sexta)
14h – O Morro dos Ventos Uivantes
16h – Heróis Esquecidos
18h – O Filho de Frankenstein
20h – Projeto Raros (divulgação em breve)

21 de dezembro (sábado)
14h – O Filho de Frankenstein
16h – ...E O Vento Levou
20h – Paraíso Infernal

22 de dezembro (domingo)
14h – No Tempo das Diligências
16h – A Mocidade de Lincoln
18h – Ao Rufar dos Tambores
20h – Sessão especial de encerramento do ano

domingo, 8 de dezembro de 2019

Cine Dica: André Félix, Sessão Abraccine e A Cidade dos Piratas (10 a 22 de dezembro)

  DOCUMENTÁRIO SOBRE A CENA CULTURAL CAPIXABA DOS ANOS 1960 EM DEBATE  SESSÃO ABRACCINE APRESENTA FILMES DE FLORA DIAS E DANIEL LENTINI ÚLTIMAS EXIBIÇÕES DE A CIDADE DOS PIRATAS
Cidade dos Piratas 

No sábado, 14 de dezembro, às 20h, a Cinemateca Capitólio apresenta a sessão comentada do filme Diante dos Meus Olhos (2018, 81 minutos), com a presença do diretor André Félix. A mediação será feita pela produtora Alice Castiel. O valor do ingresso é R$ 16,00, com meia entrada para estudantes e idosos. O documentário aborda a história da cena cultural capixaba do final dos anos 1960, tendo a banda Os Mamíferos como principal fio condutor.
Diante dos Meus Olhos, primeiro longa-metragem do diretor André Félix, estreou internacionalmente no Festival Cinematográfico Internacional do Uruguai e no Olhar de Cinema de Curitiba, ambos no ano de 2018. A Cidade dos Piratas, a grande obra-prima de Otto Guerra, ganha as últimas exibições do ano até o dia 17 de dezembro.

SESSÃO ABRACCINE
Na quarta-feira, 11 de dezembro, às 20h, os filmes de curta e média-metragem Miragem (dirigido por Flora Dias) e Animal Indireto (dirigido por Daniel Lentini) serão exibidos em sessão dupla na quinta edição Sessão Abraccine (Associação Brasileira de Críticos de Cinema). A sessão será comentada por integrantes da associação. Entrada franca.
Tendo como ponto de partida as demandas psicológicas dos dois realizadores/protagonistas e colocando em debate questões importantes ligadas às psicopatologias e aos transtornos psicológicos, MIRAGEM e ANIMAL INDIRETO aproximam-se também por utilizarem o documentário como espaço de experimentação da linguagem, arriscando articular palavra, performance e imagem em experiências multissensoriais, além de configurar também o cinema como possibilidade de ferramenta terapêutica e de reinvenção. Em MIRAGEM, Flora Dias filma sua mãe e a atriz Gilda Nomacce num registro que intersecciona memórias e invenções, como que num ritual ou tentativa de transformar o que não se quer mais para si em filme. Já em ANIMAL INDIRETO, o diretor Daniel Lentini se põe em questão após um severo ataque de pânico numa sala de cinema e ser diagnosticado com Transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG). Na intenção de usar o cinema como válvula de escape, ele viaja para filmar cenas no Brasil, em Cuba e no Haiti.

FILMES

DIANTE DOS MEUS OLHOS
Brasil, 2018, 82 minutos, DCP
Direção: André Félix
Muitos dizem que a passagem dos Mamíferos se assemelha a um meteoro: rápido, luminoso e intenso. E parte disso se explica pela inovação das composições e arranjos musicais, pelo uso de máscaras, adereços e fantasias, e por uma atitude libertária dentro e fora dos palcos. Formada por Afonso Abreu, Mário Ruy e Marco Antônio Grijó, a banda participou ativamente da criação da paisagem cultural daquele período histórico no Espírito Santo, mergulhando de forma intensa no sonho coletivo dos anos 60 e 70. Recentemente a importância dos Mamíferos, preservada em gravações e imagens de arquivo, tem sido reconhecida por jornalistas e pesquisadores. A banda mereceu matéria de capa do jornal O Estado de S. Paulo no dia 20 de novembro de 2011.

GRADE DE HORÁRIOS
10 a 22 de dezembro de 2019

10 de dezembro (terça)
14h –  Ninotchka
16h – ...E o Vento Levou
20h – O Morro dos Ventos Uivantes

11 de dezembro (quarta)
14h – Heróis Esquecidos
16h – O Mágico de Oz
18h – O Filho de Frankenstein
20h – Sessão Abraccine: Miragem + Animal Direto

12 de dezembro (quinta)
14h – O Morro dos Ventos Uivantes
16h – A Cidade dos Piratas
17h30 – A Mulher Faz o Homem
20h – Diante dos Meus Olhos

13 de dezembro (sexta)
14h – A Mocidade de Lincoln
16h – A Cidade dos Piratas
17h30 – Paraíso Infernal
20h – Diante dos Meus Olhos

14 de dezembro (sábado)
14h – Heróis Esquecidos
16h – A Cidade dos Piratas
17h30 – O Corcunda de Notre Dame
20h – Diante dos Meus Olhos + debate com André Felix

15 de dezembro (domingo)
14h – Ninotchka
16h – A Cidade dos Piratas
17h30 – A Mulher Faz o Homem
20h – Diante dos Meus Olhos

17 de dezembro (terça)
14h – O Corcunda de Notre Dame
16h – A Cidade dos Piratas
17h30 – No Tempo das Diligências
20h – Diante dos Meus Olhos

18 de dezembro (quarta)
14h – Ao Rufar dos Tambores
16h – Diante dos Meus Olhos
18h – Mostra Unisinos de Cinema
20h – Mostra Unisinos de Cinema

19 de dezembro (quinta)
14h – O Corcunda do Notre Dame
16h – O Mágico de Oz  
18h – Mostra Unisinos de Cinema
20h – Mostra Unisinos de Cinema

20 de dezembro (sexta)
14h – O Morro dos Ventos Uivantes
16h – Heróis Esquecidos
18h – O Filho de Frankenstein
20h – Projeto Raros (divulgação em breve)

21 de dezembro (sábado)
14h – O Filho de Frankenstein
16h – ...E O Vento Levou
20h – Paraíso Infernal

22 de dezembro (domingo)
14h – No Tempo das Diligências
16h – A Mocidade de Lincoln
18h – Ao Rufar dos Tambores
20h – Sessão especial de encerramento do ano: Vitalina Varela, de Pedro Costa.

Cine Dica: 'Democracia em Vertigem' em destaque na Sala Redenção

Democracia em Vertigem

Considerado um dos dez melhores filmes do ano segundo o jornal The New York Times, o documentário Democracia em Vertigem (2019) integra a programação da semana de 9 a 13 de dezembro da Sala Redenção. O filme será exibido na quinta-feira, 12, às 19h, na sessão especial produzida pelo Cinema Universitária em parceria com a Sigma Cinema, coletivo que promove atividades de fomento do audiovisual independente brasileiro e que conecta a universidade com produções do campo dos direitos humanos. Democracia em Vertigem, dirigido pela realizadora do premiado Elena (2012), Petra Costa, conta a história da chegada e ascensão de Lula na presidência da República e mostra articulação do golpe contra a ex-presidenta Dilma Rousseff. Segundo o jornal americano, o filme faz uma “análise cuidadosa dos eventos que levaram à eleição de Jair Bolsonaro, o presidente populista do Brasil. Este documentário angustiante é o filme mais assustador do ano”.
A Sala Redenção inaugura, na próxima quarta-feira, 11, a 1ª Mostra Fabico de Cinema. A sessão contempla uma seleção de curtas-metragens, realizados nos últimos quatro anos, na disciplina de mídias audiovisuais dos cursos de Jornalismo, Relações Públicas e Publicidade e Propaganda da UFRGS. A exibição, com curadoria da professora da disciplina, Miriam Rossini, e da bolsista Aline Rodrigues, tem a proposta de integrar os espaços da universidade e dar visibilidade às produções universitárias.
Na sessão mensal CineDhebate Diretos Humanos, a Sala Redenção exibe o drama americano Brilho Eterno de uma Mente Sem Lembranças (2004), dirigido por Michel Gondry. O filme conta a história de Joel (Jim Carrey) e Clementine (Kate Winslet), um casal que durante anos tentou fazer com que o relacionamento desse certo. Desiludida com o fracasso, Clementine decide esquecer Joel para sempre, retirando de sua memória os momentos vividos com ele. Após saber de sua atitude, Joel decide se submeter ao mesmo tratamento experimental, mas acaba desistindo de tentar esquecê-la e começa a encaixar Clementine em momentos de sua memória os quais ela não participa. A sessão acontece na quarta-feira, às 19h.
A programação segue com a segunda edição da Mostra Animal, promovida pela Sociedade Vegetariana Brasileira, na Sala Redenção. A proposta da exibição é tornar o conhecimento acessível e proporcionar discussões relacionadas à exploração animal, a impactos socioambientais e à nutrição sem carne. Com obras nacionais e internacionais, como Planeat (2010) e Fantasmas na Nossa Máquina (2013), a mostra acontece entre os dias 09 e 10 de dezembro. Após a sessão haverá debate com especialista do tema.

Confira a programação completa no site oficial do site clicando aqui. 

sexta-feira, 6 de dezembro de 2019

Cine Dica: m Blu-Ray - DVD – VOD: 'Meu Nome é Dolemite' - Eddie Murphy não desiste

Sinopse: A história se passa na Los Angeles dos anos 1970. Moore é um vendedor de discos em uma pequena loja e um aspirante a comediante que encontra o sucesso por meio de seu obsceno alter ego Dolemite. 

Astro dos anos 80 e 90, Eddie Murphy viu a sua carreira aos poucos afundar em meio a diversas mudanças que o cinema passou ao longo dos anos que vieram. Passando a ser mais conhecido por ter dado a voz ao personagem Burro em " Shrek" (2001), Murphy, ao menos, nunca abandonou a sua teimosia em querer dar a volta por cima. Após vários anos sem nenhum prestigio, eis que chega "Meu Nome é Dolemite", projeto que há muito de sua pessoa do que nós imaginamos.
Dirigido por Craig Brewer, da série "Empire" (2015), o filme conta a história do vendedor de discos em uma loja pequena e comediante de pouco sucesso, Rudy Ray Moore (Eddie Murphy), que vê sua vida mudar quando começa a ouvir as histórias das ruas para renovar seu repertório, inserindo piadas sujas e repletas de palavrões. Não demora muito para que ele faça imenso sucesso, migrando o sucesso nas casas de show para discos extremamente populares, entre a população negra norte-americana. Decidido a ampliar seus horizontes, Rudy decide rodar por conta própria um filme estrelado por seu alter-ego Dolamyte, um cafetão bom de briga que sabe lutar kung fu.
Em tempos atuais em que o cinema volta a resgatar o melhor da década de 70, o filme é um prato cheio de referências para os fãs que sentem saudades daquela época suja, porém, mais dourada. Com uma edição de arte, fotografia e figurino primorosos, o filme mergulha a fundo no melhor daquela cultura, principalmente em uma época em que a comunidade negra cada vez ganhava mais espaço merecido no mundo da música e no cinema. E desse delicioso recheio é que Eddie Murphy acaba sendo a cereja do bolo.
Ao interpretar o personagem Rudy Ray Moore, mais conhecido como Dolamyte, Murphy solta a língua como ninguém, ao lançar piadas com teor adulto e cuja essa nova geração politicamente correta nem ao menos sabia que existia. Ao personificar o personagem, o ator se sente à vontade, ao ponto do personagem e interprete se fundirem e sintetizar a sua busca em tentar voltar aos trilhos do sucesso. Sem dúvida uma das melhores atuações de Eddie Murphy e que tanto fazia falta para os fãs e para ele.
Além de prestar uma bela homenagem ao universo da música da época, o filme também é uma singela carta de amor para aqueles que buscam o sucesso por meio da insistência de se fazer um bom filme. Curiosamente, a produção me fez relembrar um clássico do astro intitulado "Os Penetras" (1999) no momento em que o protagonista e outros personagens decidem se aventurar a fazer um filme na raça. Logicamente, é nesse ponto que muitos irão se lembrar do subgênero Blaxploitation que dominou a época, mas também o filme fala de um tempo em que verdadeiros realizadores e obcecados pela sétima arte colocavam a mão na massa.
"Meu Nome é Dolemite" não é somente a melhor atuação de Eddie Murphy em sua carreira, como também é uma bela homenagem a cultura pop dos anos 70. 


Joga no Google e me acha aqui:  
Me sigam no Facebook,  twitter, Linkedlin e Instagram.