Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sócio do Clube de Cinema de Porto Alegre, frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 97 certificados) e ministrante do curso Christopher Nolan - A Representação da Realidade. Já fui colaborador de sites como A Hora do Cinema, Cinema Sem Frescura e Cinema e Movimento. Atualmente sou colaborador do site Cinesofia. Sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para marcelojs1@outlook.com ou beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

quinta-feira, 29 de agosto de 2019

Cine Dicas: Estreias do Final de Semana (29/08/19)

Yesterday

Sinopse: Após sofrer um acidente, o cantor e compositor Jack Malik acorda numa estranha realidade. Nesse mundo, ele é a única pessoa que lembra da existência da banda britânica Beatles. 

Verão de 84

Sinopse: Um grupo de adolescentes desconfia que seu vizinho é um serial killer e decide passar o verão investigando e juntando provas. 

A Mulher do Meu Marido

Sinopse: Depois de alguns anos de casamento com Pedro, Joana descobre que está sendo traída, mas decide fingir que não sabe de nada para prosseguir com a relação.

Minha Lua de Mel Polonesa 

Sinopse: Anna e Adam, um jovem casal de Paris com origens judaicas polonesas, decidem visitar a Polônia. Foram convidados para comemorar os 75 anos da liberação dos judeus após a Segunda Guerra Mundial.

O Amor dá Trabalho 

Sinopse: Malandro e aproveitador, Anselmo morre e acaba preso no limbo. Para garantir seu lugar no céu, precisa praticar uma boa ação e bancar o cupido.

O Filho do Homem 

Sinopse: Maria recebe a visita do Anjo Gabriel, que traz a mensagem de sua gravidez do Espírito Santo. Mesmo relutante, José casa-se com ela e assume a criança para criar como sua.


Veja também: "Anna - O Perigo Tem Nome" e "Bacurau" chegam aos cinemas brasileiros. 


Joga no Google e me acha aqui:  

Me sigam no Facebook,  twitter, Linkedlin e Instagram.  

Cine Dica: I Drink Your Blood no Projeto Raros

HIPPIES SATANISTAS E RAIVOSOS NO PROJETO RAROS

Tema do novo filme de Quentin Tarantino, os célebres crimes da seita de Charles Manson são a inspiração de I Drink Your Blood (1970, 88 minutos), de David E. Durston, atração do Projeto Raros da Cinemateca Capitólio Petrobras na sexta-feira, 30 de agosto, às 20h. A sessão será comentada pelos pesquisadores Cristian Verardi e Carlos Thomaz Albornoz e por uma convidada surpresa. Exibição em HD, na versão sem cortes, com legendas em português. Entrada franca.
Em I Drink Your Blood, um grupo de hippies adoradores de satanás aterroriza uma pequena cidade dos Estados Unidos. O local viverá momentos de horror após uma inusitada vingança planejada por uma criança.
O diretor David E. Durston inspirou-se nos assassinatos cometidos pela Família Manson e aproveitou o período do julgamento para incrementar seu roteiro e criar os personagens principais. Exibido em sessões duplas de produções exploitation e drive-ins, I Drink Your Blood ficou marcado por apresentar cenas extremamente sangrentas e violentas para a época.


I DRINK YOUR BLOOD (1970)
Estados Unidos, 88 minutos
Direção: David E. Durston
Elenco: Bhaskar Roy Chowdhury Jadine Wong Rhonda Fultz

GRADE DE HORÁRIOS
29 de agosto a 4 de setembro de 2019

29 de agosto (quinta-feira)
14h – Rafiki
16h – Divino Amor
18h – No Coração do Mundo
20h – Cassandro, o Exótico!

30 de agosto (sexta-feira)
14h – Rafiki
16h – Divino Amor
18h – No Coração do Mundo
20h – Projeto Raros: I Drink Your Blood

31 de agosto (sábado)
14h – Sessão Acessível: Pela Janela
16h – Divino Amor
18h – No Coração do Mundo
20h – Ilha das Flores 30 anos – Sessão Especial

1º de setembro (domingo)
14h – Rafiki
16h – Divino Amor
18h – No Coração do Mundo
20h – Cassandro, o Exótico!

3 de setembro (terça-feira)
14h – Rafiki
16h – Divino Amor
18h – No Coração do Mundo
20h – Cassandro, o Exótico!

4 de setembro (quarta-feira)
14h – Rafiki
16h – Divino Amor
18h – No Coração do Mundo
20h – Cassandro, o Exótico!

A Cinemateca Capitólio Petrobras conta, em 2019, com o projeto Cinemateca Capitólio Petrobras programação especial 2019 aprovado na Lei Rouanet/Governo Federal, que será realizado pela FUNDACINE – Fundação Cinema RS e possui patrocínio master da PETROBRAS. O projeto contém 26 diferentes atividades entre mostras, sessões noturnas e de cinema acessível, master classes e exposições.

Cine Dica: Ilha das Flores, No Coração do Mundo e Cassandro O Exótico (29 de agosto a 4 de setembro)

SESSÃO ESPECIAL DE 30 ANOS DE ILHA DAS FLORES NO CORAÇÃO DO MUNDO E CASSANDRO, O EXÓTICO ENTRAM EM CARTAZ

No sábado, 31 de agosto, às 20h, a Cinemateca Capitólio Petrobras promove uma sessão especial de 30 anos do curta-metragem Ilha das Flores, de Jorge Furtado. O diretor conversa com o público após a exibição. Lançado em 1989 no Festival de Gramado, onde recebeu os prêmios principais dos três juris (oficial, público e crítica), o curta ganhou notoriedade mundial ao ser premiado com o Urso de Prata do 40º Festival de Berlim, em 1990. Em 2018, foi eleito pela Abraccine, Associação Brasileira de Críticos de Cinema, o melhor curta-metragem brasileiro de todos os tempos.
Na sessão, serão exibidos outros três curtas dirigidos por Furtado que promovem diferentes reflexões sobre a criação cinematográfica e suas formas narrativas: Até a Vista (2011), A Matadeira (1994) e Veja Bem (1994). A partir de quinta-feira, 29 de agosto, a Cinemateca Capitólio Petrobras promove duas novas estreias. O longa-metragem mineiro No Coração do Mundo, de Maurílio Martins e Gabriel Martins, e o documentário Cassandro, O Exótico!, da diretora de vanguarda francesa Marie Losier. Rafiki, de Wanuri Kahiu, e Divino Amor, de Gabriel Mascaro, seguem em exibição até o dia 4 de setembro. A exibição de Cassandro, O Exótico! é realizada em parceria com o Institut Français e a Cinemateca da Embaixada da França no Brasil.

INGRESSOS (estudantes e idosos pagam meia entrada)
No Coração do Mundo – R$ 16,00
Rafiki – R$ 16,00
Divino Amor – R$ 16,00
Cassandro, O Exótico – R$ 10,00
Sessão Ilha das Flores – R$ 10,00

FILMES

CASSANDRO, O EXÓTICO!
(Cassandro, the Exotico!)
França, 2018, documentário, 73′, HD
Direção: Marie Losier
Após passar 26 anos dentro do ringue, Cassandro, a estrela de um grupo de lutadores cross-dressers conhecido como Os Exóticos, está longe de querer se aposentar. Mas com diversos ossos quebrados e pinos no corpo, ele deverá achar uma maneira de se reinventar.
Nascida na França, Marie Losier filmou retratos de artistas de vanguarda como os irmão Kuchar, Guy Maddin, o diretor de teatro Richard Foreman, o compositor/cineasta Tony Conrad, Alan Vega e o artista/músico Genesis Breyer P-Orridge. Extravagantes, poéticos, oníricos e não convencionais, seus filmes exploram a vida e o trabalho desses artistas através de uma infinita variedade de meios cinematográficos. As obras de Losier são apresentadas regularmente em museus de prestígio e festivais de cinema ao redor do mundo (Tate Modern, Whitney Bienal, PS1, MOMA, Centro Georges Pompidou, Museu The Wexner, Tribeca, Seminário Flaherty, Festival de Cinema de Berlim, Roterdã.

NO CORAÇÃO DO MUNDO
Brasil, 2019, Drama, 120′, DCP
Direção: Gabriel Martins, Maurilio Martins
Distribuição: Embaúba Filmes
Contagem, Minas Gerais. Dentro da comunidade local, Marcos (Leo Pyrata) se vira diariamente com os pequenos crimes que comete. Quando reencontra Selma (Grace Passô), uma antiga amiga, ele se convence da possibilidade de executar um assalto bem-sucedido. Mas o plano só pode ser colocado em prática com a ajuda de uma terceira pessoa, e Ana (Kelly Crifer), namorada de Marcos, hesita em participar.

ILHA DAS FLORES
(35 mm, 12 min, cor, 1989)
Direção: Jorge Furtado
Exibição digital.
Um tomate é plantado, colhido, transportado e vendido num supermercado, mas apodrece e acaba no lixo. Acaba? Não. ILHA DAS FLORES segue-o até seu verdadeiro final, entre animais, lixo, mulheres e crianças. E então fica clara a diferença que existe entre tomates, porcos e seres humanos.
Lançado em 1989 no Festival de Gramado, onde ganhou os prêmios dos três juris (oficial, público e crítica), o curta ganhou notoriedade mundial ao ser premiado com o Urso de Prata do 40º Festival de Berlim, em 1990. Em 2018, foi eleito pela Abraccine, Associação Brasileira de Críticos de Cinema, o melhor curta-metragem brasileiro de todos os tempos.

ATÉ A VISTA
(HD, 18 min, cor, 2011)
Direção: Jorge Furtado
Exibição digital.
Foto de Alex Sernambi: Salo Pasik e Felipe de Paula
Jovem cineasta procura uma história para o seu primeiro longa-metragem. Na tentativa de conseguir os direitos autorais de um romance, o jovem aceita a proposta inusitada do autor e juntos partem à procura de um antigo amor do escritor.

A MATADEIRA
(16 mm, 16 min, cor, 1994)
Direção: Jorge Furtado
Exibição digital.
Canudos foi uma pequena aldeia no nordeste do Brasil, fundada pelo líder messiânico Antônio Conselheiro e massacrada por um poderoso exército até a morte do último de seus 30 mil habitantes, em 5 de outubro de 1897. O filme conta o massacre de Canudos a partir de um canhão inglês, apelidado pelos sertanejos de "A MATADEIRA", que foi transportado por vinte juntas de boi através do sertão para disparar um único tiro.

VEJA BEM
(16 mm, 9 min, cor, 1994)
Direção: Jorge Furtado
Exibição digital.
Veja Bem é um filme e é também um objeto, um Zootrópio, espécie de precursor do cinema. Na primeira parte do filme (e do lado de dentro do objeto), o foco de atenção é o homem-músculo, as imagens se repetem até a exaustão, e o texto é de João Cabral. Na segunda parte do filme (e do lado de fora do objeto), o foco de atenção é o maravilhoso e ridículo caleidoscópio de ofertas da cidade, as imagens são pura diversidade, e o texto é de Drummond. Direção: Jorge Furtado

GRADE DE HORÁRIOS
29 de agosto a 4 de setembro de 2019

29 de agosto (quinta-feira)
14h – Rafiki
16h – Divino Amor
18h – No Coração do Mundo
20h – Cassandro, o Exótico!

30 de agosto (sexta-feira)
14h – Rafiki
16h – Divino Amor
18h – No Coração do Mundo
20h – Projeto Raros: I Drink Your Blood

31 de agosto (sábado)
14h – Sessão Acessível: Pela Janela
16h – Divino Amor
18h – No Coração do Mundo
20h – Ilha das Flores 30 anos – Sessão Especial

1º de setembro (domingo)
14h – Rafiki
16h – Divino Amor
18h – No Coração do Mundo
20h – Cassandro, o Exótico!

3 de setembro (terça-feira)
14h – Rafiki
16h – Divino Amor
18h – No Coração do Mundo
20h – Cassandro, o Exótico!

4 de setembro (quarta-feira)
14h – Rafiki
16h – Divino Amor
18h – No Coração do Mundo
20h – Cassandro, o Exótico!

A Cinemateca Capitólio Petrobras conta, em 2019, com o projeto Cinemateca Capitólio Petrobras programação especial 2019 aprovado na Lei Rouanet/Governo Federal, que será realizado pela FUNDACINE – Fundação Cinema RS e possui patrocínio master da PETROBRAS. O projeto contém 26 diferentes atividades entre mostras, sessões noturnas e de cinema acessível, master classes e exposições.

quarta-feira, 28 de agosto de 2019

Cine Especial: Clube de Cinema de Porto Alegre: 'Jornada da Vida' - Conhece a Ti Mesmo

Sinopse: Seydou, um famoso ator francês de origem senegalesa, faz uma viagem à África para promover um livro.  Yao, um garotinho que fez uma longa viagem sozinho só para vê-lo. Comovido com a história do menino, Seydou decide acompanhá-lo de volta à sua casa.

Graças ao sucesso de púlbico e de crítica pelo filme francês "Intocavéis" (2011) o ator Omar Sy teve a sua consagração definitiva como interprete e sendo reconhecido mundialmente. Infelizmente o mesmo não pode se dizer quando o mesmo tentou a carreira no cinema americano, mas sendo relegado aos blockbusters e como mero ator coadjuvante. Fora do território dos gringos, Omar Sy prova novamente o seu talento, pois "Jornada da Vida" é um filme sobre autodescoberta e que, talvez, fale um pouco sobre ele mesmo como um todo.
Dirigido por Philippe Godeau, do filme "A Odisséia" (2018), o filme conta a história de Seydou, um famoso ator francês de origem senegalesa e que faz uma viagem pela África para promover seu mais novo livro. Ao mesmo tempo, Yao (Lionel Louis Basse), um garoto de uma cidade humilde, decide viajar para encontrá-lo e para sim obter um autografo do ator para ele e para o seu amigo de escola. Impressionado pela coragem do jovem, Seydou decide leva-lo de volta para casa, mas durante o percurso, ele acaba descobrindo um pouco sobre ele mesmo.
No melhor estilo road movie, o filme nos conquista rapidamente, já que nos primeiros minutos somos apresentados aos dois personagens, mas de forma separada e fazendo a gente conhecer em primeiro lugar as suas realidades intimas. A partir do momento em que ambos se encontram é ai que o filme nos convida para uma viagem de autodescoberta e que fará ambos os protagonistas refletirem sobre suas próprias vidas. Curiosamente, em alguns casos, Yao se torna o adulto da trama, enquanto Seydou precisa aos poucos aprender sobre  aquela realidade que ele desconhece, mesmo estando ligado a ela através de suas  raizes.
Curiosamente, as questões políticas e religiosas são abordados de uma forma delicada, mas se destacando nas entrelinhas. Seydou é pertencente a um continente que foi saqueado no passado, mas cuja essa terra ainda mantem a sua cultura, crenças e suas histórias intactas. Portanto, não me surpreenderia se a produção também fosse uma forma do próprio interprete Omar Sy revisitar as suas raizes e fazendo a gente se perguntar até que ponto da história é ficção ou verdade.
Independente disso, a química do veterano e do jovem ator é o verdadeiro coração do filme como um todo. Na medida em que ambos vão se conhecendo, queremos mais que a jornada nunca termine, pois os cenários por onde eles passam tornam a sessão um colírio para os nosso olhos e sendo muito bem vindo. Além dos cenários por onde eles passam, é preciso destacar os personagens mais ou menos curiosos com os quais eles cruzam, como no caso da cantora Glória (Fatoumata Diawara), ou da mistériosa senhora Tanam (Germaine Acogny), sendo que essa última guiará Seydou para o seu destino final.
Com uma bela homenagem a música "Is This Love", do mestre Bob Marley, "Jornada da Vida" é um belissimo road movie e do qual nos conquista facilmente. 


Nota: Filme exibido para os associados neste último Domingo (25/08/19), na sala Eduardo Hirtz da Casa de Cultura Mario Quintana.    


Faça parte do Clube de Cinema de Porto Alegre.  
Mais informações através das redes sociais:
Facebook: www.facebook.com/ccpa1948
twitter: @ccpa1948  
Instagram: @ccpa1948 



Joga no Google e me acha aqui:  

Me sigam no Facebook,  twitter, Linkedlin e Instagram.  

Cine Dica: BACURAU estreia no CineBancários, dia 29, nas sessões das 15h e 19h.

‘BACURAU’,  DE KLEBER MENDONÇA FILHO E JULIANO DORNELLES, ESTREIA DIA 29 DE AGOSTO NO CINEBANCÁRIOS ÀS 15H E 19H

Vencedor do prêmio do júri no Festival de Cannes e do prêmio de melhor filme na principal mostra do Festival de Cinema de Munique, “Bacurau” ganhou trailer oficial. (https://www.youtube.com/watch?v=qAPmIOViZjg&feature=youtu.be). Com direção e roteiro assinados por Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles, o longa já foi convidado para mais de 100 festivais e mostras ao redor do mundo desde sua première mundial em Cannes. No Brasil, foi o filme de abertura no Festival de Gramado, no dia 16 de agosto, e estreia nas salas do país no dia 29 de agosto, com distribuição da Vitrine Filmes. BACURAU estreia no CineBancários, dia 29, nas sessões das 15h e 19h.
“Bacurau” também já foi exibido na competição do Neuchâtel International Fantastic Film Festival, na Suíça, no Festival de Cinema de Sidney, Austrália, no SoFilm Summercamp, em Nantes, e La Rochelle, ambos na França (onde o filme estreia em setembro).
Rodado no Sertão do Seridó, divisa do Rio Grande do Norte com a Paraíba, “Bacurau” é um filme de aventura ambientado no Brasil ‘daqui a alguns anos’. Conta a história do povoado Bacurau, que some do mapa após o falecimento de uma de suas moradoras mais queridas, Dona Carmelita, aos 94 anos.
"Bacurau" é a segunda coprodução entre a CinemaScopio do Recife (“O Som ao Redor”, “Aquarius”) e a SBS em Paris (“Synonymes”, de Navad Lapid, vencedor do urso de ouro em Berlim, “Elle”, de Paul Verhoeven, “Mapas Para as Estrelas”, de David Cronenberg). “Bacurau” também é uma coprodução com a Globo Filmes, Simio Filmes, Arte France Cinema, Telecine e Canal Brasil.
Produzido por Emilie Lesclaux, Said Ben Said e Michel Merkt, tem patrocínio da Petrobras, Fundo Setorial do Audiovisual, Funcultura (Governo de Pernambuco) e do CNC (Centre National de la Cinematographie, France).

SINOPSE: Num futuro recente, Bacurau, um povoado do sertão de Pernambuco, some misteriosamente do mapa. Quando uma série de assassinatos inexplicáveis começam a acontecer, os moradores da cidade tentam reagir. Mas como se defender de um inimigo desconhecido e implacável?


ELENCO
Sonia Braga: Domingas
Udo Kier: Michael
Bárbara Colen: Teresa
Thomás Aquino: Pacote
Silvero Pereira: Lunga
Wilson Rabelo: Plinio
Carlos Francisco: Damiano  
Karine Teles: Forasteira
Antonio Saboia: Forasteiro
Rubens Santos: Erivaldo
Luciana Souza: Isa
Eduarda Samara: Madalena
Lia de Itamaracá: Carmelita
Jonny Mars: Terry
Alli Willow: Kate
James Turpin: Jake 
Julia Marie Peterson: Julia
Charles Hodges: Bob
Chris Doubek: Willy
Brian Townes: Joshua
Rodger Rogério: Carranca
Jr. Black: DJ Urso
Zoraide Coleto: Madame
Jamila  Facury: Sandra
Ingrid Trigueiro: Deisy
Edilson Silva: Robson
Thardelly Lima: Tony Jr
Buda Lira: Claudio
Fabiola Liper: Nelinha
Marcio Fecher: Flavio
Val Junior: Maciel
Uirá dos Reis: Raolino
Valmir do Coco: Bidé
Suzy Lopes: Luciene
Clebia Sousa: Angela
Danny Barbosa: Darlene

FICHA TÉCNICA
Roteiro e Direção: Kleber Mendonça Filho & Juliano Dornelles
Produção: Emilie Lesclaux, Saïd Ben Saïd et Michel Merkt 
Produtora Executiva: Dora Amorim
Produtor Associado: Carlos Diegues
Diretor de Fotografia: Pedro Sotero
Diretor de Arte: Thales Junqueira
Figurino: Rita Azevedo
Montagem: Eduardo Serrano
Som : Nicolas Hallet
Design de som e montagem de som : Ricardo Cutz
Mixagem:  Cyril Holtz e Ricardo Cutz
Casting: Marcelo Caetano
1° assistente de direção : Daniel Lentini
Direção de Produção: Cristina Alves & Dedete Parente
Música Original: Mateus Alves e Tomaz Alves Souza
Caracterização e Efeitos: Tayce Vale

ASSESSORIA DE IMPRENSA:

Primeiro Plano
Anna Luiza Muller
Aline Martins - aline@primeiroplanocom.com.br 
(21) 2266-0524 / 2286-3699
www.primeiroplanocom.com.br

C i n e B a n c á r i o s 
Rua General Câmara, 424, Centro 
Porto Alegre - RS - CEP 90010-230 
Fone: (51) 34331205

terça-feira, 27 de agosto de 2019

Cine Dica: Curtas Premiados da Mostra Gaúcha do Festival de Gramado

EXIBIÇÃO ESPECIAL DOS CURTAS PREMIADOS NA MOSTRA GAÚCHA DE GRAMADO
QUERO IR PARA LOS ANGELES

A APTC-RS e a Cinemateca Capitólio Petrobras apresentam a exibição dos oito curtas-metragens premiados na Mostra Gaúcha do Festival de Gramado de 2019. As exibições acontecem em dois dias, 27 e 28 de agosto, sempre às 19h30. Integrantes das equipes dos filmes participam de um debate após as exibições. Todos pagam meia entrada (R$ 5) nas duas sessões.

PROGRAMAÇÃO

27 de agosto (terça-feira) – 19h30
Kerexu
É Assim que Você se Parece
Dia de Mudança
Who’s That Man Inside My House

28 de agosto (quarta-feira) - 19h30
Sonata
Quero ir para Los Angeles
Endotermia
Só sei que Foi Assim

SINOPSES

KEREXU
Direção: Denis Rodriguez e Leonardo Remor – 20′
Sinopse: Desde a coleta da argila nas margens do rio até a queima artesanal em forno e em fogo de chão, o filme acompanha o processo de produção da cerâmica tradicional no Sul do Brasil. Os conhecimentos passam pelas mãos de uma das últimas ceramistas guaranis na região, Kerexu Jera Poty.

É ASSIM QUE VOCÊ SE PARECE
Direção: Pedro Valadão  / 15′
Sinopse: Separados por mais do que gerações, um jovem e um senhor vagam por um mundo hiperconectado, sem conseguir contato com ninguém.

DIA DE MUDANÇA
Diretor: Boca Migotto/11’25”
Sinopse: Num domingo de noite que estará para sempre na memória de muitos brasileiros, um filho e uma mãe conversam sobre suas pequenas tragédias pessoais. Um dia de muitas mudanças.

WHO’S THAT MAN INSIDE MY HOUSE?
Direção: Lucas Reis – 10’05”
Sinopse: Uma casa representa uma nação. Nicola enxerga uma entidade que habita nos cômodos da sua casa.

SONATA
Direção: Felipe Diniz – 17’50”
Sinopse: Janaína é uma atriz em crise enquanto acompanha o colapso de um país. Parece não haver saída, mas ainda existe alguma coisa a ser feita.

QUERO IR PARA LOS ANGELES
Direção: Juh Balhego / 19′12″
Sinopse: Maria é uma menina negra universitária que decide fazer sua primeira viagem internacional, o destino escolhido é Los Angeles. Entretanto, o que se revela é que o esforço próprio não é o único propulsor para o alcance desse objetivo.

ENDOTERMIA
Direção: Emiliano Cunha
Sinopse: Sozinhos, irmão e irmã aguardam por aqueles que talvez nunca retornem

SÓ SEI QUE FOI ASSIM
Diretor: Giovanna Muzel/7′
Sinopse: Quando Santiago, o melhor amigo de Júlia, encontra um livro falando sobre a selva e como é a vida lá, ele decide que está na hora de finalmente agir como um tigre e partir em uma jornada até a selva. Durante essa aventura eles confrontam suas inseguranças e encontram algumas das forças que possuem.

22 de agosto (quinta-feira)
14h – Abaixo a Gravidade
16h – Fourteen
18h – Rafiki
19h30 – CINESAPA: Tamagotchi + Sapatão, Câmera, Ação!

23 de agosto (sexta-feira)
14h – Abaixo a Gravidade
16h – Fourteen
18h – Rafiki
19h30 – CINESAPA: Tempestade na Estrada

24 de agosto (sábado)
18h – Filme sobre um Bom Fim
19h30 – CINESAPA: 2 Garotas in Love

25 de agosto (domingo)
14h – Abaixo a Gravidade
16h – Fourteen
18h – Rafiki
19h30 – CINESAPA: Segredo dos Lírios + Lesbian Avengers Eat Fire, too

27 de agosto (terça)
14h – Abaixo a Gravidade
16h – Fourteen
18h – Rafiki
19h30 – Curtas Premiados da Mostra Gaúcha de Gramado 1

28 de agosto (quarta)
14h – Abaixo a Gravidade
16h – Fourteen
18h – Rafiki
19h30 – Curtas Premiados da Mostra Gaúcha de Gramado 2

Cine Dica: Em Cartaz: 'O Verde Está do Outro Lado' - Quem Paga a Conta?

Sinopse: O Verde Está do Outro Lado estabelece um paralelismo entre as experiências do Chile e do Brasil para tratar do acesso das populações à água no mundo, explorando as nuances econômicas e ambientais envolvidas na disputa pela propriedade da água, que irá determinar o futuro do planeta. 

Nenhum governo neoliberal é a serviço do povo, mas sim a serviço de poderosos vindos de fora e dos quais nos seduzem com falsas promessas. Em tempos de privatizações, em que os recursos brasileiros são vendidos a preço de banana para os gringos, cabe fazermos uma reflexão e procurarmos o ponto onde a gente errou. "O Verde Está do Outro Lado" mostra os dois lados da mesma moeda e dos quais ambos estão convivendo com as consequências.
Dirigido pelo estreante Daniel A. Rubio, o filme foi produzido entre Chile e Brasil e do qual traça um paralelo entre as experiências dos dois países a partir da perspectiva da Província de Petorca, a 200 quilômetros de Santiago, e de Correntina, que fica no oeste da Bahia. Entrevistas com moradores da região, ambientalistas e políticos guiam o longa que explora as nuances econômicas e ambientais que regem as batalhas pela propriedade da água. A produção explora os efeitos da privatização da gestão da água vivida pelo Chile em 1981 e seus reflexos negativos quase quatro décadas depois.
O modelo de privatizações vistos no Chile deve servir de exemplo negativo para os demais países, incluindo o Brasil, para que não se tire a água do povo, mas sim encontrando outros meios para compartilhar essa riqueza para todos. Infelizmente, o documentário escancara o verdadeiro veneno de todo esse quadro que acontece nos países latino americanos, tanto no passado, como também em nosso presente. Ao vermos o centro de Nova York, moldada com as suas luzes e cores, percebemos então quem se beneficia com as desgraças de quem vive do outro lado do mundo.
Daniel A. Rubio, por sua vez, cria um ritmo dinâmico em sua obra, onde a sua linha do tempo vem e vai em uma edição caprichada e revelando as consequências das privatizações e da seca que assola as duas terras. Curiosamente, testemunhamos a tentativa de parlamentares em Brasília em tentar passar novas diretrizes para privatizar a água no Brasil. Nesse último caso, a situação fica em aberto, mas quem vive do outro lado da tela sabe muito bem como termina tudo isso.
Em sua reta final, o filme dá um pingo de esperança em tempos nebulosos, ao vermos o povo Chileno recebendo uma forte chuva e testemunhando um território seco começar a encher de água. Infelizmente a esperança é sufocada por falsas promessas, das quais não enganam mais ninguém, mas sim só tentam amenizar o inevitável quadro de calamidade pública. Resta o despertar e a união dos povos, para que assim muitos não morram devido à falta de recursos e com os seus sonhos despedaçados.
"O Verde Está do Outro Lado" é sobre tempos nebulosos, onde vemos as nossas fontes naturais serem vendidas a preço de banana e deixando para nós somente esperanças perdidas. 


Joga no Google e me acha aqui:  

Me sigam no Facebook,  twitter, Linkedlin e Instagram.  

segunda-feira, 26 de agosto de 2019

Cine Curiosidade: Últimas Palavras de Fernanda Young


Bando de cafonas

A Amazônia em chamas, a censura voltando, a economia estagnada, e a pessoa quer falar de quê? Dos cafonas. Do império da cafonice que nos domina. Não exatamente nas roupas que vestimos ou nas músicas que escutamos — a pessoa quer falar do mau gosto existencial. Do que há de cafona na vulgaridade das palavras, na deselegância pública, na ignorância por opção, na mentira como tática, no atraso das ideias.
O cafona fala alto e se orgulha de ser grosseiro e sem compostura. Acha que pode tudo e esfrega sua tosquice na cara dos outros. Não há ética que caiba a ele. Enganar é ok. Agredir é ok. Gentileza, educação, delicadeza, para um convicto e ruidoso cafona, é tudo coisa de maricas.
O cafona manda cimentar o quintal e ladrilhar o jardim. Quer todo mundo igual, cantando o hino. Gosta de frases de efeito e piadas de bicha. Chuta o cachorro, chicoteia o cavalo e mata passarinho. Despreza a ciência, porque ninguém pode ser mais sabido que ele. É rude na língua e flatulento por todos os seus orifícios. Recorre à religião para ser hipócrita e à brutalidade para ser respeitado.
A cafonice detesta a arte, pois não quer ter que entender nada. Odeia o diferente, pois não tem um pingo de originalidade em suas veias. Segura de si, acha que a psicologia não tem necessidade e que desculpa não se pede. Fala o que pensa, principalmente quando não pensa. Fura filas, canta pneus e passa sermões. A cafonice não tem vergonha na cara.
O cafona quer ser autoridade, para poder dar carteiradas. Quer vencer, para ver o outro perder. Quer ser convidado, para cuspir no prato. Quer bajular o poderoso e debochar do necessitado. Quer andar armado. Quer tirar vantagem em tudo. Unidos, os cafonas fazem passeatas de apoio e protestos a favor. Atacam como hienas e se escondem como ratos.
Existe algo mais brega do que um rico roubando? Algo mais chique do que um pobre honesto? É sobre isso que a pessoa quer falar, apesar de tudo que está acontecendo. Porque só o bom gosto pode salvar este país.

Fernanda Yong (1970 - 2019) 

Fonte: O Globo. 

Cine Curiosidade: Vencedores do 47º Festival de Gramado e digo NÃO ao Fascismo


Caminhada de um grupo de diretores, produtores e artistas pelo tapete vermelho encerrou um festival marcado por um forte tom político. No último sábado, por volta de 20h30min, quando vários dos diretores e produtores participantes atravessavam o tapete vermelho em direção ao Palácio dos Festivais entoando um cântico de protesto às recentes declarações e medidas de Jair Bolsonaro tendo o cinema como alvo, como a suspensão de um edital para TVs públicas, frequentadores que lotavam os bares e cafés da Rua Coberta, nas margens do tapete vermelho, responderam com vaias, palavras de ordem e até pedras de gelo.
Na mesma tarde de sábado,  já havia ocorrido um abraço simbólico ao Kikito gigante que adorna o saguão do Palácio dos Festivais. À noite, com cartazes de filmes nas mãos e segurando faixas com declarações contra a censura, os artistas se dirigiram em um grande grupo para a entrada do palácio entoando o cântico "pelo cinema /  pela cultura / por uma arte livre e sem censura". Parte dos espectadores que se aglomeravam desde cedo nos bares da Rua Coberta recepcionaram a passagem com vaias e gritos de apoio a Bolsonaro.

— Ao longo desta semana, nós articulamos uma Carta de Gramado assinada por 63 entidades contra esse desmonte das políticas públicas para a cultura. Esta manifestação deveria fechar a mobilização, mas quando passamos, as pessoas começaram a urrar "Viva o Mito", "Viva Bolsonaro" e a nos chamar de vagabundos e jogar coisas em nós, restos de comida e pedras de gelo. Nunca imaginei passar por isso. Era uma noite de festa, estávamos fazendo um ato que imaginamos que teria uma repercussão para refletir lá em Brasília, não na gente aqui. Foi muito chocante — conta Maira Carvalho, produtora e diretora de arte do filme O Homem Cordial, um dos longas brasileiros em competição.

— Estou tremendo aqui não pela emoção de receber um kikito, mas porque agora há pouco eu estava passando com minha filha de dois anos no colo e um cara nos jogou pedras de gelo. Quando eu me virei para ele mostrando que eu estava com minha filha, ele voltou a jogar. Só quando eu apontei a câmera aí ele se escondeu, como costumam fazer os covardes que realizam esse tipo de agressão — disse Emiliano Cunha no palco do festival, ao receber o prêmio de melhor fotografia concedido a Edu Rabin, da equipe do longa. 

Veja a lista de vencedores do 47º Festival de Gramado:

Longas Brasileiros

Melhor Filme: “Pacarrete”, de Allan Deberton
Melhor Direção: Allan Deberton, “Pacarrete”
Melhor Ator: Paulo Miklos, em “O Homem Cordial”
Melhor Atriz: Marcélia Cartaxo, em “Pacarrete”
Melhor Roteiro: Allan Deberton, André Araújo, Natália Maia e Samuel Brasileiro, por “Pacarrete”
Melhor Fotografia: Edu Rabin, por “Raia 4”
Melhor Montagem: Joana Collier e Fernanda Krumel, por “ Hebe ”
Melhor Trilha Musical: Sascha Kratzer, por “O Homem Cordial”
Melhor Direção de Arte: Tulé Peake, por “ Veneza ”
Melhor Atriz Coadjuvante: Carol Castro, em “Veneza” e Soia Lira, em “Pacarrete”
Melhor Ator Coadjuvante: João Miguel, em “Pacarrete”
Melhor Desenho de Som: Rodrigo Ferrante e Cauê Custódio, por “Pacarrete”
Prêmio especial do Júri: “30 Anos Blues”
Júri da Crítica: “Raia 4”, de Emiliano Cunha
Melhor filme do Júri Popular: “Pacarrete”, de Allan Deberton

Longas estrangeiros

Melhor Filme: “El Despertar de Las Hormigas”, de Antonella Sudasassi Furnis
Melhor Direção: Juan Cáceres, por “Perro Bomba”
Melhor Ator: Fernando Arze, em “Muralla”
Melhor Atriz: Julieta Díaz, “La forma de las horas”
Melhor Roteiro: Bernardo e Rafael Antonaccio, por “En el Pozo”
Melhor Fotografia: Rafael Antonaccio, por “En el Pozo”

Prêmio especial do júri: para as meninas Isabella Moscoso e Avril Alpizar do filme “El despertar de las hormigas’, por suas excelentes atuações.
Menção Honrosa: para a direção de arte de “Dos Fridas”
Júri da Crítica: “El Despertar de Las Hormigas”, de Antonella Sudasassi Furnis
Melhor filme Júri Popular: “Perro Bomba”, de Juan Cáceres

Longas Gaúchos
Melhor filme: Raia 4, de Emiliano Cunha

Curtas Brasileiros
Melhor Filme: “Apneia”, de Carol Sakura e Walkir Fernandes
Melhor Direção: Diogo Leite, por “O Menino Pássaro”
Melhor Ator: Rômulo Braga, em “Marie”
Melhor Atriz: Cassia Damasceno, em “Mulher que Sou”
Melhor Roteiro: Renata Diniz, por “O Véu de Armani”
Melhor Fotografia: Sebastian Cantillo, por “A Ética das Hienas”
Melhor Montagem: Daniel Sena e Thiago Foresti, por “Invasão Espacial"
Melhor Trilha Musical: Carlos Gomes, em “Teoria Sobre Um Planeta Estranho”
Melhor Direção de Arte: Gutor BR, por “Sangro”
Melhor Desenho de Som: Gustavo Soesi, “Um Tempo Só”

Prêmio especial do júri: para as atrizes Divina Valéria e Wallie Ruy, em “Marie”, por nos permitirem vivenciar deslocamentos corporais inesperados e por imaginarem um futuro travesti num país que mais mata trans no mundo.

Júri da Crítica: “Marie”, de Leo Tabosa
Melhor Filme Júri Popular: “Teoria Sobre Um Planeta Estranho”, de Marco Antônio Pereira
Menção Honrosa: a Ester Amanda Schafe, de “A Pedra”, pela vigorosa interpretação e pelo talento promissor que revela.