Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sócio do Clube de Cinema de Porto Alegre, frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 90 certificados) e ministrante do curso Christopher Nolan - A Representação da Realidade. Já fui colaborador de sites como A Hora do Cinema, Cinema Sem Frescura e atualmente sou colunista da pagina Cinema e Movimento. Sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para marcelojs1@outlook.com ou beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2019

Cine Dica: Em Cartaz: "Não Olhe" - Freud Explica

Sinopse: Uma solitária jovem de 18 anos não encontra suporte familiar e nem amigos para que possa desabafar sobre os problemas de sua vida. Cansada, ela começa a conversar com o próprio reflexo no espelho apenas para externalizar sua angústia.


O filme "O Amante Duplo" (2018) de François Ozon criou um dos mais curiosos jogos psicológicos do cinema recente, onde o jogo de câmera, efeitos, e se alinhando com grandes talentos culminou com o seu final surpreendente. Inevitável, portanto, que surgisse filmes que tentasse alcançar o mesmo efeito, mesmo correndo sério risco de ficar aquém do esperado. "Não Olhe” segue uma premissa semelhante, não obtendo o mesmo grande resultado, mas não significa que soe dispensável.  
Maria (India Eisley) irá completar 18 anos, mas a chegada na vida adulta não lhe traz nenhum fruto: pouco sociável, mantém uma relação monótona com os pais, jamais teve namorados ou algo do gênero e sem muitas expectativas para com relação ao futuro. Sua única amiga, Lily (Penelope Mitchell) troca beijos e carícias com o namorado na frente dela e despertando aos poucos os seus desejos dos quais ela nunca alcança.  
Seu pai (Jason Isaacs) é um cirurgião plástico e que acaba saindo com várias pacientes. A mãe (Mira Sorvino) torce por uma melhora no casamento e tenta convencer a sua filha a ir no baile de formatura. Porém, Maria começa a conversar com seu outro lado obscuro através do espelho e despertando nela desejos antes nunca consumados.  
Para o cinéfilo de plantão o filme faz referência a todo o momento ao clássico "O Médico e o Monstro", mas aqui a origem do lado obscuro do ser humano não vem de nenhuma fórmula de laboratório, mas sim de traumas psicológicos que, por vezes, soam inverossímeis, mas também toleráveis. Embora novo na área, o cineasta Assaf Bernstein procura não explicitar sobre o que acontece na tela, mas sim deixar que nós tiremos as nossas próprias conclusões sobre o que acontece na história. O resultado é um filme tenso que, embora saibamos o que virá acontecer em seguida, faz com que não desviamos o olhar.  
Aliás, é notório que há todo um cuidado em cada cena em que o cineasta elabora, onde os jogos de sombras e espelhos, além dos reflexos nos vidros, não são jogados na trama de uma forma gratuita, mas sim esses simbolismos se encontram lá para se casar com a proposta principal da trama. A fotografia obscura e efeitos visuais primários, porém, eficazes, fizeram me lembrar dos filmes de suspense psicológico que emergiram após o estrondoso sucesso de "Psicose" (1960). Ainda é cedo dizer se Assaf Bernstein terá uma carreira promissora, mas se seguir essa linha, obviamente falaremos mais dele daqui em diante.  
Em questão de elenco o sucesso é parcial. Embora nova na área da atuação, India Eiley impressiona no seu papel duplo, mesmo que em alguns momentos o seu desempenho poderia ter se encaminhado por caminhos ainda mais corajosos. E se atuação ambígua de Jason Isaacs soa mais do que óbvia, por outro lado, é bom ver Mira Sorvino de volta numa atuação digna de nota, mesmo que em pouco tempo de tela.  
Com um final em aberto com relação ao destino dos respectivos personagens, “Não Olhe” é aquele típico suspense psicológico que nos prende atenção, mesmo quando determinadas perguntas ficam no ar e que somente serão respondidas quando Freud explicar.  


Me sigam no Facebook,  twitter, Linkedlin e Instagram.  

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2019

Cine Dica: Estreias do final de semana (27/02/19)

A Caminho de Casa 

Sinopse: Bella é uma cadelinha muito especial que vive com Lucas, um estudante de medicina veterinária que trabalha como voluntário em um hospital. Um dia ela é encontrada perdida pelo Controle de Animais e acaba sendo levada para um abrigo a muitos quilômetros de distância de seu dono.

A Casa de Veraneio 

Sinopse: Uma cineasta vai passar férias em uma propriedade na Côte d’Azur com familiares e amigos. Apesar da linda paisagem, ela precisa lidar com um término recente e com os desafios de seu novo filme, enquanto que o isolamento das pessoas ao seu redor as leva a externalizar uma série de sentimentos até então reprimidos.

A Maldição da Freira 

Sinopse: No outono de 1960, os padres Thomas Riley e John Thornton são enviados pelo Vaticano para investigar um evento milagroso em um lar irlandês para mulheres órfãs, grávidas solteiras ou com distúrbios mentais.

Calmaria 

Sinopse: O capitão de um barco de pesca tem um passado misterioso que está prestes a vir à tona. Vivendo em uma pequena ilha do Caribe, sua vida assume um caminho que pode não ser tudo o que parece.

Cinderela Pop

Sinopse: Cintia Dorella é uma adolescente que descobre uma traição no casamento dos pais. Descrente no amor, vai morar na casa da tia e passa a trabalhar como DJ, se tornando a Cinderela Pop. Mas não esperava que um príncipe encantado pudesse se apaixonar por ela.

Crimes Obscuros 

Sinopse: O policial Tadek encontra semelhanças em um livro do artista polonês Krystov Kozlow com o caso de assassinato que está investigando. Ele começa a pesquisar a vida do escritor e da namorada dele, uma mulher misteriosa que trabalha num sex club. 

Made In Italy

Sinopse: Riko é um homem sem sorte que, insatisfeito com seu trabalho e com uma sociedade que não o representa, está passando por dificuldades em manter sua família.

O Silêncio dos Outros

Sinopse: Em 1977, o parlamento espanhol aprovou a Lei de Anistia que garantia a liberdade de todos os presos políticos e a proibição do julgamento de qualquer ato criminoso ocorrido durante a ditadura de Francisco Franco no país.

Tá Rindo de Quê? 

Sinopse: No período da ditadura militar, mesmo com toda brutalidade, truculência e obscurantismo inerentes aos regimes de exceção, muita gente fez rir.

Um Elefante Sentado Quieto

Sinopse: Sob o céu escuro de uma pequena cidade no norte da China, diferentes vidas estão entrelaçadas em uma sociedade marcada pelo egoísmo. Para proteger seu amigo, Wei Bu, de dezesseis anos, empurra o bully da escola das escadas.


Me sigam no Facebook,  twitter, Linkedlin e Instagram.  

Cine Especial: ‘O Dragão Vive - Glauber Rocha 80 anos’ - Parte 1


Nos dias 09 e 10 de março eu estarei na Cinemateca Capitólio Petrobras, onde participarei do curso “O Dragão Vive - Glauber Rocha 80 anos”, criado pelo Cine Um e ministrado pelo jornalista Lennon Macedo. Abaixo confira as principais obras primas desse grande gênio do nosso cinema.  

‘Deus e o Diabo na Terra do Sol’ (1964)  

Sinopse: Manuel (Geraldo Del Rey) é um vaqueiro que se revolta contra a exploração imposta pelo coronel Moraes (Mílton Roda) e acaba matando-o numa briga. Ele passa a ser perseguido por jagunços, o que faz com que fuja com sua esposa Rosa (Yoná Magalhães). O casal se junta aos seguidores do beato Sebastião (Lídio Silva), que promete o fim do sofrimento através do retorno a um catolicismo místico e ritual.

Um dos filmes mais representativos do cinema novo, conseguindo pela maioria dos críticos como o melhor filme de Glauber Rocha. Vigorosos momentos de drama, aventura e poesia, comentados pelas músicas de Heitor Villa Lobos e Sergio Ricardo. Atenção para o magistral desempenho de Othon Bastos, como o cangaceiro Corisco, um dos remanescentes de Lampião. Sempre quando surge em cena, suas palavras falam por si, como quando batiza Manuel de Satanás.  

Curiosidade: Foi rodado nos municípios de Monte Santo, Feira de Santana, Salvador, Canché e Canudos, todos no estado da Bahia. - Foi lançado no Rio de Janeiro em 10 de julho de 1964, nos cinemas Caruso, Ópera e Bruni-Flamengo. 

‘O Dragão da Maldade Contra o Santo Guerreiro’ (1969) 

Sinopse: Quando um matador de cangaceiros é contratado para exterminar um bando e descobre nos criminosos um idealista que o faz rever seus conceitos de vida. 

Sequência oficial de “Deus e o Diabo na terra do Sol”, o filme é uma desconcertante mistura de oporá, macumba, mas principalmente faroeste. O filme é trajado com aquela roupa típica do western: a seca do Nordeste brasileiro constituída de homens duros e impiedosos. Não é nenhuma surpresa ver isso, até mesmo porque o western americano desencadeou muitas afluentes abraçadas por vários países distintos; o Brasil abraçou o cangaço mergulhado na pobreza.  Prêmio de melhor direção no festival de Cannes em 1969. 


TERRA EM TRANSE (1967) 

Sinopse: O senador Porfírio Diaz (Paulo Autran) detesta seu povo e pretende tornar-se imperador de Eldorado, um país localizado na América do Sul. Porém existem diversos homens que querem este poder, que resolvem enfrentá-lo. 

Tido para alguns, como a obra prima de Glauber, o filme pode ter envelhecido para outros, mas não há como negar sua coragem histórica, pois o filme foi lançado em pleno período da ditadura e a trama nada mais era que uma crítica disfarçada daquele tempo. Considerado clássico do Cinema Novo e vencedor do prêmio da crítica em Cannes, é de difícil entendimento para quem não esteja habituado com a integridade linguagem do diretor. 

Curiosidade: Em abril de 1967 o filme foi proibido em todo território nacional, por ser considerado subversivo e irreverente com a Igreja. Depois foi liberado, com a condição de que se desse um nome ao padre interpretado por Jofre Soares. 

Mais informações sobre o curso clique aqui. 


Me sigam no Facebook,  twitter, Linkedlin e Instagram.  

Cine Curiosidade: Projeto Verão no Clima conscientiza população nas praias do Brasil e recebe atriz de cinema Cris Lopes no litoral paulista

Atriz apoia ações de conscientização e reciclagem no Brasil e "visita" golfinhos em Cananéia

No Brasil, a atriz internacional de cinema Cris Lopes esteve no litoral paulistano na cidade de Cananéia visitando e apoiando o Projeto Verão no Clima,  uma ação da Secretaria do Meio Ambiente do governo do estado de São Paulo que tem como objetivo conscientizar a população sobre os danos que são causados ao meio-ambiente com lixo jogado nas praias como por exemplo, tartarugas marinhas e outros animais que morrem por ingerirem diversos restos de detritos lançados ao mar pelos visitantes e moradores como bitucas de cigarros, tampas de garrafas pets usadas, embalagens plásticas entre outros. Orientando a população a não jogar lixos nas praias, o projeto montou oficinas interativas propondo a reciclagem de ítens como pets, tampas plasticas diversas e demais ítens como caixas de ovos, papelão para confeccionar brinquedos para as crianças com amostras das sugestões em exposição no espaço "Verão no Clima" no litoral paulista.

Conhecida por apoiar e divulgar diversas ações de conscientização e educação, Cris Lopes tem levado diversos recados para o mundo, entre elas: a atriz lançou uma loja de artigos usados há mais de 02 anos no Brasil no site enjoei "lojinha da cristi" com figurinos e look que usou em festivais de cinema, premiações e até em atuações em filmes, vendendo ítens usados e também adquire ítens semi-novos como bolsas e sapatos como exemplo sustentável a comunidade.  Comenta a atriz: "Por ter passado bastante tempo na Europa onde essa cultura é muito comum do não-desperdício e passar adiante o que não tem mais utilidade ao invéz de simplesmente jogar fora, aprendi que é uma forma de termos consciência do valor das coisas e o que não serve mais para você pode ter muita utilidade ao próximo. Fico contente que no Brasil já estamos adquirindo esse hábito! AGORA PRECISAMOS APRENDER A PRESERVAR NOSSO MEIO-AMBIENTE E CUIDAR DO NOSSO LIXO"

Cris já produziu e co-dirigiu um documentário no tema da sustentabilidade com o diretor Rodney Borges sobre o Resort brasileiro Costa do Sauípe que gera empregos para a comunidade local adquirindo produtos das hortas dos moradores da região e expondo e comercializando o trabalho das artesãs como bolsas em suas boutiques do resort gerando renda a comunidade.
A atriz também "visitou" os famosos Golfinhos de Cananéia onde vivem mais de 500 da espécie nas lanchas disponíveis para os turistas se encantarem com os "simpáticos moradores" além da paradisiaca Praia do Pereirinha.Cris está no Brasil para filmar próximo longa policial com Jackson Antunes "Metrópole 153 Pela Garantia da Liberdade" de Valerio Salazar.

Curtir Fan Page Cine & TV @crislopesoficial: Atriz internacional Cris Lopes (tv, entrevistas e trailers Brasil e exterior): https://www.facebook.com/crislopesoficial
CRÉDITO FOTOS: equipe Projeto Verão no Clima com atriz internacional Cris Lopes e produtora de eventos Eliana Lopes
 Divulgação: 
Brasil/Portugal/Argentina/Canadá/USA/Japão: IMPRENSA CL: (5511) 3582.7654/3835.7205 Entrevistas WHATSAPP: +5511 99653.0651                                                         email: imprensacl@terra.com.br 

terça-feira, 26 de fevereiro de 2019

Cine Dica: Em Cartaz: 'No Portal da Eternidade' - Um Talento Fora do seu Tempo

Sinopse: 1888. Após sofrer com o ostracismo e a rejeição de suas pinturas em galerias de arte, Vincent Van Gogh (Willem Dafoe) decide ouvir o conselho de seu mentor, Paul Gauguin (Oscar Isaac), e se mudar para Arles, no sul da França.  

Através de uma belíssima animação feita a mão, além da colaboração de atores que serviram de modelo, "Com Amor, Van Gogh" (2017) reconstituía as investigações sobre o que levou o artista a sofrer um assassinato ou até mesmo ter cometido suicídio. Na verdade, até hoje não ficou exatamente claro sobre quais as circunstancias exatas que o artista veio a falecer, ao ponto de inúmeras teorias de conspiração terem surgido ao longo das décadas. “No Portal da Eternidade” busca trazer uma nova luz sobre os últimos dias do artista, mas focando mais a forma em que ele enxergava o mundo em que vivia.
Dirigido por Julian Schnabel, do filme "O Escafandro e a Borboleta" (2007), o cineasta procura fazer uma reconstituição sobre a encruzilhada do artista através do olhar particular que o próprio tinha. Para isso, Schnabel usa a sua câmera em primeira pessoa e filmando de um modo que representasse a maneira em que Van Gogh enxergava o ambiente em sua volta. O resultado impressiona, já que as imagens acabam se tornando muito próximas na forma em que o artista pintava os seus quadros e fazendo levantar inúmeras questões a serem debatidas sobre a real pessoa que ele era perante o mundo.
Aliás, era preciso alguém de quilate para interpretar alguém que possuía tantas camadas a serem analisadas e que até hoje não são explicadas. Coube ao talentoso Willem Dafoe encarnar um ser de grande talento e do qual, talvez, o próprio corpo não aguentaria tamanho fardo. Dafoe transmite em seu olhar todo ar de complexidade e confusão que Van Gogh, talvez, possuísse naqueles dias e sintetizando uma pessoa que se sentia até mesmo fora do seu tempo. A união entre talento do ator e perfeccionismo do cineasta é o que faz de o filme ganhar o seu brilho próprio e obtendo, ao menos, uma camada da superfície da pessoa que Van Gogh havia sido.
"No Portal da Eternidade" é uma declaração de amor para um dos grandes artistas da pintura, do qual se via fora do seu tempo, mas enxergando nele tudo o que os outros não viam.   


Me sigam no Facebook,  twitter, Linkedlin e Instagram.  

Cine Dica: Bruce Baillie e Raros com Roger Corman (29 de fevereiro e 1 de março)

SESSÃO ESPECIAL COM FILMES DE BRUCE BAILLIE
HOMENAGEM A DICK MILLER NO PROJETO RAROS

Balde de Sangue


Cinemateca Capitólio Petrobras apresenta duas exibições especiais antes do recesso de carnaval. Na quinta-feira, 28 de fevereiro, às 20h, a sessão 4x Bruce Baillie apresenta quatro filmes de um dos principais nomes do cinema de vanguarda. Na sexta-feira, 1º de março, às 20h, o Projeto Raros exibe Um Balde de Sangue, de Roger Corman, um dos raros filmes protagonizados pelo lendário ator Dick Miller, morto em janeiro de 2019.

Cinemateca Capitólio Petrobras entra em recesso no sábado, 2 de março. As atividades serão retomadas na quarta-feira, 6 de março, a partir das 14h.

Cinemateca Capitólio Petrobras conta, em 2019, com o projeto Cinemateca Capitólio Petrobras – programação especial 2019 aprovado na Lei Rouanet/Governo Federal, que será realizado pela FUNDACINE – Fundação Cinema RS e possui patrocínio master da PETROBRAS. O projeto contém 26 diferentes atividades entre mostras, sessões noturnas e de cinema acessível, master classes e exposições.

SESSÃO ESPECIAL COM FILMES DE BRUCE BAILLIE

Na quinta-feira, 28 de fevereiro, às 20h, a Cinemateca Capitólio Petrobras apresenta a sessão 4x Bruce Baillie, com quatro filmes de um dos realizadores mais importantes do cinema de vanguarda dos Estados Unidos. A programação exibe restaurações digitais de obras seminais da filmografia de Baillie: três curtas musicais, To Parsifal (1963), All My Life (1966) e Valentin de Las Sierras (1968), e o western cósmico Quick Billy (1970), meditação sobre a os ciclos de vida e morte em quatro bobinas, inspirada no Livro Tibetano dos Mortos. O valor do ingresso é R$ 10,00, com meia entrada para estudantes e idosos.

Com comentários da cineasta e pesquisadora Marcela Bordin e do programador Leonardo Bomfim, a sessão encerra a mostra Quanto Mais Quente Melhor.

BRUCE BAILLIE

Nascido em Dakota do Sul em 1931, Bruce Baillie é uma das principais referências da cena independente de cinema dos anos 1960 e 70 nos Estados Unidos. Ele estudou na Universidade de Minnesota, em Berkeley, na Universidade da Califórnia e na London School of Film Technique. Em 1961, de volta à Califórnia, iniciou em seu quintal o Canyon Cinema, que hoje se tornou um extenso arquivo e distribuidor de artistas que trabalham com imagens em movimento. Ele também fundou, junto com seu colega cineasta Chick Strand, a Cinemateca de San Francisco. Realizou, nos anos 1960 e 1970, obras-primas do filme experimental como Quixote (1965), Castro Street (1966) e Quick Billy (1970). Bruce Baillie ganhou retrospectiva no Brasil em 2015, dentro do Fronteira – Festival Internacional do Filme Documentário e Experimental de Goiânia –, que apresentou diversas obras do cineasta e parte do acervo da Canyon Cinema. No catálogo do festival, o crítico e pesquisador italiano Toni D’Angela destaca a possível relação dos poemas cinematográficos de Baillie com a cultura oriental: “são animados por uma vocação à reconciliação com a natureza, a textura visual é aprimorada com sobreposições, misturas de positivo e negativo relacionadas aos objetivos do processo natural, da transformação da natureza. Beleza e inocência”. No mesmo texto, o pesquisador também observa uma relação intensa com as experiências contraculturais que a Costa Oeste americana viveu nos anos 1960: “visões mórbidas, fluidas, ondulantes e sonhadoras, como se o olho do espectador fosse o contato com os elementos naturais. O olho entre as curvas das ondas, acalentadas pelo vendo, expostas à luz do sol que se altera, na textura delicada das sobreposições, uma experiência sensorial comparável ao LSD".

FILMES

TO PARSIFAL 1963, 16 minutos, 16mm Exibição digital
Direção: Bruce Baillie
Aquele que se torna lentamente sábio.

ALL MY LIFE 1966, 3 minutos, 16mm Exibição digital
Direção: Bruce Baillie
Caspar, Califórnia, cerca velha com rosas vermelhas.

VALENTIN DE LAS SIERRAS 1968, 10 minutos, 16mm Exibição digital
Direção: Bruce Baillie
Canção do herói revolucionário, Valentin, cantada por Jose Santollo Nascido em Santa Cruz de la Soledad; Chapala, Jalisco, México.

QUICK BILLY 1970, 55 minutos, 16mm Exibição digital
Direção: Bruce Baillie
A experiência de transformação entre vida e morte, morte e vida, ou o renascimento em quatro bobinas.


PROJETO RAROS CELEBRA A ARTE DE DICK MILLER

Na sexta-feira, 1º de março, às 20h, o Projeto Raros exibe na Cinemateca Capitólio Petrobras o filme Um Balde de Sangue (A Bucket of Blood, 1959, 66 minutos), de Roger Corman, um dos poucos protagonizados pelo lendário ator Dick Miller, morto no final de janeiro aos 90 anos com quase 200 obras no currículo. Com entrada franca, projeção digital e legendas em português, a sessão será comentada pelo crítico Carlos Thomaz Albornoz e pelo pesquisador Marcelo Severo.

Em Um Balde de Sangue, Dick Miller é Walter Paisley, um garçom sem talento que sonha em se tornar artista. Quando acidentalmente mata o gato de sua vizinha e cobre o corpo de gesso para esconder as provas, o homem acaba aclamado como um grande escultor. Mas o reconhecimento artístico trará consequências mórbidas para a vida de Walter. Filmado em cinco dias, com o roteiro de Charles B. Griffith (A Loja dos Horrores, Attack of the Crab Monsters, A Besta da Caverna Assombrada), Um Balde de Sangue é uma das comédias mais mordazes da filmografia de Corman. 

Dick Miller começou a carreira de ator em 1955, no faroeste O Pistoleiro Solitário, dirigido por Roger Corman, com quem desenvolveu uma longa e prolífica parceria nas décadas seguintes. O ator também trabalhou com grandes pupilos de Corman como James Cameron, Jonathan Demme e Paul Bartel. Tornou-se presença obrigatória na filmografia de Joe Dante, em papéis pequenos mais essenciais em filmes como Piranha, Gremlins, Grito de Horror e Viagem Insólita. Miller também participou de filmes icônicos como Cão Branco, de Samuel Fuller, Depois de Horas, de Martin Scorsese, e 1941: Uma Guerra Muito Louca, de Steven Spielberg. 

Um Balde de Sangue
(A Bucket of Blood)
Estados Unidos, 1959, 66 minutos, digital
Legendas em português
Direção: Roger Corman
Elenco: Dick Miller, Ed Nelson, Bert Convy


GRADE DE HORÁRIOS
28 de fevereiro a 1º de março de 2019

28 de fevereiro (quinta)
14h – O Pecado Mora ao Lado
16h – Homem Livre
18h – Conto de Verão
20h – 4x Bruce Baillie

1º de março (sexta)
14h – Piquenique na Montanha Misteriosa
16h – Homem Livre
18h – A Lei do Desejo
20h – Projeto Raros (Um Balde de Sangue, de Roger Corman)

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2019

Cine Curiosidade: Vencedores do Oscar 2019


Uma noite cheia de surpresas e que culminaria com um final surpreedente. Mas eis que "Green Book - O Guia" estraga a festa daqueles que torciam para os outros filmes e levando para casa o prêmio principal da cerimônia. Nada contra ao filme, acho uma ótima obra que possui mensagens positivas e que nos faz pensar, mas que não creio que irá superar o teste do tempo. Ao meu ver filmes como, por exemplo,"Infiltrado na Klan" e"Roma", irão facilmente serem lembrados daqui a uns dez anos e entrando facilmente na lista dos melhores filmes de todos os tempos. Sem mais polêmicas vejam a baixo a lista completa dos vencedores e com o melhor momento de toda a cerimônia da noite. 


MELHOR ATRIZ COADJUVANTE:
Amy Adams, Vice
Marina de Tavira, Roma
Regina King, Se a Rua Beale Falasse - VENCEDORA
Emma Stone, A Favorita
Rachel Weisz, A Favorita

MELHOR MAQUIAGEM
Border
Vice - VENCEDOR
Duas Rainhas

MELHOR DOCUMENTÁRIO
Free Solo - VENCEDOR
Hale County this Morning, This Evening
Minding the Gap
RBG
Of Fathers and Sons

MELHOR FIGURINO
A Balada de Buster Scruggs
Pantera Negra - VENCEDOR
A Favorita
O Retorno de Mary Poppins
Duas Rainhas

MELHOR MONTAGEM
Infiltrado na Klan
Bohemian Rhapsody - VENCEDOR
A Favorita
Green Book - O Guia
Vice

MELHOR DESIGN DE PRODUÇÃO
Pantera Negra - VENCEDOR
A Favorita
O Primeiro Homem
O Retorno de Mary Poppins
Roma

MELHOR FOTOGRAFIA
Guerra Fria
Roma - VENCEDOR
Nasce Uma Estrela
A Favorita
Nunca Deixe de Lembrar

MELHOR EDIÇÃO DE SOM
Pantera Negra
Bohemian Rhapsody - VENCEDOR
O Primeiro Homem
Um Lugar Silencioso
Roma

MELHOR FILME EM LÍNGUA ESTRANGEIRA
Cafarnaum, Líbano
Guerra Fria, Polônia
Nunca Deixe de Lembrar, Alemanha
Roma, México - VENCEDOR
Assunto de Família, Japão

MELHOR MIXAGEM DE SOM
Pantera Negra
Bohemian Rhapsody - VENCEDOR
O Primeiro Homem
Roma
Nasce Uma Estrela

MELHOR ATOR COADJUVANTE
Mahershala Ali, Green Book - O Guia - VENCEDOR
Adam Driver, Infiltrado na Klan
Sam Elliot, Nasce uma Estrela
Richard E. Grant, Poderia me Perdoar?
Sam Rockwell, Vice

MELHOR ANIMAÇÃO
Os Incríveis 2
Ilha dos Cachorros
Mirai
WiFi Ralph: Quebrando a Internet
Homem-Aranha no Aranhaverso - VENCEDOR

MELHOR CURTA ANIMADO
Comportamento Animal
Bao - VENCEDOR
Fim de Tarde
Um Pequeno Passo
Weekends

MELHOR DOCUMENTÁRIO EM CURTA METRAGEM
Black Sheep
A Partida Final
Lifeboat
Uma Noite no Madison Square Garden
Absorvendo o Tabu - VENCEDOR

MELHOR CURTA METRAGEM DE FICÇÃO
Detainment
Fauve
Marguerite
Mother
Skin - VENCEDOR

MELHORES EFEITOS VISUAIS
Vingadores: Guerra Infinita
Christopher Robin - Um Reencontro Inesquecível
O Primeiro Homem - VENCEDOR
Jogador Nº 1
Han Solo - Uma História Star Wars

MELHOR ROTEIRO ADAPTADO
A Balada de Buster Scruggs
Infiltrado na Klan - VENCEDOR
Poderia me Perdoar?
Se a Rua Beale Falasse
Nasce Uma Estrela

MELHOR ROTEIRO ORIGINAL
A Favorita
No Coração da Escuridão
Green Book - O Guia - VENCEDOR
Roma
Vice

MELHOR TRILHA SONORA
Pantera Negra - VENCEDOR
Infiltrado na Klan
Se a Rua Beale Falasse
Ilha dos Cachorros
O Retorno de Mary Poppins

MELHOR CANÇÃO ORIGINAL
"All The Stars", Pantera Negra
"I'll Fight", RBG
"Shallow", Nasce uma Estrela - VENCEDOR
"The Place Where Lost Things Go", O Retorno de Mary Poppins
"When A Cowboy Trades His Spurs For Wings", A Balada de Buster Scruggs

MELHOR ATOR
Christian Bale, Vice
Bradley Cooper, Nasce Uma Estrela
Willem Dafoe, No Portal da Eternidade
Rami Malek, Bohemian Rhapsody - VENCEDOR
Viggo Mortensen, Green Book - O Guia

MELHOR ATRIZ
Yalitza Aparicio, Roma
Glenn Close, A Esposa
Olivia Colman, A Favorita - VENCEDOR
Lady Gaga, Nasce Uma Estrela
Melissa McCarthy, Poderia me Perdoar?

MELHOR DIREÇÃO
Spike Lee, Infiltrado na Klan
Paweł Pawlikowski, Guerra Fria
Yorgos Lanthimos, A Favorita
Alfonso Cuáron, Roma - VENCEDOR
Adam McKay, Vice

MELHOR FILME
Pantera Negra
Infiltrado na Klan
Bohemian Rhapsody
A Favorita
Green Book - O Guia - VENCEDOR
Roma
Nasce Uma Estrela
Vice


Me sigam no Facebook,  twitter, Linkedlin e Instagram.