Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sócio do Clube de Cinema de Porto Alegre, frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 98 certificados) e ministrante do curso Christopher Nolan - A Representação da Realidade. Já fui colaborador de sites como A Hora do Cinema, Cinema Sem Frescura, Cinema e Movimento e Cinesofia. Sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para marcelojs1@outlook.com ou beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

segunda-feira, 11 de junho de 2012

Cine Especial; Historia do Cinema Brasileiro: Parte 6

Nos dias 16 e 17 de Junho, estarei participando do curso HISTORIA DO CINEMA BRASILEIRO, criado pelo CENA UM  e ministrado pelo jornalista Franthiesco Ballerini. E enquanto os dois dias não vêm, por aqui, falarei um pouco desse universo verde amarelo do nosso cinema.

O Cangaceiro

Sinopse: O bando de cangaceiros do capitão Gaudino semeia o terror pela caatinga nordestina. A professora Maria Clódia, raptada durante um assalto do grupo, se apaixona pelo pacífico Teodoro. O forte amor entre os dois gera grande conflito.

Primeiro êxito internacional do cinema brasileiro. Visto hoje, parece ingênuo e um tanto superficial, mas que não diminui a sua importante para o nosso cinema. Ganhou prêmio em Cannes como melhor filme de aventura. 

   Vidas secas  

Sinopse: Pressionados pela seca, uma família de retirantes composta por Fabiano, Sinhá Vitória, o menino mais velho, o menino mais novo e a cachorra Baleia, atravessam o sertão em busca de meios para sobreviver.

Adaptado com surpreendente fidelidade, o livro de Graciliano Ramos, se transformou numa das mais marcantes obras do cinema novo. Do elenco irrepreensível á fotografia em preto e branco, tudo remete ao estilo seco e contundente do romance.    

Os fuzis

Sinopse: Um grupo de soldados é enviado ao nordeste do Brasil para impedir que cidadãos pobres saqueiem armazéns por causa da fome.

Dramática e contundente obra do cinema novo do diretor Ruy Guerra. Premiado no festival de Berlim,  alguns dos personagens, em uma espécie de continuação, reaparecem em A Queda (76), do próprio Ruy Guerra.   

Me Sigam no Facebook e Twitter:

Nenhum comentário: