Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sócio e Diretor de Comunicação e Informática do Clube de Cinema de Porto Alegre, frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 99 certificados) e ministrante do curso Christopher Nolan - A Representação da Realidade. Já fui colaborador de sites como A Hora do Cinema, Cinema Sem Frescura, Cinema e Movimento e Cinesofia. Sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para marcelojs1@outlook.com ou beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

terça-feira, 22 de novembro de 2022

Cine Dica: Em Cartaz - 'Meu Tio José'

Sinopse: Meu Tio José é uma animação que conta história de José Sebastião Rio de Moura, membro do movimento de esquerda "Dissidência da Guanabara". Ele participou do sequestro do embaixador estadunidense Charles Elbrick em 1969 e ficou exilado no exterior por 10 anos. 

Em tempos atuais em que uma boa parte da população brasileira conservadora deseja um golpe militar após as eleições presidenciais desse ano é preciso, acima de tudo, olhar para trás e constar que esse desejo pelo golpismo já existe há bastante tempo. Nos tempos de chumbo, por exemplo, diversas pessoas caíram na clandestinidade para enfrentar um governo comandado por milicos e dos quais estes últimos jamais deveriam ter entrado. "Meu Tio José" (2021) fala sobre a vida de um militante e que serviu de inspiração para o seu sobrinho e dar a ele um novo passo em meio a redemocratização do país.

Dirigido por Ducca Rios, o filme é uma animação que conta história de José Sebastião Rio de Moura, membro do movimento de esquerda "Dissidência da Guanabara". Ele participou do sequestro do embaixador estadunidense Charles Elbrick em 1969 e ficou exilado no exterior por 10 anos. Quando retorna ao Brasil, ele é vítima de um atentado que culmina em sua morte. No mesmo dia de seu assassinato, seu sobrinho Adonias precisa escrever uma redação na escola. O menino precisa lidar com o luto de perder o tio e decide transformar a tristeza em homenagem a José através de seu trabalho.

O grande charme do filme está no fato da trama ser apresentada pela perspectiva do jovem sobrinho, do qual desconhece sobre a vida do Tio, mas que aos poucos vai se revelando para ele de um modo surpreendente. Dividida em capítulos, o filme é todo pincelado por um traço simples, porém, rico nos detalhes e dos quais são orquestrados pela forma como o jovem sobrinho enxerga o passado do seu tio e do qual ainda ecoa em seu presente. Pelo fato de tanto o sobrinho como o tio terem aptidão para desenhar, o filme é uma bela homenagem a essa arte e cujo os chargistas de ontem e hoje exprimem através do seu traço os rumos que o país vem percorrendo.

Curiosamente, o filme me lembrou bastante do ótimo "Persépolis"(2007), já que ambas as obras retratam a estabilidade de um país, para logo depois cair nas mãos do poder ditatorial e cujo o discurso sobre os bons costumes e Deus acima de tudo não passam de uma verdadeira cortina de fumaça para encobrir os horrores dos porões destes períodos. Dublado por Wagner Moura, José transita entre os sonhos com a realidade crua, o que faz dele um militante quase radical, mas cuja as suas ações são justificáveis perante a barbárie que os tempos de chumbo haviam cometido. Ao final, o sobrinho aprende o verdadeiro significado sobre o que é liberdade, da qual é preciso lutar pela ideia de um país livre, mesmo que haja dor e sacrifício ao longo deste percurso.

"Meu Tio José" retrata tempos de um Brasil que transitava entre a Democracia e a perseguição política e da qual ecoa até nos dias de hoje e que precisa ser ouvida.  


   Faça parte:


Mais informações através das redes sociais:

Facebook: www.facebook.com/ccpa1948

twitter: @ccpa1948  
Instagram: @ccpa1948 

Joga no Google e me acha aqui:  
Me sigam no Facebook twitter, Linkedlin e Instagram.  

Nenhum comentário: