Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sócio do Clube de Cinema de Porto Alegre, frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 98 certificados) e ministrante do curso Christopher Nolan - A Representação da Realidade. Já fui colaborador de sites como A Hora do Cinema, Cinema Sem Frescura, Cinema e Movimento e Cinesofia. Sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para marcelojs1@outlook.com ou beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

terça-feira, 14 de agosto de 2018

Cine Dica: PROJETO RAROS CELEBRA CENTENÁRIO DE ROBERT ALDRICH



Na sexta-feira, 17 de agosto, às 19h30, a Cinemateca Capitólio Petrobras apresenta uma edição especial do Projeto Raros para celebrar o centenário do diretor Robert Aldrich, com a exibição de seu favorito pessoal, Triângulo Feminino (The Killing of Sister George, 1968, 138 minutos). Com projeção digital, legendas em português e apresentação do programador Leonardo Bomfim, a sessão tem entrada franca.
O filme russo Tesnota, de Kantemir Balagov (ingressos a R$ 16,00), e a mostra 1970: Os enigmas da ficção-científica (ingressos a R$ 10,00) seguem em exibição até o dia 22 de agosto.

PROJETO RAROS
Triângulo Feminino
(The Killing of Sister George)
EUA/Reino Unido, 1968, 138 minutos
Direção: Robert Aldrich
Em Triângulo Feminino, June Duckbridge é uma atriz de meia idade prestes a perder o emprego na novela mais popular do país durante décadas. Pior do que isso é o fato dela suspeitar que a sua jovem namorada está tendo um caso com outra mulher.
Do faroeste ao filme policial, dos filmes de guerra aos tensos retratos de estrelas decadentes, Robert Aldrich chacoalhou as estruturas do cinema hollywoodiano desde anos 1950, tornando-se um dos precursores – na abordagem de temas delicados, na escolha subversiva de seus personagens principais – da Nova Hollywood dos anos 1960 e 70.
Em 1968, Aldrich vinha do enorme sucesso de Os Doze Condenados, com dinheiro e autonomia criativa. Apostou em dois projetos extremamente pessoais: A Lenda de Lylah Clare, uma revisitação radical de Um Corpo que Cai, clássico de Hitchcock, com a atriz Kim Novak interpretando novamente uma mulher idêntica a outra, desta vez uma estrela do cinema morta de forma misteriosa, e Triângulo Feminino, adaptação da peça de Frank Marcus, um dos primeiros filmes de Hollywood a lidar abertamente com a homossexualidade feminina. Se o primeiro filme acabou como um dos fracassos mais incríveis de sua carreira, o segundo teve grandes problemas com a censura em vários países. Nos Estados Unidos, Aldrich foi um dos primeiros a ganhar o X-Rated (impróprio para menores), logo após o fim do Código Hays, que vetava previamente, antes mesmo da filmagem, uma série de temas e situações.


GRADE DE HORÁRIOS
16 a 22 de agosto de 2018

16 de agosto (quinta-feira)
14h – Fuga no Século 23
16h – Tesnota
18h – Geração Proteus
19h45 - Capricórnio Um

17 de agosto (sexta-feira)
14h – No Mundo de 2020
16h – Tesnota
18h – Fase IV: Destruição
19h30 – Projeto Raros Especial (Triângulo Feminino, de Robert Aldrich)

18 de agosto (sábado)
14h – Corrida Silenciosa
16h – Tesnota
18h – Os Invasores de Corpos
20h – A Ilha do Sol

19 de agosto (domingo)
14h – Colossus 1980
16h – Tesnota
18h30 – Sessão de pré-lançamento de Unicórnio + debate

21 de agosto (terça)
14h – Westworld: Onde Ninguém Tem Alma
16h – Tesnota
18h – Ano 2003 - Operação Terra
20h - Zardoz

22 de agosto (quarta)
14h – O Planeta dos Macacos
16h – Tesnota
18h – De Volta ao Planeta dos Macacos
20h – Matadouro 5

Nenhum comentário: