Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sócio do Clube de Cinema de Porto Alegre, frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 98 certificados) e ministrante do curso Christopher Nolan - A Representação da Realidade. Já fui colaborador de sites como A Hora do Cinema, Cinema Sem Frescura, Cinema e Movimento e Cinesofia. Sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para marcelojs1@outlook.com ou beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

quinta-feira, 16 de agosto de 2018

Cine Dica: Filme de Thomas Elsaesser e pré-estreia de Unicórnio



FILME DE THOMAS ELSAESSER E SESSÃO ESPECIAL DE UNICÓRNIO SÃO ATRAÇÕES DA SEMANA NA CINEMATECA CAPITÓLIO PETROBRAS
 Unicórnio

No sábado, 18 de agosto, às 20h, a Cinemateca Capitólio Petrobras apresenta a exibição do filme A Ilha do Sol (Die Sonneninsel, 2017, 60 minutos), dirigido pelo alemão Thomas Elsaesser, importante nome dos estudos internacionais de cinema. O evento é uma co-realização do PPG em Comunicação – Unisinos, do Curso de Realização Audiovisual – Unisinos, do Instituto Goethe, e do Risco Cinema. Entrada franca.
No domingo, 19 de agosto, às 18h30, a Cinemateca Capitólio Petrobras apresenta a sessão especial de pré-estreia do filme Unicórnio, adaptação da obra da escritora Hilda Hilst, com a presença do diretor Eduardo Nunes. O valor do ingresso é R$ 10,00, com meia entrada para estudantes e idosos.

A ILHA DO SOL DE THOMAS ELSAESSER
A Ilha do Sol
(Die Sonneninsel)
Alemanha, 2017, 60 minutos
HD com legendas em português
Direção: Thomas Elsaesser
Um filme-ensaio sobre coincidências, vidas destruídas e glória póstuma, mas também um filme familiar sobre paixões e amizades em Berlim entre duas guerras. A carreira de um arquiteto modernista, Martin Elsaesser (1884 - 1957) está no centro deste filme.
Thomas Elsaesser é professor emérito de Estudos de Cinema e Televisão na Universidade de Amsterdã, Elsaesser leciona desde 1976 como professor visitante em universidades dos Estados Unidos, principalmente na Universidade de Iowa, na Universidade da Califórnia (Los Angeles, San Diego, Berkeley, Irvine, Santa Bárbara), na Universidade de Nova York e na Universidade de Yale.
Entre 2000 e 2005, coordenou um projeto de pesquisa internacional sobre Cinema Europeu na Universidade de Amsterdã. O projeto resultou em várias publicações de livros sobre cinema europeu, história do cinema, cinema contemporâneo, os movimentos de vanguarda e sociedade cinematográfica europeia, e o circuito de festivais de cinema europeus. Outros estudos do projeto foram dedicados a estudos comparativos, como a narração pós-clássica e o cinema mundial, o cinema, a guerra e a memória, a música no cinema europeu dos anos 90 e vários estudos sobre as cidades europeias e a cultura das mídias.
Elsaesser é um importante representante dos estudos internacionais de cinema, cujos livros e ensaios sobre teoria do cinema, teoria do gênero, Hollywood, história do cinema, arqueologia e novas mídias, cinema europeu de arte e arte de instalação foram publicados em mais de 20 idiomas. Em 2013 ele se tornou professor visitante da Escola de Artes da Universidade de Columbia.

Organização:
João Martins Ladeira, Milton do Prado, Adilson Mendes, Julio Bezerra, Lucas Murari, Luiz Garcia
Realização: PPG em Comunicação – Unisinos Curso de Realização Audiovisual – Unisinos Instituto Goethe Risco Cinema
Apoio: Edições SESC – SP Cinemateca Capitólio
 
UNICÓRNIO DE EDUARDO NUNES
Unicórnio
Brasil, 2017, 122 minutos
DCP
Diretor: Eduardo Nunes
Distribuição: Vitrine Filmes
Maria, uma menina, está sentada num banco ao lado de seu pai. A conversa que eles têm ali conduz a narrativa do filme: acompanhamos a história na rústica casa de campo, onde ela mora com a mãe e onde as duas aguardam a volta deste mesmo pai. A relação entre Maria e a sua mãe muda com a chegada de um outro homem.​
Eduardo Nunes nasceu em 1969, em Niterói, e estudou cinema na UFF. Seus curtas foram exibidos em importantes festivais pelo mundo e receberam mais de 50 prêmios internacionais. Seu primeiro longa como diretor, Sudoeste (2011), estreou na competição do Festival de Roterdã e ganhou três prêmios no Festival do Rio, incluindo o Prêmio Especial do Júri. Unicórnio é seu segundo longa.

Nenhum comentário: