Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sócio do Clube de Cinema de Porto Alegre, frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 98 certificados) e ministrante do curso Christopher Nolan - A Representação da Realidade. Já fui colaborador de sites como A Hora do Cinema, Cinema Sem Frescura, Cinema e Movimento e Cinesofia. Sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para marcelojs1@outlook.com ou beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

quarta-feira, 18 de julho de 2018

Cine Dica: Em Cartaz: Desobediência



Sinopse: Ronit precisa voltar para sua cidade natal após a morte de seu pai, um rabino. Uma vez de volta, ela recorda a paixão proibida pela melhor amiga de infância, atualmente casada com seu primo, e as duas exploram os limites da fé e sexualidade.
 

Em Azul é a cor mais quente o cineasta Abdellatif Kechiche procurava apresentar as protagonistas principais de uma maneira perfeccionista, gradual e para que somente assim fosse apresentado o ato sexual ao ser consumado por ambas as personagens. O sexo, portanto, não é apresentado de uma forma gratuita, mas sim é inserido como consequência válida após uma elaborada história de encontros e desencontros de duas pessoas que se apaixonam. O cineasta Chileno Sebastián Lelio (Glória) segue essa mesma cartilha e revelando aos poucos a verdadeira natureza dessa história de amor em meio a questões que vão desde a religião, repressão e de saber aceitar as diferenças do próximo.
Baseado no livro de Naomi Alderman, o filme conta a história de Ronit (Rachel Weisz), uma fotografa profissional e independente, mas que recebe um telefonema avisando que o seu pai e rabino veio a falecer. Retornando a sua terra natal, Ronit dá de encontro com amigos do passado, como no caso de Dovid (Alessandro Nivola de Coco antes de Chanel) e que se torna o próximo sucessor do rabino. Para a surpresa de Ronit, Dovid está casado com Esti (Rachel McAdams de Doutor Estranho) e o reencontro das duas irá revelar sentimentos do passado há muito tempo adormecidos.
Após vencer o Oscar de filme estrangeiro pelo maravilhoso Uma Mulher Fantástica, Sebastián Lelio se torna a mais nova promessa do Chile fora do seu país e aqui ele comprova que irá muito mais longe do que a gente possa imaginar. Não tendo a menor pressa, o cineasta vai apresentando os personagens aos poucos, para somente assim ficarmos sabendo com exatidão quem são eles e quais as ligações de cada um em meio à questão da morte do rabino. É aí que ele é hábil em nos pregar até mesmo uma peça, principalmente para aqueles que não se informaram muito sobre a real natureza da história e fazendo com que a revelação se torne até mesmo bombástica.
Com uma bela fotografia, o filme é primoroso ao revelar uma Londres acolhedora, mas não escondendo o seu conservadorismo que surge pelas frestas. Mas embora esse conservadorismo possa vir, por exemplo, da própria religião, Sebastián Lelio procura não tachar a religião judia vista no filme como vilã, mas sim fazendo com que ela se torne parte integrante, seja para bem ou para o mal, na formação dos personagens centrais. Testemunhamos, então, o trio central lutar contra suas próprias crenças, desejos e do próprio olhar daqueles que o cercam.
É claro que o filme não funcionaria sem a presença de ótimo interpretes e aqui eles se entregam por completo aos seus personagens. Tanto Rachel Wisz como Rachel McAdams possuem uma fortíssima química de ambas em cena, sendo que MacAdams, aliás, transmite uma aura de ambiguidade com relação às reais intenções de sua personagem no início da trama, mas quando se dá a revelação de sua real natureza o relacionamento de ambas as personagens explode na tela: a cena de amor de ambas  é sensual, ousado e muito bem filmado.
Mas se as duas são alma do filme, o personagem de Alessandro Nivola se torna o coração em conflito da trama. Dividido entre a responsabilidade em ser o sucessor do rabino e manter a sua mulher dentro das regras da religião, mesmo havendo um alto preço, Nivola cria para o seu Ronit um personagem que vai aos poucos se descascando e revelando um ser moldado pelo que ele acredita, mas não desconsiderando os ventos da mudança e dos quais precisam ser aceitos, mesmo em meio às velhas tradições praticadas em seu mundo. Se apresentando de uma forma tímida, Alessandro Nivola surpreende na revolução do seu personagem e culminando em um final tocante e surpreendente. 
Desobediência fala sobre a luta pessoal das pessoas de hoje em querer abraçar as suas reais naturezas, em meio a uma repressão silenciosa e da qual precisa ser extinta.  
 
Onde assistir: GNC Moinhos 3, as 19h15min. Moinhos Shopping. Rua Olávo Barreto Viana, n36º - Moinhos de Vento, Porto Alegre.



Me sigam no Facebook, twitter, Google+ e instagram

Um comentário:

Unknown disse...

Este filme me surpreendeu. Eu acho que Rachel McAdams é incrível no papel. É uma atriz excelente! Eu a vi no cinema faz pouco e devo dizer que adorei! Eu sempre amo os papeis que ela faz nos seus filmes. Faz uma grande química com todo o elenco, vai além dos seus limites e se entrega ao personagens. Um dos melhores filmes de Rachel McAdams. Eu recomendo, é um filme superou as minhas expectativas, o ritmo da historia nos captura a todo o momento. É algo muito diferente ao que estávamos acostumados a ver.