Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sócio do Clube de Cinema de Porto Alegre, frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 98 certificados) e ministrante do curso Christopher Nolan - A Representação da Realidade. Já fui colaborador de sites como A Hora do Cinema, Cinema Sem Frescura, Cinema e Movimento e Cinesofia. Sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para marcelojs1@outlook.com ou beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

segunda-feira, 2 de julho de 2018

Cine Dica: Em Cartaz: Auto de Resistência



Sinopse: Auto de Resistência é um documentário sobre homicídios praticados pela polícia contra civis, no Rio de Janeiro, em situações inicialmente classificadas como legítima defesa. O morto é acusado de ser traficante e ter trocado tiros com a polícia, mas a narrativa policial é posta em cheque pelo surgimento de vídeos e pela luta de mães que tentam provar a inocência de seus filhos.
 
No cinema direto, como documentários recentes como, por exemplo, O Processo, a câmera tornasse apenas observadora, mas fazendo com que a gente se torne testemunha de situações em que a realidade bate em nossa cara. Em tempos retrógrados, onde os direitos humanos são cada vez mais jogados para debaixo do pano, esse tipo de obra deve ser obrigatoriamente cada vez mais assistido, analisado e debatido. Auto de Resistência é mais do que um cinema direto, como também uma obra que denuncia o lado fascista que se esconde em meio a policiais profissionais e elevando um número cada vez maior de vitimas inocentes em meio a uma guerra não declarada.
Dirigido por Natasha Neri e Lula Carvalho, o filme acompanha os julgamentos de policiais que foram acusados de atirar e matar civis enquanto faziam as suas patrulhas nas favelas do Rio de Janeiro. Ao mesmo tempo acompanhamos a luta árdua de mães que perderam os seus filhos de uma forma absurda e que buscam por justiça por meios legais dos quais o estado prega. Porém, a justiça parece em alguns momentos falha e que, infelizmente, tarda.
Dividido por algumas linhas narrativas, onde acompanhamos determinados casos, Natasha Neri e Lula Carvalho obtêm registros precisos dos verdadeiros fatos de cada situação, onde testemunhamos a reconstituição dos dois lados, mas colocando na tela algo muito além dos depoimentos. Para começar, os cineastas conseguiram registros precisos, seja do celular das vítimas, ou das câmeras dos próprios policiais e obtendo um quadro preciso do que realmente aconteceu em situações que quase nunca são pegas em flagrante. Em dois casos, por exemplo, testemunhamos policiais dentro de sua viatura onde atiram em jovens que estavam correndo na rua desarmados e de policiais fortemente armados que, dentro de um helicóptero, disparam inúmeras vezes quando sobrevoavam uma favela e causando consequências desastrosas.
Mesmo que de uma forma indireta, o documentário também entra no terreno dos subgêneros dos filmes de tribunais, onde acompanhamos os julgamentos que, por vezes, terminam em bate boca entre promotoria e a defesa dos acusados. Isso faz com que se gere uma tensão em determinados momentos e que, ao mesmo tempo, gerando uma preocupação cada vez mais crescente em meio aos familiares das vítimas que observam atônitos uma justiça cada vez mais parcial e falha contra eles. O ápice disso é observamos as inúmeras pilhas de processos vistos na tela que, na maioria casos, são arquivados por falta de provas ou pelo desinteresse de um governo carioca cada vez mais sem noção sobre o que realmente fazer contra a violência que aflige os seus moradores no seu dia a dia.
Com a participação da defensora dos direitos humanos Marielle Franco (morta no último mês de março), Auto de Resistência é um legitimo “cinema denúncia”, onde testemunhamos alguns casos criminais para serem solucionados, mas representando inúmeros outros que nunca alcançam uma luz no fim do túnel.  

Onde assistir: Cinebancários: Rua General Câmara, nº 424, centro de Porto Alegre. Horários: 17h e 19h.   


Nenhum comentário: