Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sócio do Clube de Cinema de Porto Alegre, frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 98 certificados) e ministrante do curso Christopher Nolan - A Representação da Realidade. Já fui colaborador de sites como A Hora do Cinema, Cinema Sem Frescura, Cinema e Movimento e Cinesofia. Sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para marcelojs1@outlook.com ou beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

quinta-feira, 5 de julho de 2018

Cine Dica: DOCUMENTÁRIO SOBRE HISTÓRIA DO MORRO DO CASTELO ENTRA EM CARTAZ NA CINEMATECA CAPITÓLIO PETROBRAS



Baronesa

Os filmes O Desmonte do Monte, de Sinai Sganzerla, e Baronesa, de Juliana Antunes, ganham exibição na Cinemateca Capitólio Petrobras até o dia 11 de julho. O valor do ingresso para o filme de Sganzerla é R$ 16,00. Para o filme Baronesa, ingresso promocional de R$ 10,00. Estudantes e idosos pagam meia.

O DESMONTE DO MONTE

Brasil, 2017, 85 minutos DCP
Direção: Sinai Sganzerla
O documentário O Desmonte do Monte aborda a história do Morro do Castelo, seu desmonte e arrastamento. O Morro do Castelo, conhecido como “Colina Sagrada”, foi escolhido pelos colonizadores portugueses para ser o local das primeiras moradias e fundação da cidade do Rio de Janeiro. Apesar de sua importância histórica e arquitetônica, o morro foi destruído por reformas urbanísticas com o intuito de “higienizar” a cidade e também de promover a especulação imobiliária.
O filme aborda a lenda do tesouro armazenado nas entranhas do morro e conta com trechos de O Subterrâneo do Morro do Castelo, escrito por Lima Barreto que foi uma das poucas vozes que defendeu publicamente a permanência e vida do Morro do Castelo de São Sebastião. O filme tem sua narrativa baseada em iconografias e pinturas de diversos períodos, desde a fundação da cidade de São Sebastião até os dias atuais e conta com imagens em movimento da Celebração do Centenário da Independência do Brasil, em 1922, evento realizado com as terras do desmonte do Morro do Castelo, e também com depoimentos de áudio de ex-moradores do Morro do Castelo e dos engenheiros que trabalharam no seu desmonte.

BARONESA

Cor/DCP – 70′
Brasil – 2017
Direção: Juliana Antunes
No dia 28 de junho, a diretora participa de um debate após a sessão.
Andreia quer se mudar. Leid espera pelo marido preso. Vizinhas em um bairro na periferia de Belo Horizonte, elas tentam se desviar dos perigos de uma guerra do tráfico e evitar as tragédias trazidas junto com a chuva.
O longa mostra o dia a dia de duas vizinhas e amigas que moram na periferia de BH. De um lado, Andreia começa a construir sua casa para se mudar. Do outro, Leid e os filhos estão à espera do marido, que está preso. Em comum, a necessidade de se desviar dos perigos da guerra do tráfico e a estratégia para evitar as tragédias trazidas como consequência. Segundo Juliana Antunes, que também assina o roteiro do filme híbrido, a história era escrita diariamente, muito em função dos acontecimentos imprevisíveis da vida na periferia.

GRADE DE HORÁRIOS

5 a 11 de julho de 2018

5 de julho (quinta)
16h - Baronesa
17h30 – O Desmonte do Monte
19h – Velocipastor
20h30 – Aterrorizados

6 de julho (sexta)
(neste dia a programação começa às 19h em razão do jogo do Brasil na Copa do Mundo)
19h – Ederlezi Rising
20h30 - Puppet Master: The Littlest Reich

7 de julho (sábado)
14h30 - Baronesa
16h - O Desmonte do Monte
18h – The Dark
20h – Hagazussa

8 de julho (domingo)
14h30 - Baronesa
16h - O Desmonte do Monte
18h – Nosferatu
20h – Frankenstein

10 de julho (terça)
16h - Baronesa
17h30 – O Desmonte do Monte
19h – Luz
20h30 – Os Tigres Não Têm Medo

11 de julho (quarta)
16h - Baronesa
17h30 – O Desmonte do Monte
19h - Matar a Deus
20h30 - Vidar, o Vampiro

Nenhum comentário: