Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sócio do Clube de Cinema de Porto Alegre, frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 98 certificados) e ministrante do curso Christopher Nolan - A Representação da Realidade. Já fui colaborador de sites como A Hora do Cinema, Cinema Sem Frescura, Cinema e Movimento e Cinesofia. Sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para marcelojs1@outlook.com ou beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Cine Dica: Em Blu-Ray, DVD, Netflix e locação via TV a cabo



No Limite do Amanhã


Leia a minha critica já publicada clicando aqui


TEOREMA ZERO


Sinopse: O Teorema Zero conta a história de Qohen Leth (Christoph Waltz), um excêntrico e recluso hacker, que é convocado por uma misteriosa empresa para resolver o Teorema Zero, uma fórmula capaz de determinar o verdadeiro sentido da vida.

Filme mentalmente perturbador, delirante e profundo. E, além disso,  excêntrico e esquizóide, onde o personagem principal, muito bem encarnado pelo Christoph Waltz vive mais para dentro do que para fora. É exageradamente  excêntrico e estranho, mas isso é absolutamente proposital e coerente num filme com essa proposta.
Basta apenas conhecer melhor os conceitos de distopia e "orwellianismo", ou seja, baseados nas inspirações e obras de George Orwell, demonstrando uma sociedade futurista e tecnologicamente avançada, mas emocional e espiritualmente debilitada e degenerada, ainda contanto com um regime totalitário e que usa do artifício do "Big Brother", onde todos são vigiados constantemente e privacidade é uma relíquia dificilmente encontrada. 
Em suma, é um filme mais filosófico, conceitual e simbólico (e ele está cheio de símbolos e alusões ao cotidiano) do que divertido, mas ainda vale ser assistido, principalmente pelas atuações. 
 


Me sigam no Facebook, twitter e Google+

Nenhum comentário: