Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sócio do Clube de Cinema de Porto Alegre, frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 98 certificados) e ministrante do curso Christopher Nolan - A Representação da Realidade. Já fui colaborador de sites como A Hora do Cinema, Cinema Sem Frescura, Cinema e Movimento e Cinesofia. Sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para marcelojs1@outlook.com ou beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

segunda-feira, 2 de setembro de 2019

Cine Dica: Segunda Guerra Mundial na Sala Redenção

Tora!Tora!Tora!

Na última semana, de 26 a 30 de agosto, o cinema universitário da UFRGS recebeu quatro filmes que ilustram o cenário pré-Segunda Guerra Mundial. Na sequência, de 2 a 6 de setembro, a Sala Redenção exibirá dez sessões de longas que retratam momentos simbólicos do maior conflito militar do século XX na Mostra 2ª Guerra Mundial.
Em linha cronológica ao conflito, o filme que abre a programação da próxima semana tem sua história iniciada em setembro de 1939, após a ocupação da Polônia pelos nazistas, a oeste, e dos soviéticos, a leste, em meio ao pacto de não-agressão germano-soviético (Ribbentrop-Molotov). O longa Katyn ilustra o genocídio perpetrado pelo Exército Vermelho aos nativos de uma floresta naquele país.
Além do drama polonês, a mostra traz descrições de batalhas vitais da Segunda Guerra Mundial, como a luta no céu britânico entre as forças da Royal Air Force e a Luftwaffe pelo controle aéreo do Reino Unido e do Canal da Mancha. O clássico A Batalha da Grã-Bretanha, de 1969, foi dirigido por Guy Hamilton. O ciclo continua com o conflito entre norte-americanos e japoneses em Pearl Harbor pelo controle marítimo do Pacífico, retratado em Tora! Tora! Tora! (1970).
Em Stalingrado – A Batalha Final (2013), o diretor Fyodor Bondarchuk reproduz o cenário que ceifou milhões de vidas entre 1942 e 1943. Ainda na perspectiva russa, A Batalha de Sevastopol mostra o cerco das tropas do Reich na capital da Criméia, com destaque para a franco-atiradora Lyudmila Pavlichenko, considerada a atiradora feminina mais bem-sucedida na história e responsável pela morte de 309 soldados do Eixo.
Já As Mulheres de Rosenstrasse conta a história de uma jovem judia em busca de respostas sobre os mistérios da infância de sua mãe, que fugiu da Alemanha Nazista durante a guerra. O filme se passa em 2000 e é dirigido por Margarethe von Trotta.

Veja programção completa no site oficial clicando aqui. 

Nenhum comentário: