Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sócio do Clube de Cinema de Porto Alegre, frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 98 certificados) e ministrante do curso Christopher Nolan - A Representação da Realidade. Já fui colaborador de sites como A Hora do Cinema, Cinema Sem Frescura, Cinema e Movimento e Cinesofia. Sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para marcelojs1@outlook.com ou beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

terça-feira, 18 de agosto de 2009

Cine Clássicos: Especial 110 anos de Alfred Hitchcock

Disque M para Matar
Filme que se tornou pioneiro do formato em 3D em 1954
Sinopse: Em Londres, um ex-tenista profissional decide matar sua mulher, para poder herdar seu dinheiro e também como vingança por ela ter tido um affair um ano antes, com um escritor que vivia nos Estados Unidos mas que no momento está na cidade. Ele chantageia um colega de faculdade para estrangulá-la, dando a entender que o crime teria sido cometido por um ladrão. Mas quando algo sai muito errado, ele vê uma maneira de dar um rumo aos acontecimentos em proveito próprio.

Trama perfeita em uma das mais curiosas sequencias de assassinato do cinema. Grande momento do mestre Hitchcock que rodou o filme originalmente em 3D. Baseado na peça de Frederick Knott.

Curiosidades: Perto dos 13 minutos de Disque M Para Matar, o diretor Alfred Hitchcock aparece no canto esquerdo de uma fotografia.- O diretor Alfred Hitchcock colocou propositalmente Grace Kelly vestindo roupas em cores brilhantes no início do filme, para aos poucos ir escurecendo o tom de suas roupas.

Um comentário:

Anônimo disse...

realmente o colorido dos filmes daquela epoca, o technicolor é espetacular. de encher os olhos ao brilho vivo mas opaco dos filmes de hj