Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sócio do Clube de Cinema de Porto Alegre, frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 98 certificados) e ministrante do curso Christopher Nolan - A Representação da Realidade. Já fui colaborador de sites como A Hora do Cinema, Cinema Sem Frescura, Cinema e Movimento e Cinesofia. Sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para marcelojs1@outlook.com ou beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Cine Clássicos: Especial 110 anos de Alfred Hitchcock

Um dos últimos trabalhos do mestre feito em 1964 explora os traumas psicológicos de uma pessoa Sinopse: Mark Rutland (Sean Connery) apaixona-se por uma funcionária (Tippi Hedren) de sua empresa. Ela de fato é linda. Mas sua especialidade é utilizar falsas identidades e disfarces para aplicar grandes golpes em empresários, levando deles somas consideráveis. Ao descobrir que foi roubado, Mark tem uma atitude inusitada: casa-se com a ladra. Ele descobre que seu verdadeiro nome é Marnie, e que ela tem uma profunda aversão por homens. Casou-se apenas para não ser presa. Por trás das estranhas atitudes de Marnie, há um terrível segredo, do qual ela mesma não tem consciência. Mas Mark está disposto a descobri-lo.

Outro dos quase insuperaveis suspenses psicológicos de Alfred Hitchcock. Baseado no romanse Winston Graham e valorizado pela interpretação de Connery. Apesar de um tanto lento, mais pesado, do que os outros filmes do mestre do gênero, tem bem desenvolvidas algumas das suas características como a dubiedade dos comportamentos, das reviravoltas da trama e seu especial sentido da sexualidade.

Curiosidades: Tippi Hedren, estrela de Hitchcock revelada em "Os Pássaros", é mãe da atriz Melanie Griffith e Bruce Dern, também no elenco, é pai de Laura Dern, de "Parque dos Dinossauros.
A música foi composta por Bernard Herrmann, curiosamente o responsável pela maioria das trilhas sonoras do mestre do suspence, como "Psicose", "O homem que sabia demais"e "Festim Diabólico".

Nenhum comentário: