Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sócio do Clube de Cinema de Porto Alegre, frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 98 certificados) e ministrante do curso Christopher Nolan - A Representação da Realidade. Já fui colaborador de sites como A Hora do Cinema, Cinema Sem Frescura, Cinema e Movimento e Cinesofia. Sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para marcelojs1@outlook.com ou beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

terça-feira, 13 de novembro de 2018

Cine Dica: Em Cartaz: Os Invisíveis



Sinopse: Após o Partido Nazista tornar oficial a perseguição ao povo judeu na Alemanha, eles precisaram lutar diariamente pelas suas vidas. Acompanhe quatro histórias distintas que se colidem em uma única premissa: permanecer invisível em meio ao nazismo. Entre eles, a jovem órfã Hanni Lévy, o habilidoso falsificador Cioma Schönhaus, o apaixonado adolescente Eugen Friede e Ruth Arndt, que perde o contato com a família passando-se por viúva e trabalhando para um oficial alemão.

A trama se passa na Alemanha Nazista, até aí tudo bem, pois filmes sobre o assunto existem aos milhares. O que me impressionou foi que o roteiro, bem elaborado e que segura o telespectador o tempo inteiro, pois, mistura trechos de depoimentos dos judeus sobreviventes ao terror de Hitler, mesclado ao desenrolar da história deles, enquanto jovens. A cada instante de diálogo, a cena é mostrada, com muito encanto e bem dialogada em alemão severo, pois é uma língua nada atraente, para quem costuma assistir a filmes em inglês.
Lembra em cenário e figurino, o filme "o pianista”, mas a trama agora não é de um clima de assassinato intenso e de massas, como se observa em Tarantino. Agora há outro lado dos alemães a serem descobertos. Vale lembrar um pouco da história da Alemanha por aqui, não esquecendo que o povo judeu muito contribuiu para o desenvolvimento do país.
A proposta de Hitler em disseminar ódio e violência oriunda de um discurso. Antes de tudo rancoroso por parte dele. E que infelizmente tomou uma proporção enorme de ponta a ponta no país. Entretanto, a visão aqui dos alemães nazistas, nem é muito refletida sob a ótica de chocar as cenas.
Existe uma filosofia muito mais atraente, onde a inversão de valores alemães se torna mais humana. Os jovens judeus vivem disfarçados a todo o momento, fugindo o tempo inteiro da tragédia que é ser judeu! E como eles sobreviveram? Já que Hitler havia espalhado que todos os judeus já tinham sido retirados de Berlim. O filme nos mostra a luta pela sobrevivência, já que eles perderam tudo o que tinham identidade, família, pertences pessoais.
Mas a Historia relatada é mostrada diante das câmeras, é um agradecimento aos alemães que ajudaram a salvar estas pessoas que lamentavelmente passaram por uma história de vida nada agradável, visto que eram perseguidos por um homem sem piedade. Esses alemães que eram contra esse desmembramento da sociedade germânica. Então, esse filme mostra os sorridentes e aguerridos velhinhos judeus, contando em forma de narrativa, as suas peripécias para se salvarem, frente à estúpida guerra. Além de ser uma ode ao grupo de alemães que eram resistência a um sistema inescrupuloso, corrupto e assassino. Sem dúvida, para os curiosos e sensíveis, um belo filme, instigante e reflexivo.

 Autoria: Professora Neusa dos Santos Pereira. 

2 comentários:

RSS disse...

Interessante! Esta sinopse me despertou curiosidade e vontade de assistir ao filme,!

Marcelo Castro Moraes disse...

Assista pois vale muito a pena.