Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sendo frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 70 certificados),sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

sexta-feira, 17 de maio de 2013

Cine Especial: François Truffaut: O Homem que Amava o Cinema: FINAL



Após duas semanas me dedicando a François Truffaut, que antecede a minha participação para o curso sábado e domingo, encerro abaixo com uma matéria que eu escrevi no final das postagens que eu criei na época sobre Nouvelle Valle. Espero que aquele que tenha acompanhado as minhas postagens tenha gostado bastante e se for possível, esteja comigo na atividade amanhã. Até lá.      

PORQUE SÓ DEU ESSES DOIS? 

Por fim, como o curso sobre Nouvelle Vague, que eu irei participar começa amanhã, encerro hoje esse especial, relembrando esse movimento que mudou a cara, não só do cinema Francês, como também fortaleceu o termo “cinema de autor”. Porém, gostaria de dar algumas explicações sobre o do porque de eu ter focado tanto os filmes de François Truffaut e Jean-Luc Godard, enquanto outros filmes importantes como os de Robert Bresson, Claude Chabrol, Alain Resnais, Chabrol, e de tantos outros ficaram de fora.
Para começar, quando conheci esse movimento, que começou na virada dos anos 50 e 60, foi através de um simpático livro intitulado Cinema: De Lumière a Tarantino (de Luis Carlos Merten), que focava os principais acontecimentos do cinema, durante o século 20. 

Ao chegar ao Nouvelle Vague, o escritor começou a falar sobre as origens da "Nova Onda", e os principais diretores que ele citava, era sempre Truffaut e Godard e isso se reprisou, quando ele relançou o livro com novos extras alguns anos depois. Fora isso, em 2009 eu havia comprado um especial da revista Bravo, falando sobre os 100 melhores filmes de todos os temos  e dentre eles, lá estavam Acossado e Uma Mulher para Dois, onde cada texto falava mais e mais sobre a carreira, tanto de Truffaut como de Godard. Devido a isso, imediatamente comecei a ficar viciado em pegar todos os filmes de ambos, para poder assistir e conhecer mais sobre esse movimento. Porém, a filmografia do resto da turma de críticos da revista intitulada L’Express, ficou meio que de lado, e somente comecei a assistir mais sobre os seus filmes agora, principalmente de Robert Bresson, que gostei bastante a partir do filme O Abatedor de Carteiras. Mas sejamos honestos com nos mesmos: se pegarmos uma lista dos melhores filmes da Nouvelle Vague, imediatamente iremos perceber que, boa parte dos filmes ali são dessa dupla de diretores carismática, que na tristeza e na doença, juntos fizeram um punhado de filmes mais deliciosos que o outro. Mesmo assim, peso desculpas, para aqueles que esperavam mais filmes dos outros diretores, mas quem sabe né, eu me vicie por um deles e faça um especial de cada um, ou melhor, faça um curso sobre um deles e faça os especiais. Ai ficara maneiro né. Até o próximo especial.

Leia mais sobre François Truffaut: Parte 1,2,3,4,5,6,7,8 e 9

Leia também: Nouvelle Vague  e  Jean-LucGodard.

Me Sigam no Facebook e Twitter:  

4 comentários:

Bússola do Terror disse...

Muito interessante!
Gostei!

Marcelo C,M disse...

Bussola
Atividade começou hoje e está bem bom.

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

da nouvelle vague, o meu favorito....cumprimentos cinéfilos.

O Falcão Maltês

Marcelo C,M disse...

Cumprimentos Antonio