Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sócio do Clube de Cinema de Porto Alegre, frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 98 certificados) e ministrante do curso Christopher Nolan - A Representação da Realidade. Já fui colaborador de sites como A Hora do Cinema, Cinema Sem Frescura, Cinema e Movimento e Cinesofia. Sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para marcelojs1@outlook.com ou beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

terça-feira, 2 de julho de 2019

Cine Dica: Ilha do Medo e Blade Runner integram mostra de cinema sobre gravurista inglês do século XVIII


Como é a Guerra da Síria além da imagem midiática que nos é mostrada? Como vive o povo Curdo em meio à destruição? O que homens e mulheres experienciam quando se tornam soldados do exército? Essas são algumas das questões trazidas no documentário que inaugura a programação do mês de julho da Sala Redenção.  Faces de um Conflito mostra a experiência do fotojornalista Alexandro Auler durante o mês que esteve em Kobane, cidade na fronteira da Síria com a Turquia, em 2016. O filme, dirigido por André Auler, será exibido nesta segunda-feira, 1º de julho, às 19h, e contará com a presença do fotojornalista que conduziu a narrativa do documentário. 
No mesmo dia, o Cinema Universitário recebe a mostra Simetrias Fantásticas – William Blake na cultura pop, com curadoria do bolsista da Difusão Cultural, Vitor Cunha. O ciclo dialoga com a exposição que está na Sala Fahrion (2º andar do prédio da Reitoria da UFRGS) desde 10 de maio, O Matrimônio de Céu e Inferno, desenvolvida a partir de adaptações em quadrinhos da obra original do poeta e pintor fantástico William Blake. Os premiados Ilha do Medo, de Martin Scorsese e Blade Runner – O Caçador de Androides, de Ridley Scott, fazem parte da programação de quatro filmes hollywoodianos que referenciam a obra do gravurista inglês. 
A Sala Redenção exibe, ainda, um dos filmes mais marcantes da história do cinema. Um Homem com uma Câmera, de 1929, conta a história de um sujeito que passeia por cidades da União Soviética com sua câmera no ombro, documentando a agitada vida urbana e as inovações do mundo moderno. Dirigido por Dziga Vertov, o filme reflete a teoria cinema-olho ou cinema-verdade, idealizada pelo cineasta, na qual a proposta é filmar apenas a “verdadeira realidade”. Vertov buscava uma nova forma de filmar o mundo, em que a câmera deixasse de ser subordinada da visão e passasse a explorar suas possibilidades técnicas próprias. A sessão acontece no dia 2 de julho, às 19h, e faz parte da parceria com o Clube de Cinema de Porto Alegre. Ao final da exibição, os integrantes do Clube promovem um debate sobre o filme com o público presente.

Veja a programação completa pelo site Difusão Cultural da UFRGS clicando aqui. 

Nenhum comentário: