Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sócio do Clube de Cinema de Porto Alegre, frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 98 certificados) e ministrante do curso Christopher Nolan - A Representação da Realidade. Já fui colaborador de sites como A Hora do Cinema, Cinema Sem Frescura, Cinema e Movimento e Cinesofia. Sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para marcelojs1@outlook.com ou beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

sexta-feira, 20 de março de 2020

Cine Dica: Durante a Quarentena Assista: 'Stan e Ollie' - O Gordo e o Magro

Sinopse: Esta é a história de uma das melhores duplas de comediantes: Laurel e Hardy.  

É sempre difícil fazer uma cinebiografia que respeite a imagem de um grande ídolo, principalmente quando esse for um dos representantes da era de ouro do cinema. Laurel e Hardy foi uma das maiores duplas do gênero da comédia e fazer um filme que reconstitui as suas vidas seria muito arriscado para dizer o mínimo. Porém, "Stan e Ollie - O Gordo e o Magro" é uma agradável surpresa para os nostálgicos de plantão, pois a obra é uma declaração de amor para essas duas pessoas que se dedicaram ao máximo em suas profissões mesmo com todas as adversidades que ela pode causar.  
Dirigido por Jon S. Baird, filme conta a história real de uma das maiores duplas de comediantes de todos os tempos, Laurel e Hardy. Os dois embarcaram em uma longa jornada em sua turnê pela Grã-Bretanha, em 1953, buscando colocar suas carreiras novamente nos holofotes, mesmo com o mundo ainda abalado pelos efeitos da Segunda Guerra Mundial. Porém as diferenças pessoais entre os interpretes pode colocar a vida pessoal e a carreira dos dois em cheque.  
Com uma maravilhosa abertura em plano-sequência, o filme começa exatamente na época em que ambos os interpretes estavam em seu auge. Embora caracterizados ainda com os seus respectivos personagens no set de filmagens, nós já conseguimos enxergar nesse ponto o lado humano que eles guardavam longe das câmeras e revelando, tanto as suas ambições, como também as suas próprias fraquezas. Devido a diferenças, ambos seguiram em determinado tempo carreiras separadas, mas anos mais tarde decidem se unir novamente e é aí que o filme começa. 
Ao reconstituir a turnê da qual eles participaram, o filme ganha contornos que remetem aos tempos mais dourados de Hollywood, com os seus cenários mais fantasiosos e menos realistas. Isso, logicamente, é proposital para que o público, principalmente aquele que viveu assistindo aos clássicos do “Gordo e o Magro”, se lembrem de tempos mais inocentes. Contudo, o filme não esconde o lado feio por detrás da indústria cinematográfica e da qual os próprios enfrentaram nas devidas penas.  
Mas nada disso faria sentido se a dupla de interpretes não conseguisse fazer jus ao legado da clássica dupla. Mais eis que Steve Coogan, como Stan, e John C. Reilly como Oliver, simplesmente se entregam de corpo e alma e ambos se tornando os corações pulsantes do filme. Aliás, John C. Reilly  nos brinda aqui com a melhor atuação de sua carreira e cuja a ótima maquiagem colabora ainda mais para causar esse efeito em cena.  
O ato final é digno de nota, pois em meio as dificuldades, diferenças, além do estado de saúde delicada de Oliver, a dupla percebe que a união e a amizade é o que moverá eles para sempre. Em tempos atuais em que a comédia anda em declínio, é sempre bom assistir dois grandes exemplos que se dedicavam ao seu maior dom que era alegrar as plateias de todo mundo. Com uma ótima atuação das atrizes Nina Arianda e Shirley Henderson, em que ambas interpretam as respectivas esposas dos atores, "Stan e Ollie - O Gordo e o Magro" é uma agradável surpresa para os fãs de uma boa comédia das antigas e revela o lado humano desses grandes artistas. 


Joga no Google e me acha aqui:  

Me sigam no Facebook,  twitter, Linkedlin e Instagram.  

Nenhum comentário: