Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sócio do Clube de Cinema de Porto Alegre, frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 98 certificados) e ministrante do curso Christopher Nolan - A Representação da Realidade. Já fui colaborador de sites como A Hora do Cinema, Cinema Sem Frescura, Cinema e Movimento e Cinesofia. Sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para marcelojs1@outlook.com ou beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

terça-feira, 14 de maio de 2019

Cine Especial: Projeto Raros: 'A Caçadora de Almas' - Desligue o Cérebro e Curta o Absurdo

Sinopse: Antropóloga é possuída pelo espírito de rainha que quer vingança contra a bisneta do homem que a traiu. Transformada numa espécie de zumbi sem vontade própria, sai pelas ruas espalhando vítimas. 
  
Os dois volumes "Cemitério Perdido dos Filmes B", escrito pelo escritor do gênero fantástico Cesar Almeida, é um prato cheio para aqueles que buscam conhecimento por um cinema obscuro, porém, nostálgico. São filmes de baixo orçamento, dos quais se criou inúmeros subgêneros, como no caso de filmes sobre mulheres presas em presídios, ou de mulheres que vivem atrás dos muros de convento. Portanto, ao assistir "A Caçadora de Almas" (1989) me veio à mente esses livros e que com certeza mereceria estar na lista de um próximo relançamento.
O filme foi dirigido pelo indonésio H. Tjut Djalil, um dos principais nomes do cinema exploitation do sudeste asiático. Curiosamente o filme começa com ares mitológicos, mas que logo vai se enveredando para uma sátira deslavada do clássico "O Exterminador do Futuro" (1984). Tudo não passa de uma desculpa esfarrapada para nos brindar com cenas escancaradamente copiadas do filme de James Cameron.
Por conta disso, cada cena de ação do primeiro ato, por exemplo, já sabemos quais serão os resultados, como no caso da sequência em que se passa em uma danceteria, ou quando a perseguição ocorre nas ruas. Somente mais adiante é que o filme toma outros rumos, mas tudo muito tosco propositalmente, com direito a interpretações dos atores serem feitas a toque de caixa e que nos faz saltar muitas gargalhadas. Os minutos finais, aliás, fizeram me lembrar do projeto  "Grindhouse" (2007) elaborado por Quentin Tarantino e Robert Rodriguez, que prestavam uma homenagem aos subgêneros de baixo orçamento e não me surpreenderia se os dois tivessem assistido a esse filme absurdo.
"A Caçadora de Almas' é um filme para se curtir com o cérebro desligado e que fará você rir de uma tosquice de primeiro mundo.  

Nota: filme exibido na última sexta-feira (10/05/19) na Cinemateca Capitólio de Porto Alegre. 


Me sigam no Facebook,  twitter, Linkedlin e Instagram.  

Nenhum comentário: