Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sócio do Clube de Cinema de Porto Alegre, frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 98 certificados) e ministrante do curso Christopher Nolan - A Representação da Realidade. Já fui colaborador de sites como A Hora do Cinema, Cinema Sem Frescura, Cinema e Movimento e Cinesofia. Sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para marcelojs1@outlook.com ou beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

terça-feira, 14 de maio de 2019

Cine Dica: Em Cartaz: 'Mormaço' - Progresso Desumano

Sinopse: Ana, uma jovem advogada que trabalha em uma comunidade do Rio de Janeiro, assolada pela especulação imobiliária que atinge níveis extremos às vésperas das Olimpíadas de 2016, começa a experimentar sintomas peculiares de uma doença misteriosa, que vai tomando seu corpo aos poucos.  

O cinema "pós terror" está se tornando a mais nova fonte de criatividade para cineastas autorais brasileiros e que buscam passar para o cinéfilo sobre qual a situação se encontra o nosso país atual. "Animal Cordial" (2018) e o recente "A Sombra do Pai", ambos da cineasta  Gabriela Amaral Almeida, são filmes que falam sobre o real monstro que se encontra por detrás da máscara do "cidadão do bem" e de como os demais brasileiros, principalmente os verdadeiros trabalhadores que movem esse país, estão se tornando cada vez mais zumbis e que necessitam acordar. "Mormaço" chega agora aos cinemas para escancarar a desconstrução do velho pelo novo, o avanço do progresso, mas do qual se cobra um alto preço.  
dirigido pela cineasta Marina Meliande, o filme conta a história de Ana (Mariana Provenzzano), uma defensora pública e que defende um grupo de moradores, dos quais estão prestes a serem despejados da Vila Autódromo do RJ e dar lugar para as instalações esportivas das Olimpíadas de 2016. Ela, por sua vez, corre o risco de perder o seu apartamento, começando a sofrer com as mudanças climáticas do ambiente e surgindo marcas estranhas em seu corpo. Não demora muito para que as situações comecem a fugir do controle e fazendo com que isso tudo teste a sua própria sanidade. 
Transitando entre a ficção e um lado documental sobre as desocupações, a obra carrega em seu primeiro ato uma verdadeira aura de um "filme catástrofe", do qual faz com que tenhamos a certeza que a destruição daquele cenário onde moram aqueles habitantes se torne inevitável. Além disso, o filme carrega elementos clássicos de um filme de terror, mas colocando eles em segundo plano, pois a realidade daquele cenário se torna muito mais assustadora do que qualquer casa mal-assombrada. Aliás, tanto Ana como também a sua própria casa, começam a se transformar de acordo com o avanço da destruição que vai acontecendo na história e cujo os resultados se tornam, por vezes, inexplicáveis.  
Mariana Provenzzano surpreende em sua atuação como Ana, pois a sua personagem possui ares de melancolia, mesmo com as virtudes de sua pessoa intactas, e que sintetizam todo o lado indefinido e nebuloso da qual ela se encontra naquele momento. Sua transformação física vai de acordo com a destruição que aquele lugar vai passando e fazendo a gente compreender que ambos os destinos estão alinhados até o seu derradeiro minuto. Obviamente, muitos cinéfilos irão se lembrar de filmes como "A Mosca" (1986), "Cisne Negro" (2009) e até mesmo o recente 'Mãe" (2017), mas é através das referências vindas do mundo real que o filme ganha a sua força total.  
O avanço do progresso, mas do qual somente privilegia os ricos, já havia sido explorado em ótimos filmes brasileiros recentes, pois basta nos lembrarmos de "Era o Hotel Cambridge" (2016) e "Aquarius" (2016) como bons exemplos. Porém, principalmente se fizermos um paralelo com esse tenebroso primeiro semestre de 2019, percebemos como "Mormaço" é poderoso em sua mensagem e fazendo com que suas cenas jamais sejam esquecidas. Os minutos finais, aliás, são com certeza um dos melhores momentos do cinema brasileiro de 2019 e comprovando toda a coragem dos seus realizadores.  
"Mormaço" escancara o horror que as elites desse país provocam, dos quais atingem em cheio os brasileiros e que nenhum outro mostro clássico do cinema criaria tamanho estrago.     
  

Me sigam no Facebook,  twitter, Linkedlin e Instagram.  

Nenhum comentário: