Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sócio do Clube de Cinema de Porto Alegre, frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 98 certificados) e ministrante do curso Christopher Nolan - A Representação da Realidade. Já fui colaborador de sites como A Hora do Cinema, Cinema Sem Frescura, Cinema e Movimento e Cinesofia. Sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para marcelojs1@outlook.com ou beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

segunda-feira, 6 de novembro de 2017

Cine Especial: 2ª Sessão Maracutaia de Cinema

O Estripador da Rua Augusta

Nada melhor do que começar a semana, bebendo uma cerveja e assistir a bons curtas brasileiros. A Segunda edição da "Sessão Maracutaia de Cinema" aconteceu hoje às 19h, no CineBancários de Porto Alegre. A proposta da sessão era trazer filmes independentes e ousados, realizados no Brasil, para cinéfilos e amantes do cinema.
Em nenhum momento se deve levar a sério os curtas, mas sim curti los com a mente aberta e na mais pura diversão. Confira abaixo sobre o que eu achei de alguns curtas exibidos nessa noite.     
O Estripador da Rua Augusta (2014)

Sinopse: O insólito encontro entre dois monstros no coração da Rua Augusta, em São Paulo.
Dirigido por Felipe M. Guerra (13 Histórias Estranhas) e Geisla Fernandes (A Carne), o filme tem ainda a participação especial de Daniela Monteiro (13 Histórias Estranhas 2). O surreal desse curta cheio de gore é ver Mônica Mattos atuando como uma vampira. Conhecida como uma das melhores atrizes do ramo pornô. Mônica faz o seu melhor, usando e abusando de sua boa forma em meio a sangue e muita violência.
O curta tem todos os ingredientes de um filme de horror clássico, mas turbinado com um horror explicito e do qual me lembrou As Filhas de Drácula (1974) de José Ramón Larraz. Embora com uma trama simples, o curta é mais uma prova de que o cinema de horror brasileiro pode ir muito mais longe do que se imagina. Confira o trailer clicando aqui. 

Aquela Rua Tão Triumpho (2016)

Sinopse: Os fantasmas da Rua do Triumpho. Ido Oliveira, antigo cineasta da Boca do Lixo, ainda vive por lá.

Dirigido pelo jornalista, cineasta e crítico de cinema Gabriel Carneiro, o curta metragem é uma bela homenagem a um dos períodos mais produtivos do nosso cinema brasileiro (mais de 1.000 filmes produzidos entre os anos 60 até os 80). Dividido entre ficção e realidade, a pequena trama basicamente mostra alguns realizadores daquele período ainda vivos e que decidem se reunir para se lembrarem dos velhos bons tempos. Destaque para o cineasta fictício Ido Oliveira (Walter Portella, falecido no ano passado) do qual transmite toda paixão de uma geração que gostava de filmar inúmeras obras de diversos gêneros e que atraiam inúmeros cinéfilos. 
Só com a cena final do filme já ganha um espaço no coração de cada cinéfilo ferrenho que se preze. 

Sob Olhos de Guaxinim - Banda Olhos de Guaxinim e Magnum Borini
Não era um curta mas sim um clipe do qual curti bastante, já que me deu saudades dos tempos que eu curtia um bom vídeo clipe na MTV. 

O Laboratório do Dr. Sepúlveda (2015)

Sinopse: Dr. Sepúlveda se utiliza dos clichês do gênero horror para criar seus monstronecos.

Com direção de Cesar  Coffin Souza (A Paixão dos Mortos), o filme é uma brincadeira surreal e uma homenagem aos filmes de terror dos anos 30 da Universal. Porém, as comparações param por aí, pois o curta usa e abusa de muito sangue e até mesmo de sexo explicito. Mas o mais surreal é que as cenas fortes são protagonizados por bonecos, sendo que a vitima de todos esses momentos é ninguém menos do que a boneca Barbie!! 
Por mais bizarro que seja, é uma prova que dá para se fazer uma historinha com nenhum centavo no bolso e tão pouco depender de efeitos visuais mirabulantes. 

Andale (2017) 

Sinopse: Enquanto vemos um andarilho bem vestido, presenciamos protestos e violência se alastrando pelo país.  
Petter Baiestorf é fundador da Canibal Filmes e responsável por mais de 100 produções, que vai desde a curtas, médias e longas metragens. Das suas obras mais conhecidas se destaca logicamente A Noite do Chupacabras. Aqui, Baiestorf cria um pequeno mosaico de imagens dos quais sintetizam o Brasil em meio a protestos, violência e um fascismo do qual impera após o golpe de 2016. 

Dez Anos Sem GG Allin

Sinopse: GG Allin: o defensor das criancinhas e uma das maiores autoridades do planeta quando se fala em luta contra as drogas e a violência. Este vídeo mostra o quanto a televisão é uma fonte confiável de informação e veracidade...
Nem vou me estender muito sobre quem era realmente GG Allin, mas se querem saberem mais a respeito cliquem aqui.  Agora, esse video exibido ao final da sessão é uma prova mais do que justa que esses apresentadores de tv aberta não tem a menor noção da realidade do qual vivem. Só assim para explicar tamanha pegadinha que esses estudantes fizeram contra esse apresentador e tornando o video um clássico instantâneo na internet.
Além de engraçado, o video é uma prova de que, quem não assiste tv aberta hoje em dia, não está perdendo nada mas sim somente lucrando na vida.  Veja o video clicando aqui 

Mas é isso. Só espero que tenhamos mais sessões como essa da Maracutaia de cinema. Curtem abaixo o trailer da sessão.   


Me sigam no Facebook, twitter, Google+ e instagram 

Nenhum comentário: