Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sócio do Clube de Cinema de Porto Alegre, frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 98 certificados) e ministrante do curso Christopher Nolan - A Representação da Realidade. Já fui colaborador de sites como A Hora do Cinema, Cinema Sem Frescura, Cinema e Movimento e Cinesofia. Sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para marcelojs1@outlook.com ou beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

quarta-feira, 21 de agosto de 2019

Cine Dica: Em Cartaz: ‘Espero tua (Re)volta’ - Prelúdios Para Tempos Nebulosos

Sinopse: Quando a crise se aprofundou no Brasil, os estudantes saíram às ruas e ocuparam escolas protestando por um ensino público de qualidade e uma cidade mais inclusiva.  

As manifestações de Junho de 2013, onde estudantes protestaram contra o aumento da passagem de ônibus, desencadeou um dos maiores movimentos da nossa história. Porém, é preciso salientar que houve consequências desses movimentos e que até hoje todos nós sentimentos."Espero Tua (Re)volta” revê aqueles tempos não tão longínquos, onde estudantes invadiram as ruas para defender os seus direitos, mas talvez tenham sido um tanto ingênuos.  
Sob o ponto de vista de três secundaristas - Marcela Jesus, Nayara Souza e Lucas Penteado – que participaram da ocupação de mais de 200 escolas em São Paulo em 2015, o longa reflete sobre a recente e intensa história brasileira a partir das lutas estudantis. Eles protestavam contra a reorganização escolar anunciada pelo governo paulista, por uma escola pública de qualidade. Porém, mal sabiam que a dura realidade viria forte a cavalo.  
Através de vários fragmentos que moldam a obra como um todo, "Espero a Tua (Re)volta” se sustenta através de um grande Flashback, onde testemunhamos as grandes manifestações de 2013 e além de várias outras que viriam posteriormente. Pelo olhar de três estudantes, enxergamos inúmeros jovens lutando por um ideal, por um país livre, pelo direito de terem os melhores estudos e melhores conhecimentos. Não há como não ficar abismado com diversas cenas que entraram para a história do país, como no caso da invasão de milhares de estudantes no planalto e que acabou passando tudo ao vivo.  
Porém, o documentário meio que omite, ao menos no primeiro ato, que houve interferência de outros partidos em meio as manifestações, principalmente aqueles vindos da direita e que viram ali a oportunidade de virar a mesa. Isso desencadeou o fato de muitas outras manifestações contra o governo terem nascido na época, mas sem ao menos saber sobre o que ao certo estavam exatamente protestando. O que era manifestações contra o aumento de passagem, acabou se tornando em diversas manifestações ao longo do tempo e desencadeando até mesmo os protestos a favor do impeachment contra até então Presidenta Dilma Rousseff.  
É bem da verdade que essa nova geração de estudantes não tinham uma ligeira noção da verdadeira corrupção, tão pouco do verdadeiro horror de uma ditadura e da qual eles não nasceram dentro dela. Em "Rasga Coração" (2018), de Jorge Furtado, por exemplo, vemos duas gerações diferentes, das quais ambas lutam pela liberdade, mas a mais recente não estava lutando contra um governo opressor. Infelizmente, por melhor que fossem as boas intenções das manifestações e 2013, elas desencadearam algo muito pior e do qual se aproveitou da situação.  
Em contrapartida, é impressionante observar estudantes saírem da bolha, ao enxergar uma nova realidade e da qual não se aprendia dentro da escola. Nos tempos das ocupações das escolas, por exemplo, vemos os estudantes aprendendo a conviver no coletivo, ajudando uns aos outros e deixarem qualquer diferença de lado. Um momento que enriquece a obra como um todo e dando uma fração de esperança perante o pior que viria acontecer no futuro.  
A partir da saída da até então Presidenta Dilma Rousseff, e onde Michael Temer assumiu o posto no poder, é então que essa nova geração finalmente sentiu as engrenagens de como se faz um golpe de estado. O segundo e o terceiro ato final, testemunhamos jovens sendo agredidos por policiais super armados, sendo mandados por aqueles que se aproveitaram das manifestações e gerando uma maré de ódio que se alastra até hoje em nossos tempos contemporâneos. Se por um lado o início do documentário não mostra a infiltração desses partidos da direita, em contrapartida, a cena do até então deputado Jair Bolsonaro lançar palavras de ódio e se tornar posteriormente o Presidente do Brasil sintetiza um momento de reflexão e fazermos a gente pensar onde a gente errou.  
O que resta para essa geração atual, que agora luta contra os cortes da educação, é não cometerem os mesmos erros do passado e unirem forças para derrotarem o ódio. O que, talvez, falta é reconhecerem o passo em falso e se levantarem mais fortes do que eram no passado. "Espero tua (Re)volta" é sobre um capitulo de nossa história, da qual iniciou em 2013 e cujo o seu final ainda não acabou. 



Joga no Google e me acha aqui:  

Me sigam no Facebook,  twitter, Linkedlin e Instagram.  

Nenhum comentário: