Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sócio do Clube de Cinema de Porto Alegre, frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 98 certificados) e ministrante do curso Christopher Nolan - A Representação da Realidade. Já fui colaborador de sites como A Hora do Cinema, Cinema Sem Frescura, Cinema e Movimento e Cinesofia. Sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para marcelojs1@outlook.com ou beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

quinta-feira, 15 de agosto de 2019

Cine Dica: Em Cartaz: 'Anna - O Perigo Tem Nome' - Os Vícios de Luc Besson

Sinopse: Por trás da beleza marcante de Anna Poliatova há um segredo que irá expor sua indestrutível força e habilidade para se tornar uma das assassinas mais temidas do mundo.  
  


"Nikita - Criada Para Matar" (1990) é uma das obras primas de Luc Besson, do qual gerou refilmagens, séries e ´vários filmes que capturavam a mesma ideia de uma protagonista espiã assassina. Até a pouco tempo tivemos "Atômica" (2017), baseado em uma HQ e que, talvez, tenha feito Luc Besson relembrar dos seus velhos tempos. Só assim para explicar o seu mais novo filme, "Anna - Perigo Tem Nome", do qual bebe da mesma fonte, muito embora não possua o mesmo grande impacto daquele período.   
O filme conta a história de Anna (Sasha Luss) do filme "Valeriam e a Cidade dos Mil Planetas"(2017), que vive em desgraça ao se envolver com pessoas erradas e que fazem se distanciar cada vez mais dos seus sonhos. Certa vez um agente russo (Luke Evans) e sua superiora (Helen Mirren) dão a chance para que ela realize o seu sonho, desde que ela trabalhe como espiã a serviço dos russos. Porém, o agente americano Lenny (Cillian Murphy) pode colocar tudo isso a perder.  
Assim como nos seus filmes anteriores, como no caso do ótimo "Lucy" (2014), Luc Besson comanda o filme de cabo a rabo, com o direito de sua edição ser dinâmica e bem ao estilo vídeo clipe como ele gosta. É curioso observar como ele tem uma predileção por uma edição de arte caprichada, ou por um figurino que é, por vezes, extravagante. Assim é e sempre será Luc Besson, com as suas luzes, cores e um ritmo agiu para tornar o seu filme sempre alucinante.  
Já a trama em si é um verdadeiro efeito cebola, com o direito de nunca sabermos ao certo quais são as verdadeiras intenções das principais peças desse xadrez. Por conta disso, Luc Besson cria um curioso vai e vem dentro da trama através de flashback, onde quase sempre nos mostra um outro angulo de uma situação da qual já havíamos testemunhado. Isso gera um curioso quebra cabeça, do qual prende a nossa atenção e fazendo a gente não desgrudar da cadeira.  
Porém, o principal problema do filme seja justamente a própria protagonista. Vinda do mundo da moda, Sasha Luss ainda não tem a força matriz para ser considerada uma boa atriz, sendo que a sua falta de expressão incomoda e não faz com que sinapizemos muito com ela. Pode-se dizer que o filme se sustenta mais pela ala de bons coadjuvantes, sendo que Cillian Murphy e, principalmente, Helen Mirren estão ótimos em cena.  
Outro fator negativo é justamente nas cenas de ação, principalmente nas cenas de luta e das quais criam somente uma sensação de déjà vu. Talvez é porque estejamos mal-acostumados ao fantástico balé sangrento visto no já citado "Atômica", ou porque Sasha Luss também não nos convence nesses momentos. Ao menos, o ato final nos reserva diversas surpresas, onde o jogo de xadrez dá o seu derradeiro cheque mate.  
Apesar de tudo, ''Anna - O Perigo Tem Nome" é um bom entretenimento, mas talvez seja melhor Luc Besson começar a largar dos seus vícios. 

Joga no Google e me acha aqui:  

Me sigam no Facebook,  twitter, Linkedlin e Instagram.  

Nenhum comentário: