Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sócio do Clube de Cinema de Porto Alegre, frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 98 certificados) e ministrante do curso Christopher Nolan - A Representação da Realidade. Já fui colaborador de sites como A Hora do Cinema, Cinema Sem Frescura, Cinema e Movimento e Cinesofia. Sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para marcelojs1@outlook.com ou beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

quarta-feira, 9 de janeiro de 2019

Cine Dica: Conteúdo programático do curso: Iniciação a arte cinematográfica


O curso de iniciação a arte cinematográfica é um curso teórico de análise fílmica que possibilita ver filmes de uma forma mais completa para além do que usamos cotidianamente. Se objetiva a cinéfilos, a pessoas que escrevem sobre filmes, a quem tem interesse em fazer cinema e ainda a estudantes de artes que desejam complementar sua formação com conhecimentos sobre a sétima arte ou, simplesmente a quem queira saber mais sobre cinema

O cinema mudo
Abordagem histórica do cinema, desde seu início (1895) até o último filme mudo (1928) através de trechos de filmes da época. Com o objetivo de conectar a evolução tecnológica aos aspectos econômicos e de mentalidade de uma época.

O cinema sonoro
Os primeiros filmes sonoros e a impactação dessa tecnologia sobre a indústria cinematográfica, o público e a produção cultural do cinema. Analisar os filmes sonoros da época de seu surgimento com os soundround system de hoje.

O cinema digital
Comparar o cinema artesanal com o cinema digital, perceber a importância da tecnologia para fazer do imaginário algo mais real e diferenciar o filme que tem a necessidade de um aparato de CGI daquele que é puramente comercial.

Cinema como arte: criatividade, tecnologia e negócios
A complexidade da arte cinematográfica, uma mistura de artes cênicas, plásticas, música, roteiro, fotografia e ciência (semiótica). O reconhecimento do uso da criatividade de roteiristas e cineastas na forma de contar uma história em imagens. O uso da tecnologia a favor de filmes que exigem esse instrumento e a indústria cinematográfica no mundo, hoje.

Roteiro: princípios e construções narrativas
As diferenças entre contar uma história na literatura e contar uma história com imagens, a importância da objetividade na transmissão da ideia. Verificar tipos de abordagens diferentes no roteiro a partir de trechos de filmes que tragam essas nuances.

Direção de arte: Mis-em-scène (análise cenográfica)
A importância do cenário como complemento do roteiro. Apresentação de trechos de filmes que desenvolvem essa técnica. 

Fotografia
Os códigos da fotografia que complementam o entendimento do filme na área da emoção e o transforma em uma obra de arte à parte. Apresentação de filmes que trazem esse traço de forma evidente. Análise de filmes nesse estilo.

Montagem/edição
Analisar montagens de filmes e a forma com a qual elas auxiliam na transmissão da mensagem a que se propõem. Analisar trechos de filmes premiados na categoria e fazer a comparação entre as diferenças entre literatura e cinema.

O Som no cinema
Apresentação de trilhas sonoras de filmes que os identificam somente pela música. Analisar o impacto da trilha sonora nas emoções do espectador. Discernir o viés de abordagem do diretor em relação ao filme através da trilha sonora.

Direção: estilos e assinaturas
Verificar diretores que se apresentam a partir de uma determinada forma de filmagem e do contar histórias imagéticas. Suas características e suas marcas nos filmes que dirigem através de usos de signos em comum ao longo de suas obras.

Gêneros cinematográficos
Conhecer a história dos gêneros cinematográficos, defini-los e analisa-los. E, ainda, aqueles que ultrapassam as fronteiras de suas definições reinventando-se.

A importância do cinema para as sociedades
Entender a importância do cinema como artefato cultural para o desenvolvimento do senso crítico, do fomento ao pensamento e à reflexão. Verificar o quanto o cinema teve um crescimento importante ao longo de sua história, de artigo de feira para iletrados a objeto de pesquisa científica nos laboratórios de ciências humanas. Entender o cinema como produto humano de registro de existência e, como objeto de estudos de indícios de mentalidades e de marcos de momentos históricos.  Atestar a importância do cinema para a evolução da história do pensamento.

BIBLIOGRAFIA
BAZIN, André. O que é o cinema? São Paulo: Cosac Naify, 2014.
BENJAMIM, Walter. A obra de arte na época da reprodutibilidade técnica. Porto Alegre, RS: Zouk, 2012.
___________________ Obras escolhidas Vol 1: Magia e técnica, arte e política – ensaios sobre literatura e história da cultura. São Paulo: Editora Brasiliense, 1987.
BORDWELL, David; Thompson, Kristin. A arte do cinema – uma introdução. São Paulo: EDUSP, 2013
COUSINS, Mark. História do cinema: dos clássicos mudos ao
KEMP, Philip. Tudo sobre cinema. Rio de Janeiro: Sextante, 2011.
METZ, Christian. A significação no cinema. São Paulo: Perspectiva, 2010.
RANCIÈRE. Jacques. A Fábula Cinematográfica. Campinas, São Paulo: Papirus, 2013.
__________________ As distâncias do Cinema. Rio de Janeiro: Contraponto, 2012
XAVIER, Ismail. O discurso cinematográfico: a opacidade e a transparência. São Paulo: Paz e Terra, 2008.

Sonia Rocha, Mestre em Educação e Cinema (UERJ); crítica cinematográfica e editora do site Cinema & Movimento. Já escreveu para Almanaque Virtual e Instituto Guardiães de Gaya Cultural; associada do Ateliê Um no núcleo de Fotografia e Cinema; educadora, pós graduada em História (UFF), foi professora de Educação básica por 23 anos. Mais informações: https://www.cinemaemovimento.com/

Nenhum comentário: