Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sócio do Clube de Cinema de Porto Alegre, frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 98 certificados) e ministrante do curso Christopher Nolan - A Representação da Realidade. Já fui colaborador de sites como A Hora do Cinema, Cinema Sem Frescura, Cinema e Movimento e Cinesofia. Sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para marcelojs1@outlook.com ou beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

quinta-feira, 10 de janeiro de 2019

Cine Dica: Em Cartaz: Assuntos de Família

Sinopse: Depois de uma de suas sessões de furtos, Osamu e seu "filho" se deparam com uma pequena. A princípio eles relutam em abriga-la, mas a esposa de Osamu concorda em cuidar dela depois de saber dos abusos que ela sofre de seus pais.  
 
Kore-Eda Hirokazu tem chamado atenção da crítica e do público ao fazer um retrato singelo, mas também realístico com relação a família contemporânea no Japão. Se em Pais e Filhos, Nossa irmã mais nova e Depois da Tempestade, ele tratava o assunto com relação a família de uma forma crítica, porém, delicada, em O Terceiro Assassinato ele chegou ao ápice sobre os segredos ocultos das pessoas perante uma situação familiar inexplicável. Assuntos de Família traz o assunto familiar novamente foco, mas dosando elementos vistos nos filmes anteriores e se criando uma análise sobre o que forma realmente uma família nos tempos de hoje.
Na trama acompanhamos Osamu e seu filho(?) roubarem um supermercado. Pelo caminho eles dão de encontro com uma menina e da qual ela parece ter sido machucada pelos próprios pais. Eles decidem leva-la para casa e aos poucos começamos a conhecer o verdadeiro quadro dessa família japonesa.
Kore-Eda Hirokazu não tem pressa na apresentação dos seus respectivos personagens principais, pois a sua intenção é fazer com que a gente se familiarize com eles e tiremos as nossas próprias conclusões. Aos poucos, percebemos que não se trata de uma família meramente tradicional, mas não ficamos em um posicionamento para julgá-la e o roteiro colabora para que até torcemos para que eles desfrutem dos poucos momentos de felicidade que eles adquirem. Se no clássico Era uma Vez em Tóquio (1953) testemunhamos uma família tradicional que, aos poucos, vão se distanciando um dos outros, aqui testemunhamos o inverso e os “não laços de sangue” se tornam mero detalhe.
Kore-Eda Hirokazu também tem a proeza de fazer da casa onde eles vivem não um mero cenário, como também uma espécie de personagem cheio de segredos. Com a sua câmera, o cineasta fixa esse microuniverso particular dessas poucas pessoas, onde o pouco que lhes resta já lhe garante algum conforto. Mas uma vez que mundo real bate à porta daquele cenário, o lado acolhedor se desfaz e revelando segredos ocultos que nos faz finalmente questionar sobre quais os segredos eles guardam naquele lugar.
Uma vez acontecendo isso, o cineasta vai criando um pequeno cenário de tensão, onde a sua câmera faz um jogo de cena ao não revelar como um todo os atos e consequências da trama. Uma vez quando eles acontecem nós somos pegos desprevenidos e fazendo com que levantemos inúmeras possiblidades sobre o que está acontecendo: a cena em que não vemos um destino de um personagem, mas sim somente laranjas rolando rua, sintetiza muito bem isso.
Assuntos de Família é um retrato simples e realístico de pessoas unidas por um bem comum que é pela sobrevivência e desfrutar de um pouco de amor que tanto lhe fazem falta.  


Me sigam no Facebook, twitter, Google+ e instagram

Nenhum comentário: