Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sócio do Clube de Cinema de Porto Alegre, frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 98 certificados) e ministrante do curso Christopher Nolan - A Representação da Realidade. Já fui colaborador de sites como A Hora do Cinema, Cinema Sem Frescura, Cinema e Movimento e Cinesofia. Sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para marcelojs1@outlook.com ou beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

terça-feira, 8 de janeiro de 2019

Cine Dica: Em Blu-Ray - DVD – VOD: Nasce uma Estrela

Sinopse: A jovem cantora Ally ascende ao estrelato enquanto seu parceiro Jackson Maine, um renomado artista de longa carreira, cai no esquecimento por problemas com o álcool. 

Este filme Nasce uma Estrela não veio para ser mais uma nova versão do conto. Ela também é uma crítica sobre a máquina que transforma talento genuíno em marketing e do orgulho frágil que tornam os aplausos de uma plateia de uma forma viciante. Ao mesmo tempo, é um filme que vai agradar o grande público, um filme embasado em suas origens mas transcendente em sua execução.  E quem diria que a estreia de  Bradley Cooper (Sniper Americano) como diretor se sairia tão bem.
O filme já é a quarta versão do material que já rendeu outros três filmes de mesmo nome. As de 1937, com Janet Gaynor, e de 1954, com Judy Garland que, há quem diga (não via as versões anteriores), continuam sendo as melhores e já de 1976, com Barbra Streisand, há quem diga, continua sendo a pior delas. Mesmo eu sendo leigo com relação as adaptações anteriores, acredito que essa nova versão acrescente, não só uma crítica acida na elaboração de celebridades instantâneas de hoje, como também possuir um brilho próprio e graças as  presenças de Lady Gaga e Bradley Cooper.
De fato, Gaga não tem do que ter medo, já que ela nada mais faz do que ser ela mesma na tela. Claro que ainda está longe dela nos convencer como atriz, pois aqui ela não consegue acertar nas expressões faciais, mas no geral ela faz tudo certo, sem exageros para mais ou para menos. Nas cenas no palco, por exemplo, aí ela de fato cresce, mas isso já era mais do que esperado, já que é o território de sucesso dela como um todo.
Mas a grande atuação do filme fica por conta mesmo de  Bradley Cooper. Ele sabe que Gaga é um material e tanto a ser destacado, então não poupa cenas com a diva e nunca quer aparecer mais que ela. Porém, ele reserva as grandes cenas dramáticas para com ele próprio, e nos momentos mais intensos comprova porque vem sendo apontado pelos críticos como uma das melhores atuações do ano de 2018.
Quando ambos se encontram em cena se comprova que os interpretes tiveram boa química do começo ao fim da produção. Na realidade é aquele caso em que um grande interprete colabora para que o seu colega consiga uma boa atuação em cena. Se Lady Gaga se destaca na atuação, muito se deve também ao seu companheiro, gerando momentos de pura emoção e principalmente em sua reta final.
Vencedor do Globo de Ouro de melhor canção original, Nasce uma Estrela é uma versão modernizada desse famoso conto vindo do show business e que irá colecionar uma nova geração de fãs de todas as idades. 


Nenhum comentário: