Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sócio do Clube de Cinema de Porto Alegre, frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 98 certificados) e ministrante do curso Christopher Nolan - A Representação da Realidade. Já fui colaborador de sites como A Hora do Cinema, Cinema Sem Frescura, Cinema e Movimento e Cinesofia. Sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para marcelojs1@outlook.com ou beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

quinta-feira, 1 de setembro de 2016

Cine Dica: Em Cartaz: Pets - A Vida Secreta dos Bichos


Sinopse: Já imaginou o que os pets fazem enquanto seus donos estão fora? Pois é esse universo secreto que será revelado. Cada um aproveita do seu jeito, seja assaltando a geladeira, ouvindo heavy metal e até jogando videogame.

Dos mesmos criadores de Meu Malvado Favorito e Minions, Pets - A Vida Secreta dos Bichos é um filme que usa uma idéia similar vista em clássicos como Toy Story. O que os animais de estimação fazem quando não estamos em casa? Infelizmente a premissa genial dá lugar a uma trama um pouco previsível e deixando escapar a possibilidade de fazer um grande filme como um todo.
Sai Wood e Buss de Toy Story e entra em cena os cachorros Max e Duke. Se o primeiro é o veterano da casa e ama de paixão a sua dona, Duke é o cachorro novo e que rouba o espaço do primeiro. Isso gera rivalidade de ambos e que provocará o fato deles ficarem perdidos em Nova York. Não é preciso adivinhar que ambos terão que deixar de lado as suas desavenças e se unirem para tentar de alguma forma voltar para casa.
Em meio a isso, os cães da vizinhança que, são amigos de Max, unem forças para procurá-lo. Ao mesmo tempo uma gangue de bichos do esgoto e liderados por um coelho fofo serão os verdadeiros transtornos para os protagonistas. Não é preciso (novo) adivinhar que esses coadjuvantes, aliás, é o que irão roubar a cena ao longo do filme.
Esse talvez seja o maior defeito da trama, pelo fato dos dois protagonistas principais não nos conquistarem na primeira vista e dando então espaço para os demais personagens tentarem conquistar a atenção do cinéfilo que assiste. Dos coadjuvantes, a cadelinha Gigi é o que melhor rouba a cena toda vez que surge e sua paixão por Max e por novelas mexicanas (uma das melhores piadas do longa) são momentos bem divertidos. Não posso deixar de citar a aliança que ela faz com o gavião Tiberius, cuja sua presença ambígua é muito divertida.
Do resto é basicamente mais do mesmo. É aquele tipo de trama que nós já sabemos como irá terminar e gerando nenhuma expectativa por algo diferente que virá a seguir. Só para se ter uma idéia, a premissa que poderia gerar um filme original, somente se destaca no início e no final do filme.
Contudo, os efeitos especiais são bem feitos, sendo que é possível até se assustar com a víbora na cena do esgoto. Há também de se maravilhar com a apresentação da cidade de Nova York no início do filme. Tudo isso moldado por um 3D que vale o preço salgado do ingresso.
Resumidamente, Pets é muito melhor na sua idéia que na sua execução, mas que com certeza irá conquistar facilmente o espectador que não vive sem o seu animal de estimação fofo em casa.   



Me sigam no Facebook, twitter e Google+

Nenhum comentário: