Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sendo frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 70 certificados),sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

terça-feira, 27 de setembro de 2016

Cine Dica: Em Cartaz: BRUXA DE BLAIR



Sinopse: Um grupo de estudantes de Milwaukee, durante uma viagem para acampar em uma das florestas da região, decide penetrar ainda mais no coração das árvores do que o previsto e acaba descobrindo que a floresta esconde seres perigosos.

A Bruxa de Blair de 1999 pegou todo mundo desprevenido, pois ele foi promovido como se realmente fosse um documentário real e que os eventos vistos na tela realmente aconteceram. Naquele ano a internet ainda engatinhava, ao ponto de não haver muitas informações sobre o que era realmente a obra. A possibilidade de tudo ser verídico somente aumentou com o lançamento de um documentário de uma hora de duração que foi exibido uma semana antes na TV americana e que fez do filme parecer ainda mais autêntico.
Após a estréia, foi desvendado aos poucos que tudo não passou de pura propaganda orquestrada pelos criadores, mas que foi o suficiente para o filme se tornar um grande sucesso de bilheteria daquele ano e se transformar aos poucos em objeto de culto. Não demorou muito para que o filme ganhasse uma continuação (Bruxa de Blair 2: O Livro das Sombras), mas que todos atualmente se esqueceram devido a sua ruindade. Passados quase vinte anos após o lançamento do cultuado filme, eis que chega Bruxa de Blair que, além de ser uma continuação, o filme é uma espécie de releitura do filme original, respeitando os fãs e nos brindando com alguns momentos que realmente nos prende na cadeira. 
Dirigido pelo cineasta Adam Wingard, o filme já começa com uma cena de dentro da horripilante cabana vista no filme de 1999, mas dando a entender que ela foi gravada recentemente. James (James Allen McCune), ao ver o vídeo pela internet, decide então adentrar na floresta, já que ele é irmão da desaparecida Heather e que acredita que ela ainda possa estar viva após todos esses anos. Com um grupo de amigos mais equipamento de filmagem sofisticado, todos adentram a floresta que foi palco daqueles eventos misteriosos.
Não é preciso ser gênio em adivinhar que a idéia deles entrarem naquela floresta é uma péssima idéia e que, gradualmente, coisas estranhas começam acontecer naquele lugar. Tudo o que aconteceu no filme original acontece aqui novamente, mas diferente do que foi visto em 1999, aqui as situações são vistas numa escala maior e tornando tudo mais assustador. Porém, não é pelo fato da tecnologia de hoje tornar tudo mais crível que é obrigatoriamente tornar tudo mais explicito, pois não espere a aparição da bruxa, sendo que ela surge de uma forma quase que não dê para identificar o que ela é exatamente.
Tudo isso para tornar o clima de mistério ainda mais saboroso para ser degustado, mas que ao mesmo tempo, jogando uma luz de possibilidades sobre o que realmente acontece naquele lugar. Com jogos de luzes, sombras e movimentos de câmera bem arquitetados, a trama levanta inúmeras teorias, desde viagem do tempo, congelamento do tempo, alienígenas e possessão demoníaca. Nada disso ofende os fãs do cultuado filme, mas sim respeitando e fazendo com que a imaginação trabalhe nos minutos que acontecem esses fenômenos inexplicáveis.
A produção somente peca pelo fato de boa parte dos integrantes do grupo se tornar desinteressante e fazendo com que não nos importemos muito com eles quando cada um tem o seu destino selado. A trama acaba por então se concentrando mais nas duas figuras que são James e sua amiga Lisa (Callie Hernandez), sendo que essa última acaba se tornando, mesmo que involuntariamente, a protagonista de momentos de pura angustia principalmente no terceiro ato final da trama. O final, aliás, retorna justamente na casa vista ao final do filme original, mas ao invés de repetir o que já foi visto, a casa acaba se revelando muito mais assustadora do que nunca e fazendo com que até mesmo a própria famigerada floresta se tornasse um lugar até mais seguro do que aquele local.
Com pouco mais de uma hora e meia, Bruxa de Blair é um filme sequência digno de nota, cuja sua releitura do clássico acaba tornando a sessão muito mais assustadora e prazerosa. 



Me sigam no Facebook, twitter e Google+

Nenhum comentário: