Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sendo frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 70 certificados),sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

quinta-feira, 30 de junho de 2016

Cine Dica: "Teobaldo Morto, Romeu Exilado" estreia no CineBancários

Destaque nos festivais brasileiros, novo longa-metragem de Rodrigo de Oliveira estreia em Porto Alegre no Cine Bancários a partir de 30 de Junho

O longa-metragem de ficção “Teobaldo Morto, Romeu Exilado”, de Rodrigo de Oliveira, estreia no CineBancários no dia 30 de junho. O filme será exibido nas sessões das 15h e 19h e dividirá a programação da sala de cinema com “Trago Comigo”, da cineasta Tata Amaral, que fica na sessão das 17h.
Apontado como um dos destaques do circuito de festivais em 2015, o filme teve sua estréia na competição da prestigiada Mostra de Cinema de Tiradentes e seguiu carreira por festivais em São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Minas Gerais, Pará e Pernambuco até aportar nos cinemas de arte de todo o país este mês.

TEOBALDO MORTO, ROMEU EXILADO
     O longa-metragem é um drama adulto com elementos de mitologia, fantasia e aventura. No filme, João é um músico de 32 anos que se isola em uma fazenda após Flora, sua mulher grávida, romper com ele. Depois de três meses, quando parece estar pronto para reparar seus erros junto a Flora e acompanhar o parto de seu filho, João é surpreendido pela misteriosa visita de Max, seu melhor amigo, há muitos anos desaparecido e dado como morto.
Escrito e dirigido pelo capixaba Rodrigo de Oliveira, “Teobaldo Morto, Romeu Exilado” é o segundo longa-metragem do premiado diretor de “As Horas Vulgares” (2011), e roteirista de “Exilados do Vulcão” (2013), filme de Paula Gaitán que foi o grande vencedor do Festival de Brasília em seu ano. O filme mais recente de Rodrigo, “Eclipse Solar” (2016), recebeu o Prêmio Aquisição de Melhor Curta-Metragem pelo Canal Brasil na última edição da Mostra de Cinema de Tiradentes.
“No coração do filme está a idéia da paternidade: que homens devemos nos tornar para receber os filhos que colocamos no mundo? O que se deve abandonar da vida anterior – os amigos e os amores que nos formaram – diante da chance de criar uma nova vida?”, explica o diretor.
“O acerto de contas entre os personagens de João e Max explora emoções e dramas bastante reconhecíveis, mas também o preenchemos de sonho e de fantasia. Na fronteira entre o amor de pai e o amor de amigos, jogamos com o imaginário da mitologia ocidental, da tradição popular interiorana, do apelo visual que transtorna a narrativa e oferece ao espectador uma experiência única. Partimos do drama de câmara para chegar ao suspense, ao épico e ao filme de aventura”, completa Rodrigo de Oliveira.
Rodado em locação pelo interior do estado do Espírito Santo, “Teobaldo Morto, Romeu Exilado” tem à frente do elenco dois atores mineiros que começaram juntos a carreira no teatro de Belo Horizonte, mas que aqui dividem pela primeira vez o protagonismo no cinema. Alexandre Cioletti (de “Depois Daquele Baile”, “Batismo de Sangue” e a novela “Tempos Modernos”) interpreta João, às voltas com a chegada de seu primeiro filho e lidando com os espólios deixados por Max desde sua fuga. Rômulo Braga interpreta o exilado Max, que retorna ao Brasil depois de viver anos escondido na Croácia, lugar em que fora criado enquanto sua mãe fugia da perseguição da ditatura militar brasileira. Rômulo é um dos atores de maior destaque do cinema brasileiro contemporâneo (“Mutum”, “O Que Se Move”, “As Horas Vulgares”, e vencedor do Troféu Redentor de Melhor Ator Coadjuvante no Festival do Rio por “Sangue Azul”).
Completam o elenco a atriz paulista Sara Antunes (“Se Deus Vier Que Venha Armado” e “As Horas Vulgares”); e dois atores de destaque dos palcos e das telas capixabas: Margareth Galvão (“Lamarca”, “O Amor Está no Ar” e “Mar Negro”), e a jovem revelação Erik Martíncues, descoberto pelo diretor na realização de “As Horas Vulgares”, e que protagoniza o premiado “Eclipse Solar”.
“Teobaldo Morto, Romeu Exilado” reúne os parceiros frequentes na trajetória profissional de Rodrigo de Oliveira: a fotografia é assinada por Lucas Barbi (“O Prefeito”, “Futuro Junho” e “Seca”), enquanto a montagem fica a cargo de Luiz Pretti (“Estrada para Ythaca” e “Os Monstros”). Rodrigo Aragão, mestre do horror brasileiro contemporâneo, contribui para a maquiagem de efeitos. A trilha sonora contém canções marcantes de Milton Nascimento e Mercedes Sosa, além do uso épico de um famoso concerto de Beethoven.
Produzido e distribuído pela Pique-Bandeira Filmes, o filme tem co-produção da Galpão Produções. Realizado com recursos do Funcultura, por meio do edital da Secretaria de Estado da Cultura do Espírito Santo, o filme contou ainda com apoio da Cofril.

FESTIVAIS
- 18ª Mostra de Cinema de Tiradentes – Mostra Aurora
- Cine.Ema – Festival de Cinema Ambiental e Sustentável de Cachoeiro de Itapemirim
- VII Semana dos Realizadores (Rio de Janeiro)
- Festival Internacional de Cinema do Caeté – FICCA
- Mostra Cinema Brasileiro Contemporâneo (Cinemateca Brasileira)
- 22º Festival de Cinema de Vitória (Filme de Encerramento)
- II Cine Jardim - Festival de Cinema de Belo Jardim (Pernambuco)

FICHA TÉCNICA
TEOBALDO MORTO, ROMEU EXILADO
Brasil / Drama e ficção / 118 minutos
Diretor: Rodrigo de Oliveira
Produtora: Pique-Bandeira Filmes
Sinopse: João é um músico de 32 anos que opta pelo isolamento numa propriedade no interior do Brasil após Flora, sua mulher grávida, romper com ele. Depois de três meses, quando finalmente parece estar pronto para reparar seus erros junto a Flora e acompanhar o parto de seu filho, João é surpreendido pela misteriosa visita de Max, seu melhor amigo, há muitos anos desaparecido e dado como morto.
Elenco: Alexandre Cioletti, Rômulo Braga, Sara Antunes,
Erik Martíncues e Margareth Galvão
Roteiro e Direção: Rodrigo de Oliveira
Produção Executiva: Vitor Graize
Fotografia: Lucas Barbi
Montagem: Luiz Pretti
Direção de Arte: Manuela Curtiss
Figurino: Luiza Fardin
Som Direto: Hugo Reis e Pedro Diógenes
Assistentes de direção: Gabriele Stein e Daniel Salaroli
Direção de Produção: Bob Redins
Edição de som: Hugo Reis
Mixagem: Alexandre Barcelos
Música: Fábio Andrade
Color Grading: Antoine D`Artemare
GRADE DE HORÁRIOS
28 de junho (terça-feira)
15h – “Trago Comigo” Direção: Tata Amaral
17h – “Trago Comigo” Direção: Tata Amaral
19h – “Trago Comigo” Direção: Tata Amaral

29 de junho (quarta-feira)
15h – “Trago Comigo” Direção: Tata Amaral
17h – “Trago Comigo” Direção: Tata Amaral
19h – “Trago Comigo” Direção: Tata Amaral

30 de junho (quinta-feira)
15h – “Teobaldo Morto, Romeu Exilado” Direção: Rodrigo de Oliveira
17h – “Trago Comigo” Direção: Tata Amaral
19h – “Teobaldo Morto, Romeu Exilado” Direção: Rodrigo de Oliveira

1º de julho (sexta-feira)
15h – “Teobaldo Morto, Romeu Exilado” Direção: Rodrigo de Oliveira
17h – “Trago Comigo” Direção: Tata Amaral
19h – “Teobaldo Morto, Romeu Exilado” Direção: Rodrigo de Oliveira

2 de julho (sábado)
15h – “Teobaldo Morto, Romeu Exilado” Direção: Rodrigo de Oliveira
17h – “Trago Comigo” Direção: Tata Amaral
19h – “Teobaldo Morto, Romeu Exilado” Direção: Rodrigo de Oliveira

3 de julho (domingo)
15h – “Teobaldo Morto, Romeu Exilado” Direção: Rodrigo de Oliveira
17h – “Trago Comigo” Direção: Tata Amaral
19h – “Teobaldo Morto, Romeu Exilado” Direção: Rodrigo de Oliveira

5 de julho (terça-feira)
15h – “Teobaldo Morto, Romeu Exilado” Direção: Rodrigo de Oliveira
17h – “Trago Comigo” Direção: Tata Amaral
19h – “Teobaldo Morto, Romeu Exilado” Direção: Rodrigo de Oliveira

6 de julho (quarta-feira)
15h – “Teobaldo Morto, Romeu Exilado” Direção: Rodrigo de Oliveira
17h – “Trago Comigo” Direção: Tata Amaral
19h – “Teobaldo Morto, Romeu Exilado” Direção: Rodrigo de Oliveira

Os ingressos podem ser adquiridos no local a R$10,00. Estudantes, idosos, pessoas com deficiência, bancários sindicalizados e jornalistas sindicalizados pagam R$5,00.

Nenhum comentário: