Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sócio do Clube de Cinema de Porto Alegre, frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 98 certificados) e ministrante do curso Christopher Nolan - A Representação da Realidade. Já fui colaborador de sites como A Hora do Cinema, Cinema Sem Frescura, Cinema e Movimento e Cinesofia. Sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para marcelojs1@outlook.com ou beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

quarta-feira, 20 de maio de 2015

Cine Dica: Luiz Carlos Oliveira Jr. e Raros Especial na mostra 8x André Téchiné


Nesta semana acontecem duas sessões especiais dentro da mostra 8x André Téchiné. Na quarta-feira, 20 de maio, às 20h, a Cinemateca Capitólio recebe o crítico e pesquisador Luiz Carlos Oliveira Jr. para conversar com o público sobre a obra do realizador francês, após a exibição de um de seus filmes mais recentes, As Testemunhas (2007). Na sexta-feira, 22 de maio, às 20h, acontece uma edição especial do Projeto Raros da Sala P. F. Gastal da Usina do Gasômetro (3º andar) com uma das obras mais importantes da fase inicial de Téchiné, Barroco, o Jardim do Suplício (1976). A mostra é uma realização da Coordenação de Cinema, Vídeo e Fotografia e da Vai & Vem Produções Culturais e Cinematográficas, com apoio da Embaixada da França no Brasil, o Consulado da França em São Paulo e do restaurante Atelier de Massas. 
A conclusão das obras da Cinemateca Capitólio representa um momento histórico na vida cultural de Porto Alegre. Iniciado em 2004, o longo e complexo processo de restauração do Cine-Theatro Capitólio, uma das mais luxuosas salas de cinema da cidade, além de recuperar a vocação original do espaço como sala de exibição, também teve o objetivo de transformar o prédio em um local destinado à preservação da memória audiovisual do Rio Grande do Sul. O projeto de restauração e de ocupação do espaço foi patrocinado pela Petrobras, Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social – BNDES e Ministério da Cultura. O projeto também contou com recursos da Prefeitura de Porto Alegre, proprietária do prédio, e realização da Fundação Cinema RS – FUNDACINE


LUIZ CARLOS OLIVEIRA JR.

Doutorando em Meios e Processos Audiovisuais pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP), sob orientação do Prof. Dr. Ismail Xavier. Autor do livro "A mise en scène no cinema: do clássico ao cinema de fluxo" (Papirus, 2013). Atuou como crítico de cinema na revista eletrônica Contracampo no período 2002-2011, participando do corpo editorial de 2004 em diante. Curador das mostras de cinema "Vincente Minelli - Cinema de Música e Drama" (CCBB-RJ e SP, 2011) e "Jacques Rivette - Já Não Somos Inocentes (CCBB-RJ e SP, 2013). Como professor convidado, lecionou a disciplina Crítica Cinematográfica no curso de Cinema e TV da Faculdade de Artes do Paraná (segundo semestre de 2008). Autor do artigo De volta para o futuro: a nova era do cinema sul-coreano publicado em Cinema Mundial Contemporâneo, Campinas, SP: Papirus, 2008. Participou do Trainee Project for Young Film Critics do Festival Internacional de Cinema de Roterdã de 2008. Integrou o programa Collegium, para jovens pesquisadores de cinema, da 27ª e da 28ª edições da Giornate de Cinema Muto de Pordenone (Itália), em outubro de 2008 e de 2009, respectivamente. Já colaborou para as revistas Bravo!, Cult, Interlúdio, Paisà e Foco e para o Guia Folha Livros, Discos e Filmes. Ministrou cursos e oficinas em espaços como Centro Cultural Banco do Brasil, CineSESC, Cine Humberto Mauro e Fundação Getúlio Vargas. Diretor e roteirista de O dia em que não matei Bertrand , curta-metragem 35 mm adaptado do conto homônimo de Sérgio Sant’anna.

AS TESTEMUNHAS 
(Les Témoins, França, 2007, 112')
Com: Michel Blanc, Emmanuelle Béart, Sami Bouajila, Julie Depardieu, Johan Libéreau

Desde que conhece o jovem Manu (Libéreau), o médico Adrien (Blanc) fica completamente apaixonado. Manu porém prefere preservar a relação apenas no nível da amizade. Adrien apresenta-o então à sua melhor amiga, Sarah (Béart), que acabou de ter um filho e vive uma relação aberta com o marido (Bouajila). Passado em meados dos anos 1980, o filme tem como contexto o momento da descoberta e disseminação da Aids na Europa. Exibição em 35mm.


RAROS: BARROCO, O JARDIM DO SUPLÍCIO

(Barocco, França, 1976, 105') 
Com: Isabelle Adjani, Gerard Depardieu, Marie-France Pisier, Jean-Claude Briali, Hélène Surgère

Terceiro longa-metragem realizado por André Téchiné. Samson, um lutador de boxe (Depardieu), tem informações que podem acabar com a carreira de um conhecido político cuja candidatura às eleições presidenciais será lançada nos próximos dias. A fim de impedir que essas revelações venham à tona, o partido do candidato suborna Samson e impõe como condição que ele deixe o país imediatamente com sua namorada (Adjani). Exibição em Blu-ray / Legendagem eletrônica em português


GRADE DE HORÁRIOS
CINEMATECA CAPITÓLIO
19 a 24 de maio de 2015

19 de maio (terça)
15:00 – Cuba Libre
16:30 – Era uma Vez na Anatólia
20:00 – Os Ladrões

20 de maio (quarta) 
15:00 – Cuba Libre
16:30 – Era uma Vez na Anatólia
20:00 – As Testemunhas + debate com o crítico Luiz Carlos Oliveira Jr.

21 de maio (quinta)
15:00 – Cuba Libre
16:30 – Era uma Vez na Anatólia
20:00 – As Irmãs Brontë

22 de maio (sexta)
15:00 – Cuba Libre
16:30 – Era uma Vez na Anatólia
20:00  – Projeto Raros: Barroco, o Jardim do Suplício (Sessão na Sala P. F. Gastal/Usina do Gasômetro)

23 de maio (sábado)
15:00 – O Local do Crime
17:00 – Rosas Selvagens
19:00 –  Rendez-vous

24 de maio (domingo)
17:00 – As Testemunhas
19:00 – Hotel das Américas

  
Sala P. F. Gastal
Coordenação de Cinema, Vídeo e Fotografia
Av. Pres. João Goulart, 551 - 3º andar - Usina do Gasômetro
Fone 3289 8133

www.salapfgastal.blogspot.com

Nenhum comentário: