Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sócio do Clube de Cinema de Porto Alegre, frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 98 certificados) e ministrante do curso Christopher Nolan - A Representação da Realidade. Já fui colaborador de sites como A Hora do Cinema, Cinema Sem Frescura, Cinema e Movimento e Cinesofia. Sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para marcelojs1@outlook.com ou beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

quarta-feira, 6 de setembro de 2017

Cine Dica: Um é Pouco, Dois é Bom no Projeto Raros

PROJETO RAROS ESPECIAL APRESENTA PIONEIRO FILME DE ODILON LOPEZ
Na sexta-feira, 08 de setembro, às 20h, a Cinemateca Capitólio Petrobras apresenta uma edição especial do Projeto Raros com exibição da cópia em 35mm de Um é Pouco, Dois é Bom (1970, 97 minutos), de Odilon Lopez, um dos primeiros longas realizados por um diretor negro no Brasil. A sessão tem entrada franca.

Sinopse: Episódio “Com Um Pouquinho de Sorte”: Jorge, motorista de ônibus, e Maria, comerciária, se casam e vão residir num apartamento popular. Ela, grávida, é despedida do emprego e ele, sofrendo um acidente, tem o mesmo destino. O casal começa a sofrer com problemas financeiros. Episódio “Vida Nova Por Acaso”: Magrão e Crioulo vivem às custas de pungas de bolsas femininas nas ruas centrais de Porto Alegre, embora nem sempre sejam bem-sucedidos em seus golpes.

Odilon Lopez nasceu em 1941 em Minas Gerais. Órfão de pai e mãe, foi criado pelos avós em Belo Horizonte. A primeira paixão cinematográfica foram os filmes de Charles Chaplin. Em 1959, mudou-se para Porto Alegre. Estabelecido no Rio Grande do Sul, atuou no clássico Coração de Luto (1967), de Eduardo Llorente. Em 1970, vendeu um apartamento e realizou de forma independente Um é Pouco, Dois é Bom, seu única longa-metragem, com diálogos escritos por Luís Fernando Veríssimo. O filme é interpretado por Araci Esteves, Francisco Silva e pelo próprio Odilon.

GRADE DE HORÁRIOS
5 a 10 de setembro de 2017

5 de setembro (terça)
16h – Para Sempre
18h – Mulher do Pai
20h – O Bravo Guerreiro

6 de setembro (quarta)
16h – Rifle
18h – Para Sempre
20h – Os Herdeiros

7 de setembro (quinta)
16h – Mulher do Pai
18h – Os Inconfidentes
20h - Quem é Beta?

8 de setembro (sexta)
16h – Para Sempre
18h – Rifle
20h - Projeto Raros Especial: Um é Pouco, Dois é Bom

9 de setembro (sábado)
16h – Sessão Especial - Curtas Premiados em Gramado
18h – São Bernardo
20h – Longo Caminho da Morte (+ debate com o diretor Julio Calasso)

10 de setembro (domingo)
18h – Crônica de um Industrial
20h - Blábláblá + Conversas no Maranhão

Nenhum comentário: