Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sócio do Clube de Cinema de Porto Alegre, frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 98 certificados) e ministrante do curso Christopher Nolan - A Representação da Realidade. Já fui colaborador de sites como A Hora do Cinema, Cinema Sem Frescura, Cinema e Movimento e Cinesofia. Sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para marcelojs1@outlook.com ou beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

segunda-feira, 4 de setembro de 2017

Cine Dica: Em Cartaz: O Deserto do Deserto



Sinopse:O Deserto do Deserto é um documentário de longa-metragem sobre um dos mais duradouros e menos conhecidos conflitos do planeta, a invasão do Saara Ocidental, a última colônia da África, ocupada pelo Marrocos há 40 anos, e o drama de seu povo, os beduínos nômades Saharauis.

Dirigido por Samir Abujamra e Tito Gonzalez Garcia, O Deserto do Deserto é um documentário sobre um dos mais longos, além de pouco conhecido para o mundo, o conflitos sobre a invasão do Saara Ocidental, a última colônia da África, ocupada pelo Marrocos desde 1975, e o drama de seu povo, os beduínos nômades Saharauis.
“Fui “apresentado” ao Saara Ocidental no apartamento de Tito Gonzalez Garcia, em Paris. Lá ele me mostrou imagens impactantes que havia feito numa rápida visita aos campos de refugiados Saharauis, na Argélia. Tive três reações quase imediatas – a primeira foi de curiosidade e espanto sobre aquele conflito tão duradouro do qual nunca havia ouvido falar. Em seguida fiquei arrepiado ao ver aqueles sofridos beduínos falando Espanhol. Por fim fui invadido pela certeza de que tinha de ir ao encontro do Deserto”, conta o cineasta Samir. 
Colocados em uma das partes mais sem vida do  Deserto do Saara, o povo Saharaui persiste em continuar vivendo nestes 40 anos de guerra e confinamento. As missões para obter o território foram impedidas pela construção pelo Exército Marroquino de um muro com quase três mil quilômetros de extensão guarnecida por quase sento e cinquenta mim soldados e sete milhões de minas, isolando os Saharauis das suas infindáveis  riquezas minerais e pesqueiras do território ocupado. O muro marroquino, conhecido como “Muro de la Vergüenza”, é a maior barreira militar defensiva do globo. 
Samir Abujamra e Tito Gonzalez Garcia passaram trinta dias filmando nos Campos de Refugiados Saharauis, na Argélia e no chamado Território Livre Saharaui. Metade desse tempo foi realizado em uma viagem de três mil e duzentos quilômetros  pelo deserto, por regiões das quais ninguém de outro país teve acesso desde o ano de 1991, com o intuito de alcançar até a última e pequena porção de costa ainda pertencente aos Saharauis. Curiosamente, os diretores acabaram fazendo parte desse conflito quando o jipe que estavam explodiu ao passar por sobre uma mina antitanque, a apenas 800 metros de distancia do Oceano Atlântico.
O Deserto do Deserto é um filme que nos dá um olhar inédito sobre o melancólico destino de um povo obrigado a viverem isolados e que, infelizmente, essa cruzada de sofrimento é praticamente desconhecida aos olhos do mundo.

Em Cartaz no Cinebancários as 19h e a partir do dia 07 de setembro as 15h. Cinebancários: R. Gen. Câmara, 424 - Centro, Porto Alegre.

Me sigam no Facebook, twitter, Google+ e instagram

Nenhum comentário: