Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sendo frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 70 certificados),sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

quarta-feira, 13 de setembro de 2017

Cine Dica: Em Cartaz: Um Filme De Cinema



Sinopse: As ruínas do Cine Continental, abandonado em pleno sertão da Paraíba, servem como ponto de partida para um ensaio sobre o cinema, com depoimentos de diversos realizadores.


Nada melhor do que ir ao cinema e assistir um filme do qual você sabia pouco sobre ele. Quando eu soube de Um filme de Cinema de Walter Carvalho (Janela da Alma), eu achava que o documentário iria explorar as origens do Cinema Continental, localizado no sertão da Paraíba e que atualmente se encontra em ruínas. Porém, o cenário somente serve de passaporte para o cinéfilo de carteirinha, já que Carvalho nos leva para testemunharmos as opiniões de inúmeros cineastas consagrados com relação ao cinema e do porque deles se dedicarem a essa arte até hoje.
Uma vez apresentado a premissa do documentário, Carvalho logo coloca na tela entrevistas das quais ele realizou no decorrer dos anos e as juntou para formar um verdadeiro mosaico de informações com relação à sétima arte. Dos convidados temos os ilustres cineastas como  Ken Loach, Gus Van Sant, Héctor Babenco, Jose Padilha, Karim Ainouz, Júlio Bressane, Giuseppe Tornatore e, para o meu espanto, Béla Tarr, do qual eu conheci pelo filme Cavalo de Turim. Cada um possui uma opinião distinta com relação aos motivos que os levaram a embarcarem nesse trabalho, do qual pode trazer, tanto o sucesso, como também uma carreira de altos e baixos. Curiosamente, alguns deles nem se imaginavam como cineastas, sendo que alguns, por exemplo, pensavam que se tornariam somente escritores, mas que foi devido às sessões de cinema de antigamente que fizeram muitos deles se tornarem o que são hoje. É por essas sessões narradas por eles que o documentário ganha ainda mais brilho, principalmente quando surgem do nada algumas cenas clássicas de inúmeros filmes, que vai desde os clássicos O Demônio das Onze Horas, Banda a Parte (ambos de Jean Luc Godard), aos filmes como Cinema Paradiso e Elefante. 
O documentário não só se propõe a buscar opiniões distintas de cada um desses cineastas, como também elevar a importância do cinema ao longo da sua história. Um dos momentos mais curiosos, por exemplo, é quando todos concordam com o fato de que, o cinema em si, é a própria maquina do tempo, da qual possui começo (passado), meio (presente), fim (futuro). Se isso pode soar meio que forçado, basta observar um dos cineastas analisando o velho rolo de filme e nos darmos conta que esse pensamento não foge muito da razão.
O ato final reserva momentos importantes, pois Carvalho fez questão de ir até a Itália e visitar o cenário que um dia pertenceu ao clássico Cinema Paradiso. Esse momento, aliás, acaba se casando com os primeiros minutos do documentário, pois ambos os cinema, tanto o nosso da Paraíba, como aquele do clássico italiano, não existem mais e ambos tornando apenas boas lembranças de uma época mais dourada. Por mais triste que seja não deixa de ser curioso como Carvalho presta uma bela homenagem a essas salas escuras que, embora ainda sobrevivam entre shoppings e cinematecas, o seu passado mais rico ficou para traz, mas ainda ecoando nos dias de hoje e sobrevivendo como um verdadeiro ilustre da arte em movimento.
Com uma inesquecível cena final do qual sintetiza o filme como um todo, Um Filme De Cinema é uma carta de amor para aqueles que jamais abandonam o gosto de ir visitar a verdadeira casa da sétima arte. 





Me sigam no Facebook, twitter, Google+ e instagram

Nenhum comentário: