Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sócio do Clube de Cinema de Porto Alegre, frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 98 certificados) e ministrante do curso Christopher Nolan - A Representação da Realidade. Já fui colaborador de sites como A Hora do Cinema, Cinema Sem Frescura, Cinema e Movimento e Cinesofia. Sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para marcelojs1@outlook.com ou beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Cine Dica: Em Cartaz: MOSTRA DE CINEMA VENEZUELANO:

1, 2 e 3 Mulheres
Sinopse: A temática da mulher e sua relação com a sociedade a partir de diferentes perspectivas e propostas estéticas através das histórias de Eloína, Rosário e Gregoria. Eloína mostra a grandeza e o valor de assumir determinadas posições no papel materno. Rosário mostra a experiência da ingenuidade no contexto da solidão e Gregoria mostra a debilidade versus o ímpeto com que toma decisões para garantir sua estabilidade emocional.
Por ser dirigida por três diretores, a trama é dividida em três historias diferentes, mas com pequenas interligações, que se por lado são quase imperceptíveis, por outro, torna essa trama muito mais rica e enigmática. A primeira trama vê a protagonista encontrando a oportunidade, mas de uma forma arriscada, na segunda, uma jovem perdida em suas escolhas e na terceira, uma família, liderada por uma dona de casa, jogados na própria sorte em um fim do mundo.
De comum, vemos a determinação de ambas perante os obstáculos que a vida reserva, e se vemos o trio em situações que parecem perdidas, o roteiro reserva soluções, que embora meio artificiais, funciona com a proposta que o filme quer passar para o espectador, que não se pode perder a esperança, aja o que houver. Com fotografia, montagem e trilha diferente em cada seguimento (e bem feitas) 1,2 e 3 Mulheres é umas das melhores opções desse Festival Venezuelano.

Comando X

Sinopse: Uma divertida comédia de enredos, que narra vícios e dilemas de Manuel, um rapaz pobre que se apaixona por Lucia, uma jovem de classe média alta de Caracas. Ela é filha do chefe do "Comando", um grupo de oposição extremista que planeja um atentado para derrubar um governo legítimo. Trata-se de uma divertida história que, pouco a pouco, se transforma em uma trama sombria quando o "Comando", assessorado por agentes estrangeiros, irá executar um terrível atentado e Manuel precisa tomar uma difícil decisão: deter o tétrico atentado e perder o seu amor ou salvar a cidade desse horror.
Se Hugo Chavez assistiu a esse filme, ele deve ter adorado, pois a trama retrata o grupo de oposição de uma forma tão hilária, que não me surpreenderia se tivesse se tornado o filme preferido dele. Vemos o protagonista Manuel, com o único interesse de se dar bem na vida, mas que jamais se levantaria contra o governo, mas devido a circunstancias, se transforma numa espécie “de grande homem” a serviço da oposição. O que começa como uma espécie de comedia romântica, bem ao estilo do cinema americano, se transforma em uma espécie de humor negro, que por hora boba, por hora divertida, aliado a uma ótima montagem, que de uma forma inteligente, brinca com o universo das HQ, quando termina uma parte e começa outra. Embora seja um filme claramente a favor da direita, Comando X é apenas um filme divertido e não se levar muito a serio, apesar de estar no lado errado da situação atual da Venezuela.

Macuro
Sinopse: A história de Macuro, uma comunidade pesqueira do oriente do país, que se vê afetada por uma grande falta de eletricidade. Frente à ausência de energia, a comunidade decide pedir ajuda a uma grande fábrica de cimento que conta com um grande gerador. O desprezo da fábrica motiva os cidadãos a tomar medidas inesperadas, criando rebeliões com grandes conseqüências individuais e coletivas.
Apesar de ser baseado em fatos verídicos, podemos ver muito bem nesta produção, uma espécie de metáfora com relação ao povo da Venezuela, perante o governo atual. Ficando sem energia na cidade, o povo de Macuro começa a passar necessidade, se colocando a prova o teste resistência físico e psicológico de cada um dos personagens, onde que, o roteiro aproveita para explorar cada camada de personalidade dos personagens. Destaque para a seqüência na praia, onde ocorre a primeira oposição, e o ato final, que embora seja solucionado todas as pontas, há conseqüências irreversíveis, mas necessárias. Seria a produção uma forma do povo venezuelano dizer chega ao governo Chavez? Não me surpreenderia se fosse isso mesmo!


Em Cartaz: :CineBancários
Rua General Câmara, nº 424 – Centro Porto Alegre / RS CEP: 90010-230
Fone (51) 3433-1205.


Me Sigam no Facebook e Twitter

Nenhum comentário: