Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sendo frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 69 certificados),sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

terça-feira, 14 de junho de 2016

Cine Dica: Sessão especial de pré-estreia de "Trago Comigo"

O CineBancários terá uma sessão especial gratuita de pré-estreia do premiado “Trago Comigo”, de Tata Amaral, no dia 14 de junho (terça-feira) às 19h. Após a exibição, estarão presentes a diretora Tata Amaral e o ator Felipe Rocha para um bate-papo sobre o longa-metragem com o público. A bilheteria irá abrir meia hora antes da sessão, ou seja, às 18h30, para retirada de ingressos.
“Trago Comigo” irá entrar para a programação fixa do CineBancários no dia 16 de junho (quinta-feira) nas sessões das 15h e 19h. O filme dividirá a sala de cinema com “Uma Noite em Sampa”, de Ugo Giorgetti, que será exibido às 17h.

TRAGO COMIGO”
O diretor de teatro Telmo (Carlos Alberto Riccelli) foi preso pela ditadura civil-militar no Brasil (1964-1985), e posteriormente exilado. Quando é convidado para dar uma entrevista, se dá conta de que não tem memória alguma dos meses que passou clandestino e de como aconteceu sua prisão. Através da peça de teatro que passa a montar junto com seu jovem elenco, ele vai estabelecer um diálogo com as novas gerações, mergulhar na sua própria história e na história de seu país. Vai revelar para si e para todos aquilo que, de tão doloroso, preferiu esquecer.
Um dos aspectos do filme é alimentar a discussão sobre fatos pouco conhecidos da época da ditadura civil-militar e as sequelas deixadas naqueles que viveram situações de violência em sua decorrência. Esta atitude fica evidente diante do fato de que o Brasil é um país que, ao contrário da Argentina e do Chile, por exemplo, nunca puniu os crimes de tortura.
Depoimentos reais de ex-militantes contrários ao regime militar dialogam diretamente com a ação da trama. Por exemplo, a ex-guerrilheira Criméia Alice Schmidt de Almeida afirma no filme: “Eu apanhei muito e apanhei do comandante. Ele foi o primeiro a me torturar e me espancou até eu perder a consciência, sendo que eu era uma gestante bem barriguda. Eu tava no sétimo mês de gravidez”.
Já o jornalista Ivan Seixas, membro da Comissão de Familiares de Mortos e Desaparecidos Políticos, relembra que colocaram sua mãe embaixo da sala de tortura - e ela ouviu a noite inteira, o dia inteiro, seu marido (pai de Ivan) ser torturado e morto. Os depoimentos revelam ainda a angústia dos ex-militantes torturados pela ditadura militar em busca da verdade e da memória. Nessas sequências documentais de “Trago Comigo” os nomes dos policiais e torturadores citados nos depoimentos foram suprimidos, pois estes nunca foram julgados e condenados e a produção do filme correria o risco de ser processada judicialmente. Em 1979 o Estado brasileiro promulgou a Lei da Anistia não só para aqueles que haviam sofrido perseguição política, mas sua redação deu margem à discussão e os torturadores também foram considerados anistiados. Os familiares ainda buscam informações sobre os desaparecidos políticos. Após quase 40 anos, os arquivos dos órgãos de repressão militares continuam fechados.

 TATA AMARAL
A paulistana Tata Amaral, é uma das mais talentosas e premiadas realizadoras da cinematografia recente. Com seus longas metragens, conquistou mais de 50 prêmios em festivais nacionais e internacionais. A cineasta também se destaca pela experimentação e pela originalidade de seus trabalhos.
Seu longa-metragem de estreia, “Um Céu de Estrelas” (1997), foi considerado pela crítica como um marco do cinema brasileiro, sendo eleito um dos três filmes nacionais mais importantes da década passada, além de ter recebido dezenas de prêmios em importantes festivais internacionais.
“Antônia”, seu terceiro longa metragem, inspirou a série de televisão homônima exibida na Rede Globo em 2006 com recorde de audiência para o horário e que foi indicada ao EMMY/2007, o Oscar da televisão.
Seu filme, “Hoje” foi o grande vencedor do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro em 2011. Além disso dirigiu as séries de documentários “Rua!” para Secretaria Municipal de Direitos Humanos de São Paulo e “Causando na Rua” para o canal CINEBRASiLTV. E dirigiu episódios para a série “Psi” do canal HBO. Atualmente a cineasta trabalha no lançamento do longa “Trago Comigo”, estrelado por Carlos Alberto Riccelli, obra derivada da minissérie homônima exibida com enorme sucesso pela TV Cultura.


FELIPE ROCHA
Felipe Rocha: nasceu na França, Felipe Rocha é formado em Artes Cênicas pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (Uni-Rio). Fundou em 2008, ao lado de Alex Cassal, o grupo de teatro Foguetes Maravilha, no qual atua como ator, diretor e autor. Em 2011 seu texto "Ninguém falou que seria fácil", editado pela Editora Cobogó, recebeu os prêmios Shell, Questão de crítica e APTR (Associação de Produtores de Teatro do Rio de Janeiro), de melhor texto dramatúrgico. Na TV, trabalho em séries brasileiras como “Copa Hotel”, “Lili, a Ex” e “Tapas e Beijos”. No cinema, Rocha já participou de diversos filmes, entre eles, Mato sem Cachorro, de Pedro Amorim, “Nise - O coração da loucura”, de Roberto Berliner e agora, em “Trago Comigo”, de Tata Amaral.

FICHA TÉCNICA
TRAGO COMIGO
DRAMA / BRASIL / 88 minutos / 2016
Direção: Tata Amaral
Distribuição: Pandora Filmes
Codistribuição: SpCine
Elenco: Carlos Alberto Riccelli, Georgina Castro, Julio Machado, Emilio di Biasi, Pedro Lemos, Felipe Rocha, Selma Egrei, Maria Helena Chira, Paula Pretta e Gustavo Brandão.
Depoimentos: Criméia Alice Schmidt de Almeida, Elza Ferreira Lobo, Ivan Seixas, Maria Amélia de Almeida Teles, Raphael Martinelli, Rita Maria de Miranda Sipahi, Rose Nogueira, Sérgio Sister
Roteiro: Thiago Dottori e Willem Dias
Uma história de: Matias Mariani, Thiago Dottori e Tata Amaral
Produzido por: Tata Amaral e Caru Alves de Souza
Produção Executiva: Matias Mariani e Rafaella Costa
Direção de Produção: Rafaella Costa
Produção de elenco: Patrícia Faria
Som Direto: João Godoy
Desenho de Som: Pedro Noizyman e Kira Pereira
Mixagem: Pedro Noizyman
Música: Bruno Serroni e Habacuque Lima
Montagem: Willem Dias
Direção de Arte: J.C. Serroni
Fotografia e Câmera: Jacob Solitrenick, ABC
Consultora de Roteiro: Lúcia Murat
Preparação de Elenco: Christian Duurvoort e Marina Medeiros
Produtoras Associadas: DOT e Manjericão Filmes
Uma produção: Tangerina Entretenimento e Primo Filmes
Realização: Fundação Padre Anchieta/TV Cultura e Sesc São Paulo/SescTV

GRADE DE HORÁRIOS
14 de junho (terça-feira)
15h – Yorimatã, de Rafael Saar
17h – Uma Noite em Sampa, de Ugo Giorgetti
19h – Trago Comigo, de Tata Amaral (SESSÃO ESPECIAL GRATUITA DE PRÉ-ESTREIA: Debate após a sessão com a diretora Tata Amaral e o ator Felipe Rocha0

15 de junho (quarta-feira)
15h – Uma Noite em Sampa, de Ugo Giorgetti
17h – Yorimatã, de Rafael Saar
19h – Uma Noite em Sampa, de Ugo Giorgetti

16 de junho (quinta-feira)
15h – Trago Comigo, de Tata Amaral
17h – Uma Noite em Sampa, de Ugo Giorgetti
19h – Trago Comigo, de Tata Amaral

17 de junho (sexta-feira)
15h – Trago Comigo, de Tata Amaral
17h – Uma Noite em Sampa, de Ugo Giorgetti
19h – Trago Comigo, de Tata Amaral

18 de junho (sábado)
15h – Trago Comigo, de Tata Amaral
17h – Uma Noite em Sampa, de Ugo Giorgetti
19h – Trago Comigo, de Tata Amaral

19 de junho (domingo)
15h – Trago Comigo, de Tata Amaral
17h – Uma Noite em Sampa, de Ugo Giorgetti
19h – Trago Comigo, de Tata Amaral

21 de junho (terça-feira)
15h – Trago Comigo, de Tata Amaral
17h – Uma Noite em Sampa, de Ugo Giorgetti
19h – Trago Comigo, de Tata Amaral

22 de junho (quarta-feira)
15h – Trago Comigo, de Tata Amaral
17h – Uma Noite em Sampa, de Ugo Giorgetti
19h – Trago Comigo, de Tata Amaral

Os ingressos podem ser adquiridos no local a R$10,00. Estudantes, idosos, pessoas com deficiência, bancários sindicalizados e jornalistas sindicalizados pagam R$5,00.

Nenhum comentário: