Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sócio do Clube de Cinema de Porto Alegre, frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 90 certificados) e ministrante do curso Christopher Nolan - A Representação da Realidade. Já fui colaborador de sites como A Hora do Cinema, Cinema Sem Frescura e atualmente sou colunista da pagina Cinema e Movimento. Sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para marcelojs1@outlook.com ou beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

terça-feira, 5 de fevereiro de 2019

Cine Dica: Em Cartaz: Fevereiros - Música, Amor e Tradição

Sinopse: O documentário foi responsável por registrar a vitória da escola de samba carioca Estação Primeira de Mangueira em 2016, que teve um enredo homenageando a cantora baiana Maria Bethânia.  

Nos tempos retrógados de hoje que se alastra venenosamente para todo o Brasil se tornou comum políticos hipócritas, por exemplo, ficarem dizendo que o Brasil é moldado somente por um povo Cristão. Dizer isso é o mesmo que ignorar as verdadeiras raízes do país, do qual é moldado por imigrantes, escravos e o verdadeiros donos dessa terra que são os Índios. Mais do que uma homenagem a cantora Maria Bethânia, "Fevereiros" é sobre a nossa real cultura e que jamais se calará perante uma ditadura.  
Dirigido por Marcio Debellian ("O Vento lá Fora", 2014), o documentário faz um registro sobre a vitória da escola de samba carioca Estação Primeira de Mangueira em 2016, que teve como tema o enredo em homenageando a cantora baiana Maria Bethânia. Além de registrar a escola e o preparo para apresentação, os realizadores do documentário ainda acompanharam a cantora nas festas da Nossa Senhora da Purificação, na Bahia. 
Nos últimos tempos se tornou natural o cantor Caetano Veloso fazer parte de diversos documentários brasileiros como, por exemplo, "A Vida Extra-Ordinária de Tarso de Castro"(2018), pois são obras que trazem à tona períodos ou figuras importantes da nossa cultura brasileira. Portanto, sua presença aqui era mais do que óbvia, já que, para os desavisados, Caetano é irmão de Maria Bethânia e fazendo com que ambos em cena se tornem os dois lados da mesma moeda sobre a trajetória deles no ramo da música e em meio as raízes do universo baiano.  
Curiosamente, embora tenha crescido com as diretrizes impostas pela igreja católica, Maria Bethânia sempre optou em desfrutar e abraçar as belezas das religiões vindas, por exemplo, do candomblé e das demais que moldam o universo cheio de mitologia da Bahia. O documentário, portanto, procura fazer um pequeno mosaico sobre raízes culturais brasileiras a partir do momento em que se houve depoimentos de familiares, amigos, além da câmera sempre seguir os passos da cantora em meio a procissões e festas da região. Curiosamente, as cenas dela participando da escola de samba da Mangueira acabou ficando em segundo plano durante o documentário, mas quando finalmente surge as cenas da escola no ano de 2016, o filme ganha um grau maior de luzes, cores e significados. Com a participação sempre ilustre de Chico Buarque, “Fevereiros” é um pequeno documentário cheio de luz e brilho, do qual não é somente uma homenagem a cantora Maria Bethânia, como também nos lembra que vivemos em um país laico e que nenhum governo retrógrado irá mudar isso. 

Em Cartaz: Cinebancários. Rua General Câmara, nº 424, centro de Porto Alegre. Horários: 15h, 17 e 19h.  

Me sigam no Facebook,  twitter, Linkedlin e Instagram.  

Nenhum comentário: