Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sócio do Clube de Cinema de Porto Alegre, frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 98 certificados) e ministrante do curso Christopher Nolan - A Representação da Realidade. Já fui colaborador de sites como A Hora do Cinema, Cinema Sem Frescura, Cinema e Movimento e Cinesofia. Sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para marcelojs1@outlook.com ou beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

quinta-feira, 14 de junho de 2018

Cine Dica: Em Cartaz: Oito Mulheres e um Segredo



Sinopse: Recém-saída da prisão, Debbie Ocean (Sandra Bullock) planeja executar o assalto do século em pleno Met Gala, em Nova York, com o apoio de Lou (Cate Blanchett), Nine Ball (Rihanna), Amita (Mindy Kaling), Constance (Awkwafina), Rose (Helena Bonham Carter), Daphne Kluger (Anne Hathaway) e Tammy (Sarah Paulson).
Foi-se o tempo de mulheres indefesas nos cinemas, pois atualmente elas são fortes, destemidas e não devem nada aos homens machistas. Contudo, sempre haverá espaço para elegância vindo delas, mesmo quando a história envolve um grande roubo de proporções avassaladoras. Oito Mulheres e um Segredo é um divertido filme de roubo, onde a beleza, perigo e ousadia andam em harmonia.
Dirigido por Gary Ross (Jogos Vorazes), o filme conta a história de Debbie (Sandra Bullock) que, após sair da prisão, decide roubar um valioso colar de diamantes. Para isso ela procura a sua velha amiga e companheira de roubos Lou (Cate Blanchett). Porém, diferente do passado, ambas recrutam de mulheres profissionais que são Nine Ball (Rihanna), Amita (Mindy Kaling), Constance (Awkwafina), Rose (Helena Bonham Carter), Daphne Kluger (Anne Hathaway), Tammy (Sarah Paulson) e todas elas embarcam num roubo difícil, mas não impossível.
Embora o filme seja uma continuação da trilogia 11 Homens e um Segredo, já que a personagem de Bullock é irmã do personagem que foi de George Clooney naqueles filmes, esse detalhe é somente introduzido para atrair o grande público que conhecia a franquia, mas a trama funciona independente desse detalhe. Gary Ross cria um filme dinâmico, mesmo nos momentos de calmaria e criando uma bela edição de cenas que nos prende começo ao fim dela. A trama em si não trás nenhum frescor de originalidade dentro do gênero, mas nos conquista pelo seu dinamismo e por um elenco carismático.
Carisma, aliás, é o coração pulsante da obra, já que cada uma das atrizes constrói para si personagens distintas e revelando gradualmente os seus respectivos talentos na empreitada. Se consagrando no início da carreira através das comédias românticas, Sandra Bullock não exagera numa atuação cômica, mas sim sóbria e sarcástica em alguns momentos-chaves da trama. O mesmo vale para atriz Cate Blanchett, que cria uma personagem semelhante à de Bullock, mas tendo uma personalidade mais forte.
Das demais atrizes, é notório que cada uma delas trouxe um pouco do que já haviam feito em filmes anteriores para essa produção. Helena Bonham Carter, por exemplo, não se distancia da maioria das personagens góticas e excêntricas que havia interpretado no passado, mas nos brindando com as situações mais engraçadas do filme. Mas se por um lado a cantora Rihanna surpreende como uma séria, e profissional Hacker, do outro, vemos uma Anne Hathaway exagerada no humor, onde tenta ser engraçada, mas sendo uma versão mais cômica e meio forçada da personagem que ela havia se consagrado no filme O Diabo Veste Prada. 
Aliás, além do fato de Hathaway estar presente em cena, é inevitável que venha em nossas mentes o já clássico filme estrelado por Meryl Streep, já que o cenário do roubo é uma mera desculpa para testemunharmos inúmeros figurinos femininos lindíssimos e que enchem os nossos olhos. Não me surpreenderia, por exemplo, se ano que vem o filme viesse a ser lembrado na categoria de melhor figurino, já que o cenário, com suas inúmeras belas mulheres com os seus lindíssimos vestidos não devem passar despercebidos. Atenção para a cena em que Rihanna surge com um lindíssimo vestido vermelho e fazendo com que suas colegas de cena fiquem no chinelo.
Com começo, meio e fim bem amarrados, Oito Mulheres e um Segredo é uma agradável surpresa, mesmo quando tudo pareça um déjà vu, mas moldado com humor e beleza. 




Me sigam no Facebook, twitter, Google+ e instagram

Um comentário:

Unknown disse...

Todas estão afiadíssimas em seus papéis, com tiradas hilárias e atuações que são a marca da franquia: um time incrível de intérpretes vivendo personagens interessantes em um roubo extremamente glamouroso. Sarah Paulson fez um excelente trabalho no filme, sempre achei o seu trabalho excepcional, sempre demonstrou por que é considerada uma grande atriz, desfrutei do seu talento neste filme The Post filme faz uma grande química com todo o elenco, vai além dos seus limites e se entrego ao personagem. Lembro dos seus papeis iniciais, em comparação com os seus filmes atuais, e vejo muita evolução, mostra personagens com maior seguridade e que enchem de emoções ao expectador.