Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sócio do Clube de Cinema de Porto Alegre, frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 98 certificados) e ministrante do curso Christopher Nolan - A Representação da Realidade. Já fui colaborador de sites como A Hora do Cinema, Cinema Sem Frescura, Cinema e Movimento e Cinesofia. Sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para marcelojs1@outlook.com ou beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

terça-feira, 26 de junho de 2018

Cine Dica: Em Cartaz: Dedo na Ferida



Sinopse: “Dedo na Ferida” trata do fim do estado de bem-estar social em um cenário onde a lógica homicida do capital financeiro inviabiliza a justiça social. Milhões de pessoas peregrinam em busca de melhores condições de vida enquanto o capital aspira a concentração da riqueza em poucas mãos.

A crise de 1929 que abalou os EUA era um pequeno indício de como o capital financeiro beneficiava um pequeno grupo de poderosos, mas esquecia da maioria do povo. A crise de 2008 que, não somente abalou os EUA, como também o restante do mundo, comprovou o estouro da bolha e que ainda se respinga até hoje. Dedo na Ferida desvenda não somente as raízes do veneno do capitalismo desenfreado como também as suas sequelas que atingem em tempos contemporâneos.
Dirigido por Silvio Tendler (Jango), o documentário desvenda as engrenagens do mercado financeiro e como ele influencia diversas partes pelo mundo. A obra possui entrevistas com entendedores da área como Yanis Varoufakis, ex-ministro das Finanças da Grécia; Celso Amorim, ex-ministro das Relações Exteriores do Brasil; Paulo Nogueira Batista Jr, vice-presidente do banco dos Brics; o cineasta Costa-Gavras; os intelectuais Boaventura de Sousa Santos (Universidade de Coimbra, Portugal), David Harvey (University of New York, Estados Unidos) e Maria José Fariñas Dulce (Universidade Carlos III, Espanha); os economistas Ladislau Dawbor (PUC-São Paulo), Guilherme Mello (Unicamp) e Laura Carvalho (USP), entre outros pensadores que interferem no mundo contemporâneo.
Embora o mercado financeiro mundial seja algo complexo de ser compreendido, o cineasta Silvio Tendler consegue criar um filme dinâmico e compreensivo para os leigos. Em meio às entrevistas, por exemplo, há sempre surgindo na tela desenhos explicativos e correspondendo com as palavras daqueles que são entrevistados. Bom exemplo disso é a cena em que um economista explica como funcionam os rendimentos de nossas poupanças, qual é a ligação dos impostos que as pessoas pagam no dia a dia e qual a porcentagem total que os poderosos ganham pelas nossas costas.
Por mais mórbido que seja o documentário desmascara o verdadeiro papel do capitalismo de ontem e hoje, do qual é moldado para beneficiar somente 2% da população mundial, enquanto as demais lutam para sobreviver em meio aos altos e baixos desse processo. Curiosamente, as consequências vão muito mais além dos números, que vão desde o surgimento do conservadorismo que assola o meio político, discursos neoliberais e o enfraquecimento pelos direitos sociais. A vitória de alguém como Donald Trump nos EUA, por exemplo, é um pequeno indício dessa teia de eventos e tende somente a piorar se algo não for feito.
Além das entrevistas, temos uma segunda linha narrativa, onde acompanhamos um trabalhador brasileiro, que precisa sustentar a sua família, mas tendo que enfrentar as adversidades e a falta de recurso do dia a dia. Ele somente é um pequeno exemplo de inúmeras pessoas do Brasil e do mundo, do qual se tornam as próprias engrenagens do capitalismo, mas que são esquecidos pelos engravatados e donos do dinheiro. O ápice da obra é quando surgem cenas dos protestos recentes pelo Brasil contra as reformas trabalhistas e da previdência e que sintetizam a calamidade criada pelos políticos atuais que abraçaram as privatizações e a extinção de recursos sociais que eram prol do povo. 
O documentário Dedo na Ferida possui uma criativa reconstituição de uma grande teia de eventos que desencadeou, não somente a crise atual do Brasil, como também as diversas que ocorrem em vários pontos do globo. 

Onde assistir: Cinebancários: Rua General Câmara, nº 424, centro de Porto Alegre: Horários: Hoje e amanhã sessões das 17h e 19h. Do dia 28 de Junho a 04 de Julho sessão as 15h.       

 
 Me sigam no Facebook, twitter, Google+ e instagram

Nenhum comentário: