Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sendo frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 70 certificados),sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

quarta-feira, 5 de julho de 2017

Cine Dica: Em Cartaz: Ao Cair da Noite



Sinopse: Paul mora com sua esposa e o filho numa casa solitária e misteriosa, mas segura, até que chega uma família desesperada procurando refúgio. Aos poucos a paranóia e desconfiança vão aumentando e Paul vai fazer de tudo para proteger sua família contra algo que vem aterrorizando todos.

O cinema de horror independente americano está cada vez mais provando a sua força em termos de originalidade, mas, ao mesmo tempo, não sendo compreendido pelo público em geral. Em A Bruxa, por exemplo, ouvia bastantes críticas de pessoas que não compraram a proposta vinda de seus realizadores, mas que, a meu ver, são pessoas que estão mais do que acostumadas com o horror convencional e não estão preparadas a serem testadas. Pensando assim, acredito que Ao Cair da Noite talvez venha a ser mais um belo filme de terror mal avaliado, mas que agradará aqueles que buscam algo que teste as suas perspectivas.
Dirigido por Trey Edward Shults (Krisha), o filme conta a história de um casal e seu filho, que vivem isolados numa cabana na floresta, pois o mundo foi assolado por uma peste que matou boa parte da humanidade. Contudo, um casal e seu filho pequeno surgem buscando um abrigo na cabana. Ao mesmo tempo, há uma estranha sensação de que o pior está vindo da floresta, ou não.
Não espere por explicações do por que os personagens terem chegado aquele ponto, pois as intenções do cineasta Shults talvez nem sejam essas, mas sim criando um cenário claustrofóbico e do qual eles terão que enfrentar sérias consequências no decorrer do tempo. Se nos primeiros minutos já temos uma base do que os personagens enfrentam, o cineasta aproveita para movimentar a sua câmera e atravessar o cenário sombrio da cabana que, através de pinturas e quadros, conhecemos um pouco daquele universo caótico. Não há palavras ditas sobre o que aconteceu no passado, mas sim o mais puro cinema, onde nos mostra uma história através de imagens e que valem mais do que mil palavras.
Mas seria somente um possível vírus mortal que os protagonistas teriam que enfrentar? Obviamente o público espera por uma espécie de bicho papão que se encontra na floresta e que, mais cedo ou mais tarde, irá atacar aquelas pessoas. Mas é aí que o cineasta Shults não facilita para nós nos dando respostas fáceis, mas sim esfregando em nossa cara a mais dura realidade, de que, o verdadeiro mal, pode vir de nossas próprias ações a partir do momento que encaramos situações das quais testam a nossa real natureza e que até então a gente desconhecia.
Se em filmes como Ensaio Sobre a Cegueira de Fernando Meirelles, ou até mesmo de séries como The Walking Dead, mostram as mais diversas situações das quais testam os limites de seus protagonistas, aqui não há o perigo do qual irá aterrorizar os personagens, mas sim o simples temor que eles sentem é o que cria então um cenário de horror e do qual tanto eles queriam evitar. O ato final acaba então se tornando um verdadeiro soco no estômago, mas não por ser violento, ou pela possibilidade de haver sangue, mas sim por ele ser duramente humano e realístico.
Embora curto, Ao Cair da Noite é uma experiência assustadora, do qual não é criada por um mero monstro da floresta, mas sim duramente por ações humanas.   



Me sigam no Facebook, twitter, Google+ e instagram

Nenhum comentário: