Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sócio do Clube de Cinema de Porto Alegre, frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 98 certificados) e ministrante do curso Christopher Nolan - A Representação da Realidade. Já fui colaborador de sites como A Hora do Cinema, Cinema Sem Frescura, Cinema e Movimento e Cinesofia. Sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para marcelojs1@outlook.com ou beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

segunda-feira, 28 de julho de 2014

Cine Especial: CRÍTICA DE CINEMA: Parte 1



Nos dias 21, 28 (hoje) e 4 de agosto. Estarei participando do Curso Critica de Cinema, criado pelo Cena Um e ministrado pelo critico de cinema Marcus Mello. Como dever de casa, os participantes tiveram a missão de assistir aos filmes Má Educação, Mulholland Drive e Bendito Fruto. Abaixo, segue minha pequena critica sobre o filme de Pedro Almodóvar, que era um dos poucos de sua filmografia que eu não tinha visto ainda e o acesso ao link da minha critica sobre  Mulholland Drive que já havia escrito algum tempo.

MÁ EDUCAÇÃO

Sinopse: A trama se inicia quando um diretor de cinema, Enrique Goded (Fele Martínez), imerso em uma crise criativa, recebe a visita de um rapaz que se identifica como Ignacio Rodriguez (Gael Garcia Bernal), um colega de infância com o qual ele descobriu pela primeira vez os segredos do sexo. Este lhe traz um roteiro escrito inspirado à partir destas reminiscências.
 

Má Educação é cinematograficamente puro cinema. A história então se divide em três planos: no tempo presente, relatando a relação de Enrique e Ignacio; no tempo ficcional presente, enquanto Enrique lê o roteiro que narra à história de Zahara, o travesti no qual Ignacio se converteu na idade adulta e que se reencontra com seu amado Enrique; e, por fim, no tempo ficcional passado, abordando o relacionamento de Enrique e Ignacio enquanto crianças, oprimidos por uma rigorosa educação religiosa e tendo de lidar com a pedofilia dos sacerdotes.
Apesar de esta estrutura parecer confusa, Almodóvar consegue montá-la com maestria, coerência e até mesmo tendo tempo em prestar uma homenagem a Alfred Hitchcock: a cena de abertura; alguns momentos na trilha sonora e sobre trocas de identidades, são elementos que me fizeram lembrar rapidamente de Psicose e de Um Corpo que Cai. Má Educação demonstra muito bem porque este diretor pode ser considerado como um dos grandes nomes do cinema até hoje.
Com a excelente atuação de Bernal (NO), este filme se agrega a um momento sempre produtivo do cineasta, com obras badaladas e que caíram nas graças da critica especializada e do público. Uma crítica aos abusos de padres contra crianças e um mergulho no submundo do homossexualismo (menos do que Tudo sobre minha mãe) e no das drogas. E, como se não bastasse, uma surpreendente reviravolta na conclusão da história, revelando a complexidade da personalidade humana.

Leia mais sobre Pedro Almodóvar clicando aqui.  
                            Mulholland Drive  

Leia a minha critica já publicada clicando aqui.

 Me sigam no Facebook, twitter e Google+

Nenhum comentário: