Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sendo frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 70 certificados),sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

segunda-feira, 14 de julho de 2014

Cine Dica: curta-metragem Depois da Poeira


  Numa célebre frase sobre a criação artística, Pablo Picasso certa vez disse que “eu não procuro, eu acho”. E ainda que o curta-metragem Depois da Poeira, que estreia na Sala P.F. Gastal no próximo dia 18 às 20h, não chegue a ser um ready made no sentido estrito, ele certamente é um filme mais achado do que procurado. A entrada para a sessão é gratuita.
  No final de 2010, a metade abandonada do Hospital Universitário do Fundão no Rio de Janeiro (construída nos anos 70 mas jamais terminada, até acabar condenada à implosão sem chegar a funcionar) foi separada por britadeiras da parte funcionante do prédio, para evitar que a estrutura inteira desabasse. Após vivenciar o processo de separação das duas metades do hospital ao longo de meses, o diretor Olavo Amaral retornou de férias para encontrar, logo em frente ao seu local de trabalho na UFRJ, um impressionante cenário de ruínas que poderia dar margem a uma infinidade de filmes de gênero. Vindo de uma separação ele mesmo, porém, acabou fazendo (ou achando) um filme que fala sobre a procura do que fazer (e de que histórias contar) com os escombros que a vida coloca em nosso caminho.
Nesse emaranhado de narrativas metaficcionais, Naiumi Goldoni e Rafael Mentges dão vida a um casal que se encontra nos escombros, cuja história se confunde com as ficções de fantasia, guerra ou apocalipse através das quais revivem sua relação. Com uma equipe em sua maior parte nascida no Rio Grande do Sul, mas espalhada ao redor do país e reunida em torno do filme, “Depois da Poeira” foi produzido e rodado pouco antes da remoção dos destroços da implosão e finalizado ao longo dos anos seguintes, graças ao trabalho de uma equipe mobilizada em torno de um cenário efêmero e de um filme urgente demais para depender de financiamento externo. Desta forma, o curta chega às telas como uma produção independente de parceiros gaúchos e cariocas, e se prepara para iniciar sua trajetória no circuito de festivais.
Biografia do diretor:
Olavo Amaral nasceu em Porto Alegre em 1979 e vive no Rio de Janeiro. Como escritor, é autor dos volumes de contos "Estática" (IEL-RS, 2006) e "Correnteza e Escombros" (7Letras, 2012), e atualmente trabalha em um terceiro livro intitulado “Dicionário de Línguas Imaginárias”. No cinema, atuou como roteirista em curtas-metragens como "Perro en el Columpio" (Cachorro no Balanço) (Barcelona, 2008) e dirigiu o curta "A Porta do Quarto" (Porto Alegre, 2012). “Depois da Poeira” é seu segundo trabalho de ficção como diretor. Além da atuação na área artística, é médico e professor do Instituto de Bioquímica Médica da Universidade Federal do Rio de Janeiro, onde trabalha como pesquisador na área de neurobiologia da memória.
 
Sinopse:
Nos escombros de uma implosão, um casal revisita suas ficções para tentar inventar uma nova narrativa.
Ficha Técnica:
Elenco: Naiumi Goldoni, Rafael Mentges
Direção de Fotografia: Edu Rabin
Assistência de Fotografia: Leonardo Maestrelli
Som direto: Rubinei Filho
Produção: Michelle Sales, Olavo Amaral
Assistência de Produção: Renan Zanotto, Pedro Ribeiro
Assistência de Set: Wellington Rabelo

  Me sigam no Facebook, twitter e Google+

Nenhum comentário: