Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sócio do Clube de Cinema de Porto Alegre, frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 98 certificados) e ministrante do curso Christopher Nolan - A Representação da Realidade. Já fui colaborador de sites como A Hora do Cinema, Cinema Sem Frescura, Cinema e Movimento e Cinesofia. Sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para marcelojs1@outlook.com ou beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

quinta-feira, 28 de dezembro de 2017

Cine Especial: Retrospectiva 2017: Top 10 das melhores séries de tv

O ano de 2017 foi novamente um período em que assisti inúmeros filmes no cinema. Por conta disso, não tive muito tempo em escrever sobre as séries de tv, das quais eu aprecio muito também. Contudo, antes tarde do que nunca, pois deixo abaixo a minha lista das melhores séries desse ano e das quais cada uma prova que a qualidade dessas produções se comparada a produções cinematográficas está praticamente igual.    

The Handmaid's Tale 

Baseado no conto da canadense Margaret Atwood que havia sido escrito nos anos 80, a trama é assustadoramente contemporânea, onde num futuro as mulheres perdem todos os seus direitos e são unicamente usadas para servir e procriar para os homens da igreja que tomaram o governo dos EUA. Em tempos em que o conservadorismo está cada vez mais se alastrando na política, seja ela aqui ou no mundo a fora, The Handmaid's Tale é uma série obrigatória e que serve de alerta. 

2º'Twin Peaks: O Retorno 

Quando Laura Palmer disse ao agente Cooper no final da segunda temporada  que os dois voltariam a se ver após 25 anos ela não estava brincando. David Lynch criou a proeza de retornar aquele universo criado por ele e pelo produtor Mark Frost e fazer tudo o que ambos não puderam fazer no início dos anos 90. O resultado é uma obra de arte do começo ao fim, intrigante, revolucionária e que, como de costume, levanta mais perguntas do que respostas com relação que testemunhamos. 

O episódio 08 ainda nos perturba. 

Big Little Lies

Dirigido por Jean-Marc Vallée (Clube de Compras Dallas), a série nos brinda com as melhores interpretações das carreiras de Nicole Kidman, Reese Witherspoon e Shailene Woodley (A Culpa é das Estrelas). Ao colocar as três protagonistas numa cidade comum, mas da qual esconde o pior vindo do homem, ambas demonstram força quando sempre estão juntas em cenas  esplêndidas e muito bem dirigidas. A cena final do último capitulo é sem sombra de dúvida um dos melhores momentos da tv nesse ano.  

Better Call Saul  (3ªtemporada)

A cada nova temporada a série vai melhorando de uma forma absurda e provando ser digna como a verdadeira sucessora de breaking bad. Gradualmente testemunhamos a queda do personagem Saul para dentro do mundo do crime e cada vez mais se aproximando daquela personalidade crua da qual nós havíamos conhecido. Novamente os atores Bob Odenkirk e Jonathan Banks dando um show de interpretação. 

Mindhunter 

David Fincher novamente surpreende. Após largar o barco antes de afundar da série House Of Cards, o cineasta decide se aventurar nos anos 70 e testemunhar as investigações de dois agentes do FBI para compreender cada mente dos piores assassinos daquele tempo. Já com a segunda temporada engatilhada,  Mindhunter é prato cheio para os fãs do diretor e para aqueles que curtem uma trama policial pé no chão.  

Feud 

Deliciosa produção da HBO ao retratar umas das maiores rivalidades que o cinema americano já presenciou. Jessica Lange e Susan Sarandon dão vida aos ícones Joan Crawford e Bette Davis e nos passando a ideia da colossal rivalidade que ambas tinham o tempo todo durante as gravações no set do filme que viria a se tornar clássico O que terá acontecido com Baby Jane? 

StrangerThings (2ª temporada)

Se não supera o primeiro pelo menos mantém o pique e os mesmos ingredientes que fizeram da primeira temporada um dos maiores fenômenos recentes da Netflix. E se algumas passagens desse segundo ano deixa um pouco a desejar, o último episódio nos brinda com uma espécie de síntese sobre a difícil passagem de uma fase inocente para o início da vida adulta. Tudo embalado com músicas de sucesso dos anos 80 como uma clássica cantada por Cyndi Lauper.
     
Game of Thrones (7ª temporada)

Sinceramente pensei muito em colocar ou não esse último ano na lista, já que ele é inferior se comparado a temporada anterior, mas não significa que seja ruim. Ao meu ver essa temporada é um grande prelúdio para ato final e do qual promete ser inesquecível.   

Dark

Essa produção alemã estreou no último  minuto do segundo tempo mas já conquistou uma leva de fãs e a opinião da crítica. Embora tenha sido comparado a StrangerThings, o conteúdo é mais voltado para os adultos, mas ao mesmo tempo tendo ingredientes do gênero fantástico, como no caso de viagens no tempo e proporcionando inúmeras reviravoltas imprevisíveis. É uma série que requer bastante atenção, mas que logo vai lhe conquistando facilmente.  

10º Ozark 

No principio essa série foi comparada inevitavelmente a Breaking Bad, mas ela possui uma identidade própria. A crítica situação de um simples contador que, achando que se envolvendo com um cartel de drogas se sairia bem, acabou lhe proporcionando inúmeros problemas e fazendo com que a sua própria família ficasse em perigo. Não falta momentos absurdos, mas dos quais fazem todo o sentido nas situações de desespero dos quais os personagens se encontram.  

Para não serem esquecidas: Vikings (4ª temporada), Bates Motel (5ª temporada), Orange Is the New Black (5ª temporada), Alias Grace, The Sinner, Narcos (3ª temporada). Fargo (3ª terceira temporada)

Nenhum comentário: