Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sócio do Clube de Cinema de Porto Alegre, frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 98 certificados) e ministrante do curso Christopher Nolan - A Representação da Realidade. Já fui colaborador de sites como A Hora do Cinema, Cinema Sem Frescura, Cinema e Movimento e Cinesofia. Sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para marcelojs1@outlook.com ou beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

quinta-feira, 21 de dezembro de 2017

Cine Dica: Cine Dica: Em Blu-Ray - DVD – VOD


 Jim e Andy




Sinopse: Documentário revela os bastidores do filme O Mundo de Andy, em que Jim Carrey encarnou o comediante Andy Kaufman. O próprio Carrey comenta como foi sua preparação para viver o personagem e a experiência de se manter no personagem o tempo todo.


Em seu novo trabalho, o diretor Chris Smith (American Movie, Collapse) mergulha nos bastidores da conturbada gravação de O Mundo de Andy, na medida em que apresenta ao espectador um emocionante relato da simbiose de dois gênios da comédia: Andy Kaufman e Jim Carrey. “Mestre” e “discípulo” que estabeleceram uma conexão quase espiritual. Ou algo nesse sentido. Na década em que esteve no auge, Andy Kaufman revolucionou a comédia. Uma força incontrolável da natureza, ele foi pioneiro na arte de testar os tais limites do humor. Seus personagens, como o Foreign Man e Tony Clifton, eram extensões de sua visão pouco convencional.
Sendo grande fã do artista, Jim Carrey passou  então a perseguir o sucesso se inspirando em seu ídolo e, alcançando então o seu sonho de maneira meteórica durante os anos 90. Nada mais justo que ele movesse céus e terras para interpretar Andy em sua cinebiografia. O que ninguém poderia imaginar é que essa ambição tomaria um rumo inesperado. Nas imagens feitas por Lynne Margulies e Bob Zmuda, namorada e melhor amigo de Andy, podemos ver como as peripécias de Carrey tiraram o sossego de todos os envolvidos em O Mundo de Andy. Destaque especial para o momento em que o renomado diretor Milos Forman (Um Estranho no Ninho) implora para que Jim, devidamente caracterizado com toda a babaquice de Tony Clifton, faça pelo menos uma cena de acordo com o roteiro. Sem contar os problemas com Danny DeVito, Paul Giamatti e o ex-lutador Jerry Lawler. Incomoda bastante conhecer essa versão de Jim Carrey, talvez na mesma medida em que seja algo fascinante. Babaquice e genialidade nunca andaram tão próximas.
Vendo atualmente Jim Carrey falando com total sinceridade sobre o que o levou a interpretar Andy, a sua maneira de querer entrar a fundo nele, são momentos riquíssimos ao ser vistos e revistos. Claro que tudo há um grande preço a se pagar. Carrey jamais gostou de retornar aos seus respectivos papeis e voltar a ser Andy era algo inadmissível, pois por pouco lhe custou a sua própria sanidade. Após O Mundo de Andy, Carrey lutou ser um ator versátil em diversos outros projetos, mas a imagem do comediante escondia um talento nato e do qual temos um verdadeiro vislumbre, não somente naquele filme de 1999, como também neste documentário e do qual testemunhamos a verdadeira pessoa como ele realmente é.    

 

O Zoológico de Varsóvia

Sinopse: Polônia, 1939. O zoológico de Varsóvia é mantido sob o comando de Jan Zabinski e cuidados de Antonina, sua esposa. Quando o país é invadido pelos nazistas, eles são forçados a se reportar para o zoologista, Lutz Heck.
O holocausto criado por Hitler foi uma das maiores manchas da história da humanidade. Ao longo da história sempre houve adaptações sobre inúmeras histórias que realmente aconteceram naquele tempo e esse filme é mais uma de inúmeras lutas pela sobrevivência. A história só veio à tona em 2007, quando a escritora Diane Ackerman publicou o livro que inspirou o filme, e de lá pra cá o casal de heróis ganhou uma mostra permanente em Varsóvia e esta cinebiografia respeitosa O Zoológico de Varsóvia merecia sorte maior nos cinemas do Brasil, tendo pulado as salas e ido direto para DVD e canais de aluguel (como o Now, Telecine e Youtube), mas merece atenção por tudo que representa neste momento conturbado em que a humanidade anda sendo envenenada por um conservadorismo perigoso.




Me sigam no Facebook, twitter, Google+ e instagram

Nenhum comentário: