Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sócio do Clube de Cinema de Porto Alegre, frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 98 certificados) e ministrante do curso Christopher Nolan - A Representação da Realidade. Já fui colaborador de sites como A Hora do Cinema, Cinema Sem Frescura, Cinema e Movimento e Cinesofia. Sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para marcelojs1@outlook.com ou beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

terça-feira, 12 de dezembro de 2017

Cine Dica: A NOITE MAIS FRIA DA CIDADE.



Sinopse: No dia 14 de junho, cerca de 70 famílias viveram uma noite de angústia à espera de serem retiradas do prédio onde moram desde dezembro de 2015. Um forte aparato da Brigada Militar foi mobilizado por determinação da Justiça para retirar as famílias da LANCEIROS NEGROS do local. A história da desocupação é o tema do documentário A NOITE MAIS FRIA DA CIDADE.


Em março desse ano eu havia prestigiado a pré estreia do filme Era o Hotel Cambridge no cinebancáros de Porto Alegre, cuja trama mostrava aflição de um grupo de moradores que moram numa ocupação de um prédio, mas que sofrem com o possível despejo vindo por ordens do governo. Na mesma rua do cinema (rua general da Câmara) se encontra o antigo prédio do Ministério Público Estadual do qual abrigava pessoas humildes e que era organizado pelo Movimento Livre nos Bairros, Vilas e Favelas (MLB). No dia 17 de Junho a ficção se torna em uma terrível realidade quando o governo do estado manda uma ordem de despejo e forçando os moradores a ser retirados a força pela Brigada Militar.
Embora eu sendo frequentador da rua, devido ao cinema e as livrarias que se tem por lá, eu não estava no local no momento dos acontecimentos, mas estava acompanhando na minha casa ao vivo por uma câmera amadora de um celular de alguém que estava registrando. A sensação da qual eu senti foi no mínimo angustiante, pois além de temer pelo pior que viria acontecer com os moradores, havia também conhecidos e amigos meus no local e que sabia que sofreriam consequências nas mãos de uma brigada truculenta. Após aquela noite fatídica, a imprensa tentava informar os acontecimentos, mas tudo de uma forma superficial, como se não quisesse tomar partido e tão pouco se comprometer com os poderosos de plantão.
Contudo, o documentário A Noite Mais Fria da Cidade propõe lançar um novo olhar daquela noite, onde não somente possui depoimentos de pessoas que se encontravam no local dos acontecimentos, como também testemunhamos situações que nem ao menos foram vistas na TV. Dirigido pelo estreante Antonio Padeiro, o documentário começa com a tela preta, onde ouvimos uma voz familiar de um locutor de uma rádio do estado do RS que, descaradamente, elogia atuação da Brigada Militar daquela noite. A narração é entre cortada pelas cenas violentas da Brigada, onde arrastam jovens pelo meio da rua, atiram gás lacrimogêneo contra as pessoas e usam de toda a força para derrubar a porta do prédio que se encontrava bloqueada.
Além do depoimento dos integrantes do MLB, o documentário destaca a participação do Deputado e Presidente da Comissão de Cidadania e dos Direitos Humanos Jeferson Fernandes, que simplesmente se colocou na frente da porta do prédio e tentando dialogar com a brigada para que eles não entrassem no local. Surpreendentemente, testemunhamos a brigada não correspondendo o apelo do deputado, começando então atirar e a empurrar as pessoas na frente da porta. O ápice das cenas é vermos um dos militares arrastando o político no meio da rua como se fosse um boneco, assim como também ferindo gravemente outras pessoas que protestavam no local. 
Em meio a sangue, fumaça e gritos, assistimos um apocalipse dentro do prédio que, antes havia vida, mas que acabou se tornando entulhos destruídos e sem o menor sentido. Diferente da nova onda do “cinema verdade” que acontece atualmente no Brasil através do cinema independente, A Noite Mais Fria da Cidade é mais do que um registro sobre a verdade dos fatos daquela noite, como também um pequeno exemplo sobre o real papel sobre os meios tecnológicos atuais, cuja sua capacidade de informação rápida nos coloca em meio ao furacão dos acontecimentos. Porém, parece que nem mesmo isso é o suficiente para frear essa onda conservadora, capitalista e retrógrada que anda assolando o estado e o resto do país. 
A Noite Mais Fria da Cidade é um pequeno registro histórico de um acontecimento infeliz que ocorreu em Porto Alegre, do qual não pode ser esquecido e jamais ser repetido.    

NOTA: O documentário foi exibido numa sessão especial ontem (11/12/17) no Cinebancários de Porto Alegre. Datas e horários de possíveis novas sessões da obra vocês conferem clicando aqui.

Me sigam no Facebook, twitter, Google+ e instagram

Nenhum comentário: