Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sócio do Clube de Cinema de Porto Alegre, frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 98 certificados) e ministrante do curso Christopher Nolan - A Representação da Realidade. Já fui colaborador de sites como A Hora do Cinema, Cinema Sem Frescura, Cinema e Movimento e Cinesofia. Sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para marcelojs1@outlook.com ou beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

quinta-feira, 2 de março de 2017

Cine Dica: Em Blu-Ray, DVD, Netflix e locação via TV a Cabo: American Crime Story: 1ª temporada




Sinopse: 1ª Temporada: The People v. O.J. Simpson. O julgamento de O.J. Simpson. Ex-jogador de Futebol Americano, Orenthal James foi acusado em 1994 de assassinar a esposa, Nicole Brown, e o amigo Ronald Goldman. Contado através da perspectiva dos advogados que conduziram o caso, a série explorara os acordos feitos de maneira informal e as manobras políticas conduzidas por ambos os lados envolvidos.

Produzida pelos mesmos criadores de American Horror Story, a série irá exibir em cada temporada um crime verídico, do qual se tornou noticia e gerando inúmeros debates. A primeira temporada já começa com toda força, ao retratar o longevo julgamento de O.J Simpson, que havia sido acusado de matar a sua ex esposa e namorado na época. Isso acabou desencadeando uma verdadeira dança das cadeiras de ambos os lados, tanto da defesa como da promotoria e levantando até hoje mais duvidas do que respostas sobre as reais raízes do caso.
O.J. Simpson era uma verdadeira celebridade do mundo dos esportes na época e ninguém imaginaria que ele pudesse ser um dia julgado por um crime tão hediondo. A série retrata com fidelidade todo o julgamento que se estendeu por um ano praticamente e fazendo com que o caso chegasse ao ápice de inúmeras teorias de conspiração envolvendo a policia de Los Angeles contra o jogador. Isso desencadeou uma luta entre classes e raças no período e fazendo com que muitos se esquecessem da principal raiz do problema: quem realmente matou o casal?
Pode-se dizer que o julgamento do esportista foi o primeiro reality show oficial, pois todos paravam para acompanhar os desdobramentos do caso, fazendo com que tudo virasse um verdadeiro circo e a mídia ganhando horrores com isso. Com reconstituição precisa dos anos 90, o elenco não ficou muito atrás e cada ator e atriz foram escolhidos a dedo para retratar as pessoas reais do caso. Se Cuba Gooding, Jr passa uma total ambiguidade sobre a real natureza de Simpson, John Travolta nos brinda com o seu melhor desempenho em anos, ao interpretar o advogado Robert Shapiro, sendo um dos primeiros ao pegar o caso e posteriormente reunir um grupo para defender o jogador a todo custo.
Vendo a série como um todo e olhando para trás com relação aos fatos verídicos, chegamos à conclusão de como as pessoas são manipuladas facilmente pelo calor do momento e fazendo então se esquecer dos verdadeiros fatos que estavam bem diante dos seus olhos. A série não tem o interesse de levantar o verdadeiro culpado, mas sim fazendo uma crítica ácida contra uma sociedade cada vez mais absorvida pela manipulação de uma mídia sensacionalista, pelos seus falsos heróis e pelo fato de não conseguirem enxergar além do que seus olhos podem ver. 
A primeira temporada American Crime Story pode ser interpretada como uma espécie de prelúdio sobre alienação que a sociedade americana e o mundo passariam a exercer posteriormente a partir dos primeiros anos do século 21. 






Nenhum comentário: