Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sócio do Clube de Cinema de Porto Alegre, frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 98 certificados) e ministrante do curso Christopher Nolan - A Representação da Realidade. Já fui colaborador de sites como A Hora do Cinema, Cinema Sem Frescura, Cinema e Movimento e Cinesofia. Sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para marcelojs1@outlook.com ou beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

terça-feira, 11 de junho de 2013

Cine Dica: Em DVD e Blu-Ray: Um Alguém Apaixonado


Sinopse: Akiko (Rin Takanashi) é uma jovem universitária que vive em uma grande cidade no Japão. Um dia ela está ao lado de uma amiga em uma boate, quando um homem (Denden) se aproxima dela e lhe pede que vá visitar um colega. Ela reluta a princípio, dizendo que precisa encontrar sua avó que veio do interior, mas acaba aceitando. Colocada em um táxi, ela segue em viagem tendo apenas um endereço e um telefone, sem saber quem irá encontrar.

Quando se é cinéfilo, você sempre fica vasculhando os principais filmes de cineastas autores, pois você sabe muito bem que sempre irá encontrar algo de bom e fora do convencional. Mas por mais que a gente se esforce, nem tudo podemos assistir devido à falta de tempo, e no meu caso levou tempo para finalmente conhecer o cineasta iraniano Abras Kiarostami. Fui conhecê-lo somente no filme Copia Fiel, que desde já esta entre os melhores filmes da ultima década e novamente ele surpreende, do outro lado do mundo, com o seu Um Alguém Apaixonado.
O filme é sobre os encontros e desencontros de pessoas em uma Tóquio movimentada, barulhenta e cheia de luz, que faz com que esses elementos se misturem com os próprios personagens, fazendo tanto chamar atenção deles como a nossa também. O fio condutor começa a partir de uma garota de programa (Rin Takanashi), que por sua vez vai atender na casa de um idoso (Tadashi Okuno), mas devido a um imprevisto e outro, eles dão de encontro com o namorado ciumento da primeira. Assim como Copia Fiel, em alguns momentos os personagens começam a se passar por outras pessoas, cuja razão está no fato de fugirem de uma difícil realidade, mas que no final das contas terão que encará-las doa o que doer.  
Assim como Copia Fiel, os personagens começam a tirar as suas mascaras na reta final da trama e ter que encararem eles próprios, mas assim como naquele filme, Abras Kiarostami deixa o final em aberto e fazendo com que a historia continue em nossas mentes. Pode isso não agradar a todos, mas nunca é demais a gente imaginar o que viria depois para os protagonistas que nos deixam em uma projeção.         

Me Sigam no Facebook e Twitter:

Nenhum comentário: