Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sócio e Diretor de Comunicação e Informática do Clube de Cinema de Porto Alegre, frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 99 certificados) e ministrante do curso Christopher Nolan - A Representação da Realidade. Já fui colaborador de sites como A Hora do Cinema, Cinema Sem Frescura, Cinema e Movimento e Cinesofia. Sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para marcelojs1@outlook.com ou beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

terça-feira, 18 de outubro de 2022

Cine Dica: Em Cartaz - 'Sociedade do Medo'

Sinopse: O documentário propõe uma reflexão sobre a forma como o medo domina a humanidade e o sistema se aproveita deste sentimento para manipular as massas, explorando as vertentes adequadas em cada ambiente para atingir seu objetivo. 

A sociedade atual se encontra-se em declínio, seja por guerra, doenças ou pelo preconceito que aflige ainda milhares de pessoas pelo mundo. Isso é tudo provocado pelo medo, onde muitos temem pela da mudança, do diferente, das novidades que surgem e que se acham no direito de extingui-los para não mudar os seus próprios costumes. "Sociedade do Medo" (2022) fala sobre os temores atuais cada vez mais acentuados, onde vemos uma sociedade despreparada pela resposta da própria natureza e pelo lado irracional do próprio ser humano que se alimenta cada vez mais do medo e do ódio.

"Sociedade do Medo" aborda a pandemia de medo que assola o homem contemporâneo. A diretora Adriana L. Dutra investiga a construção da sociedade pela ótica do medo, a sua presença ao redor do mundo e discute o tema com personalidades e especialistas. O documentário propõe uma reflexão crítica, buscando as origens de uma sociedade absorta em seus medos e, consequentemente, no consumo feroz de possíveis paliativos que contribuem para nos levar à solidão e à barbárie.

Em Tóquio, Nova York, Los Angeles, Londres, Paris, Amsterdam e outras cidades, a documentarista entrevista especialistas de diferentes realidades socioculturais. Os professores David Carrol e Jason Stanley, os filósofos Francis Wolff e Cyrille Bret, o historiador Marcelo Jasmin, os sociólogos Frank Furedi, Barry Glassner e Paula Johns, o padre Júlio Lancellotti, o escritor e filósofo indígena Ailton Krenak, a jornalista Flávia Oliveira, o físico Amit Goswami, a vereadora Benny Briolly, a pesquisadora Ivana Bentes, a professora Tamsin Shaw, a economista Linda Yueh, a deputada federal Talíria Petrone, entre outros, dão seus depoimentos sobre variadas vertentes do medo.

A realizadora surpreende ao construir um verdadeiro mosaico de imagens sobre os principais eventos que ocorreram no mundo nas últimas décadas, seja devido a guerra, ao consumo capitalista, ou ao desmatamento e descuido que o ser humano tem perante a natureza. Todas essas peças se tornam os pontos de ignição para que uma sociedade se sinta cada vez mais insegura, ao ponto de não saber ao certo como será o seu amanhã e de quanto tempo irá viver. Curiosamente, o documentário se inicia com o fato de que a religião, por exemplo, foi criada para amenizar o medo da morte que muitos tem no decorrer da vida e que a fé seja uma espécie de freio para que a pessoa possa prevalecer perante os pensamentos apreensivos.

É bem da verdade que, talvez, o medo da morte iminente não seja o principal problema do mundo atual, mas sim da maneira que vários líderes pelo mundo andam conduzindo as suas principais potencias, seja através de fake news, mentiras e cada vez maior a proliferação do ódio contra aqueles que eles acreditam serem uma ameaça. Não deixa de ser curioso, por exemplo, estes lideres fascistas enxergarem em seus inimigos os seus principais defeitos, como se fosse uma forma de usar os mesmos como um espelho onde se reflete o seu lado negativo, mas sempre atribuindo contra os seus oponentes.

O pior de tudo é vermos esses líderes megalomaníacos ainda no poder justamente em um momento em que a humanidade foi surpreendia com a chegada do Covid. Curiosamente, a própria Adriana L. Dutra foi pega de surpresa com a chegada desse vírus enquanto produzia esse documentário e fazendo com o restante das entrevistas fosse feito via móvel. A reta final, portanto, sintetiza um temor cada vez maior, pois a humanidade de nada aprendeu com a chegada do vírus e ao mesmo tempo estamos diante de uma possível 3ª Guerra Mundial devido o conflito entre Rússia e Ucrânia.

Mas como certo personagem diz nos momentos finais do documentário, independente do que aconteça a natureza continuará existindo, mesmo que nós sejamos riscados do mapa, pois ela não depende de nós para continuar existindo. Resta saber se a mesma será forte o suficiente para ainda sobreviver perante a imbecilidade e o temor irracional do ser humano. "Sociedade do Medo" fala da humanidade cada vez mais doente devido ao temor que sente pelo desconhecido, quando na verdade deveria era temer a sua própria falta de conhecimento.


Confira o trailer oficial clicando aqui.    

Faça parte:


Mais informações através das redes sociais:

Facebook: www.facebook.com/ccpa1948

twitter: @ccpa1948  
Instagram: @ccpa1948 

Joga no Google e me acha aqui:  
Me sigam no Facebook twitter, Linkedlin e Instagram.  

Nenhum comentário: