Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sendo frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 70 certificados),sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

terça-feira, 12 de abril de 2016

Cine Dica: Cinema Brasileiro nos Anos de Chumbo


Apresentação

Em quatro olhares o curso pretende abordar a relação da produção cinematográfica brasileira com o contexto histórico. Começaremos pelos anos imediatamente anteriores, pela movida cultural pré-golpe. Depois vamos falar dos anos de desgoverno e ditadura no país, com um cinema subjugado à censura e à repressão. No final dos anos 1970 chega a abertura política e o cinema se retomou e se reinventou frente ao novo cenário nacional. Por fim falaremos dos anos de democracia, quando o cinema brasileiro voltou os olhos para o passado para contar a história do país.
Eram os anos 1960, um grupo de jovens intelectuais influenciados pelo Neo Realismo Italiano e pela Nouvelle Vague Francesa lança um movimento cinematográfico chamado Cinema Novo e através de uma radiografia social tenta mostrar ao Brasil do Sudeste, do litoral, um outro país desconhecido, um país da seca do sertão nordestino, de fome e miséria.


Veio o Golpe e com ele a repressão e a censura. O cinema sob os auspícios do governo fazia comédias e filmes populares. O Estado determina: isto é popular e o cinema segue, sem questionar.
Começa a abertura política, lenta e gradual. O cinema vai se reinventando, agora com o peso forte da televisão que foi alçada à voz oficial da nação pelo Estado. O cinema era menor, ficou para traz e teve de trilhar um caminho bastante árduo.
Vem a democracia e a sociedade se reinventa, o país volta a ser do povo brasileiro e o cinema, assim como o povo é. Novos cineastas, novos modos de produção e um olhar atento ao passado recente, tão duro e ao mesmo tempo tão inexplorado.


Objetivos

O curso CINEMA BRASILEIRO NOS ANOS DE CHUMBO, ministrado por Flávia Seligman, vai apresentar o cinema brasileiro e seus cenários contextuais antes, durante e depois da Ditadura Militar. O objetivo será capacitar ao aluno compreender e fazer relação entre os filmes feitos e seu contexto sócio histórico, além de proporcionar uma leitura aprofundada dos filmes representativos do período.

ATIVIDADE ABERTA A QUALQUER INTERESSADO.
NÃO É NECESSÁRIO NENHUM PRÉ-REQUISITO DE FORMAÇÃO E/OU ATUAÇÃO NA ÁREA AUDIOVISUAL.


Conteúdo programático

Aula 1
  • O cinema se rebela. Influenciado diretamente pela Nouvelle Vague Francesa e pelo Neorrealismo Italiano, o cinema brasileiro vê lançar o Cinema Novo, um dos movimentos mais importantes da cultura do país que trouxe para as telas nacionais a questão política e sociológica do país. Filmes:  Vidas Secas (Nelson Pereira dos Santos, 1962); Deus e o Diabo na Terra do Sol (Glauber Rocha, 1964); Maioria Absoluta (Leon Hirszman, 1964); Terra em Transe (Glauber Rocha, 1967).
  • O cinema se adapta. As tendências estéticas do cinema brasileiro nos anos 1970, as comédias populares, os filmes históricos, o cinema erótico e o filme policial.

Aula 2
  • O cinema se retoma. Com a abertura política e a volta dos direitos civis o cinema brasileiro recomeça a se constituir como uma arte independente e relacionada com o mundo à sua volta. Filme: Cabra Marcado para Morrer (Eduardo Coutinho, 1984).
  • O cinema se retrata. Após a redemocratização do país a produção audiovisual brasileira transita entre o cinema e a televisão, criando novas plataformas. Nesse formato proliferam iniciativas de projetos que buscam, retratam e revisitam o passado recente. Filmes: O Que É Isso Companheiro (Bruno Barreto, 1997); O Ano em que Meus Pais Saíram de Férias (Cao Hamburger).

 Ministrante: Profª Dra. Flávia Seligman

Bacharel em Comunicação Social – Habilitação em Jornalismo pela Famecos / PUC RS (1986). Mestre (1990) e Doutora (2000) em Cinema pela ECA/USP. Professora do Curso de Realização Audiovisual e do Curso de Jornalismo da Unisinos - RS, nas áreas de Estética, Cinema Brasileiro, Televisão e Produção. Professora de Cinema e de Semiótica, dos Cursos de Design e Jornalismo da ESPM - SUL em Porto Alegre.
Diretora, produtora e roteirista, realizou os filmes de curta-metragem Prazer em Conhecê-la (1987); Mazel Tov (1990); O Caso do Linguiceiro (1995); Um Dia no Mercado (1998) e A Noite do Senhor Lanari (2003); e os documentários de média-metragem O Povo do Livro (2001); Ilhas Urbanas (2005) e Certos Olhares (2008).
Vencedora do Edital de desenvolvimento de roteiro de longa-metragem de ficção SAV / MINC com o projeto Duas Iguais (2009), em fase de pré-produção. Desenvolveu a pesquisa "Globo Filmes para um Globo Público" junto ao Núcleo de Pesquisas e Publicações da ESPM–Sul. Dirigiu os curtas metragens O Último Chocolate (2013) e O Fusca e a Dona Hortência (2014), selecionados pelo projeto Histórias Curtas, da RBS TV, com exibições na TV aberta e na TV paga (Canal Brasil).


Curso
CINEMA BRASILEIRO NOS ANOS DE CHUMBO
de Flávia Seligman

DATAS: 23 e 24 / Abril (sábado e domingo)

HORÁRIO: 9h30 às 12h30

DURAÇÃO: 2 encontros presenciais (6 horas / aula)

LOCAL: Centro Cultural CEEE Erico Verissimo
(Rua dos Andradas, 1223 - Centro Histórico - Porto Alegre - RS)

INVESTIMENTO: 
R$ 80,00
(Valor promocional de R$ 70,00 para as primeiras 10 inscrições por depósito bancário)
FORMAS DE PAGAMENTO: Depósito bancário / Cartão de Crédito (PagSeguro)

MATERIAL: Certificado de participação e Apostila (arquivo em PDF)

INFORMAÇÕES: 
cineum@cineum.com.br
 / Fone: (51) 9320-2714

REALIZAÇÃO

PATROCÍNIO

PARCERIA

Nenhum comentário: