Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sendo frequentador dos cursos do CENA UM (tendo já 43 certificados),sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros e musica erudita mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Constantine ou me escrevam para beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

Carregando...

sexta-feira, 6 de março de 2015

Cine Especial: LEONARD NIMOY (1932 – 2015)



Estava eu na frente do computador na sexta-feira passada, escrevendo um pequeno especial sobre o cineasta Sam Mendes, quando fiquei sabendo da morte do ator Leonard Nimoy, o eterno Sr. Spock aos 83 anos. A notícia foi triste, já que Nimoy, com as suas orelhas pontudas de vulcano, é uma cara conhecida para inúmeras gerações, seja nerds, cinéfilo ou unicamente fã de ficção científica. Eu sou um de muitos que viu pela tv as inúmeras reprises da série clássica, da qual fez a minha infância se tornar muito mais fascinante.
Tanto o interprete como personagem, jamais se desvencilharam um do outro, mesmo quando Nimoy tentava de todas as formas se livrar dele. Porém, quando ele embarcou para o primeiro filme de Star Trek em 1979, para o bem ou para o mau, Nimoy se viu preso novamente, num personagem que todos adoravam. Na época, o ator acreditava que não havia mais nada do que puxar de originalidade, tanto na trama como no seu personagem, mas com o tempo é o verdadeiro juiz de tudo, se percebeu que se podia sim ainda tirar algo de criativo dali.
Eu defendo com unhas e dentes que os filmes de Star Trek chegam a ser tão ricos e profundos quanto à própria série televisiva e que rendeu para o personagem e interprete momentos inesquecíveis. Duvidam? Então recapitulemos:    



STAR TREK: O FILME 

Mesmo relutante Nimoy aceitou voltar ao personagem, num filme que sintetiza como um todo o que era realmente a série clássica. Após um longo período em Vulcano, Spock esta prestes a largar totalmente suas emoções, mas um grande perigo que ameaça a terra o faz retornar a enterprise. Aos poucos, a imagem fria do personagem dá lugar novamente ao personagem dividido entre a lógica e a emoção humana e fortalecendo ainda mais a amizade dele com o Capitão Kirk (William Shatner).  


Star Trek: A Irá de Khan
 

Para muitos fãs, A Irá de Khan é o melhor filme até hoje da franquia e motivos é o que não faltam: ação, ótimos efeitos visuais para época, um vilão digno de nota e seus interpretes muito mais a vontade nos seus respectivos personagens. Porém, Nimoy ainda querendo se livrar do trabalho de interpretar Spock concordou que voltaria para a franquia, se seu personagem morresse no final.
E que final. Podes-se dizer que o ato final desse filme é um dos mais emocionantes de toda a franquia e fazendo que inúmeros fãs de todo mundo na época chorassem após ver o seu querido personagem perecer para um bem maior.  Mas o que seria uma triste e bela despedida, era na realidade o início de uma trilogia.



Star Trek: A procura de Spock 

Inconformados com a morte de Spock no filme anterior, os fãs exigiram a todo o custo que ele retornasse no próximo filme e foi o que aconteceu. Nimoy logicamente tinha exigências para retornar e a principal delas era dele mesmo ser o diretor do terceiro filme. Mesmo irregular num primeiro momento, o filme faz jus a uma boa continuação, usando uma forma mirabolante de trazer o personagem de volta e de brinde explorando ainda mais a sua natureza volcana.
Pelo fato da ausência do personagem no decorrer do filme, Kirk tem um espaço bem maior em cena e Dr. Macoy se torna uma peça fundamental para o retorno de Spock.



Star Trek: De Volta para Casa 

Com o bom desempenho do filme anterior, Nimoy retorna a direção no quarto filme, onde os protagonistas precisam voltar ao passado (anos 80) para resgatar um casal de baleias e usarem elas para salvar a terra do futuro. Muito mais a vontade na direção, Nimoy cria um dos filmes mais divertidos da franquia e brindando com momentos muito divertidos: a cena em que Spock tenta se comunicar com a baleia dentro de um aquário é desde já emblemática. 



Star Trek: A Ultima Fronteira 

William Shatner deve ter sentido inveja ao ver o colega de trabalho dirigir dos filmes de sucesso seguidos. Somente isso para explicar a verdadeira bola fora em terem colocado o próprio capitão kirk na direção e o resultado é medonho.  Shatner bem que tentou, mas a sua direção é irregular, a trama possui muitos furos e o final é sem pé nem cabeça.
A única coisa boa desse quinto filme é ver Kirk, Makoy e Spock curtindo umas férias de descanso na floresta. Totalmente à vontade em seus respectivos personagens, os diálogos nessas cenas sintetizam o lado descontraído e amigável de cada um deles. De quebra, é sempre bom ver Spock dividido entre a sua lógica e seu lado humano numa conversa descontraída. 

Star Trek: A Terra Desconhecida 


O ultimo filme que reúne o elenco original, tem um clima de despedida, mas não melancólica. A Federação decide criar um ato de paz com o Império Klingon, mas uma sabotagem dramática faz com que isso se torne quase impossível. Em clima de despedida, vemos Spock jaz pensando na aposentadoria e deixando até mesmo o seu lado humano (com pitadas de humor) aflorar em inúmeros momentos. O final, onde vemos Spock quase falando um palavrão contra a própria Federação, demonstra que o seu lado humano sempre esteve ali, mas nunca deu o braço a torcer.

Star Trek (2009)
 

JJ Abrans fez o que parecia impossível: criar um reboot, com um novo elenco e que convencesse os fãs mais fanáticos. O que parecia uma missão impossível se tornou um dos filmes mais bem sucedidos de toda a franquia. O filme explora as origens da amizade de Kirk e Spock e de como certos eventos de viagens no tempo fez com que os seus destinos mudassem num determinado ponto da história.
Mas, talvez o maior acerto foi realmente terem trazido  Leonard Nimoy, com a missão de interpretar um velho Spock e fazer com que a velha franquia se enlaçasse com a nova, mesmo essa ultima partindo para um rumo  novo e independente dos filmes anteriores. De brinde, vemos os dois Spock em cena que, simboliza o encerramento de uma era e o nascimento de uma nova e fresca era cheia de aventuras para a tripulação da enterprise.   

Me sigam no Facebook, twitter e Google+

Cine Dicas: Estreias do final de semana (06/03/15)



(Pré-Estréia)  Para sempre Alice
 
Sinopse: Julianne Moore vencedora do Oscar de Melhor Atriz.Alice Howland é uma renomada professora de linguistica que começa a esquecer algumas palavras. Quando diagnosticada com Alzheimer suas relações familiares passam a ser testadas.
 
Kingsman - Serviço Secreto

Sinopse: Baseado no aclamado comic e dirigido por Matthew Vaughn (Kick Ass e X-Men Primeira Classe) Kingsman: Serviço Secreto conta a história de uma organização supersecreta que recruta um deselegante mas promissor garoto para o programa de treinamento supercompetitivo da agência justo quando um perverso gênio tecnológico ameaça o planeta.
 
O Duplo
 
Sinopse: Entre 1958 e 1963 a Guerra Fria na política internacional e a televisão começando a remodelar a sociedade Alfred Hitchcock fez Intriga internacional Psicose e Os pássaros. Grimonprez investiga este período a partir do que identifica como o confronto central dos filmes de Hitchcock: o confronto com o duplo marcado então por uma estranha advertência: Se encontrar o seu duplo você deve matá-lo. Um filme de muitos pares estranhos: Hitchcock e seu duplo Kruschev e Nixon Nixon e Kennedy Kennedy e Kruschev Leste e Oeste foguetes soviéticos e televisões americanas.
 
118 dias
 
Sinopse: Em junho de 2009 o jornalista iraniano Maziar Bahari retorna para sua cidade natal Teerã para entrevistar Mir-Houssen Moussavi o maior opositor do controverso presidente Mahmoud Ahmadinejad. Quando a reeleição é anunciada Bahari vai às ruas e se arrisca a filmar as manifestações para a BBC. Mas é preso interrogado e submetido a torturas por 118 longos dias. 
Renascida do inferno
 
Sinopse: Um grupo de estudantes de medicina descobre uma forma de trazer pacientes mortos à vida.
 
Simplesmente Acontece
 
Sinopse: Grandes amigos Rosie e Alex são separados depois que o garoto é obrigado a se mudar para os EUA. A mudança vai testar os sentimentos que existem entre os dois.



Me sigam no Facebook, twitter e Google+

quinta-feira, 5 de março de 2015

Cine Dica: Em Cartaz: JARDIM EUROPA

Sinopse: Eleonora e seus três filhos, Luís Felipe, Ana Luiza e Mariana, vivem no bairro de Jardim Europa. Apesar do dinheiro contado, eles não deixam o luxuoso bairro por nada. Escritor, Luís Felipe é frequentador assíduo de um sebo, onde conversa bastante com o dono Juarez e o empregado Pampolini, morador de um bairro pobre da zona leste. Quando Alberto, o pai falido, volta para casa, a vida dessa família decadente vai mudar radicalmente...
Num determinado momento visto no  filme de sucesso do ano passado, Faroeste Caboclo, um personagem solta uma forte, mas significativa frase: “parente somente aparece quando esta fodido”. Embora existam alguns conservadores que não concordem com essa frase, seria um tanto que hipocrisia dizer que isso não acontece hoje em dia, não importando qual tipo de classe de família, pois os problemas sempre serão os mesmos. O cineasta Mauro Baptista Vedia explora os problemas financeiros, sentimentais e a falta do lado samaritano de uma família de classe alta, mas que possui os mesmos problemas de qualquer família do mundo contemporâneo de hoje.
Temos uma família abandonada pelo pai que, por sua vez, retorna quando dá a entender que se encontra duro na vida. A mãe (Cinthia Zaccariotto) encara a sua realidade de forma sarcástica, enquanto o filho (Sílvio Restiffe) procura sua identidade própria escrevendo um novo livro, mas enfrentando o fato de ser o único homem responsável da casa, mesmo quando não deseja tal fardo. O seu amigo vendedor de livros  Juarez (Laerte Melo) se encanta por sua mãe, mas vê nela uma saída de escape para escapar dos problemas de sua irmã hipocondríaca (Ester Laccava).
Nesse mosaico formado por problemas do cotidiano, encontramos um malandro que,  trabalha para o vendedor de sebos e mesmo com os problemas do dia a dia, seja de falta de dinheiro ou questões políticas, encara a vida na esportiva e se apresentando com o menos perdido na história. Os personagens se encontram perdidos e é o que dá ordem a esse universo realístico e identificador. Uma vez que os inúmeros problemas se colidem uns contra os outros, acaba gerando ainda mais conflitos dos quais os protagonistas se vêem acuados em meio a inúmeras informações.
O cineasta Mauro Batista cria então inúmeros planos sequências, para fazer com que o espectador consiga acompanhar cada um dos personagens, já que, cada um deles cria uma proeza de fazer com que a gente se identifique com eles facilmente e, portanto, não desejamos perde-los de vista. O clímax ocorre quando todos se encontram num único quadro de cena, onde os problemas já não fazem mais sentido e tudo o que ocorre é a explosão de extravasamento do interior de cada um: a cena em que vemos a filha mais nova desejar não saber quem é ou dos problemas da irmã hipocondríaca do vendedor de livros sintetiza muito bem isso.
Com pouco mais de uma hora e meia de duração, Jardim Europa é uma simples produção brasileira, mas que tem muito a dizer sobre a nossa vida cotidiana cheia de problemas, para não dizer alienada. A mensagem que nos passa é: ou você abraça a causa de seu próximo, ou você se encontra perdido e mesquinho nesse labirinto do cotidiano, que por vezes se encontra cada vez mais sem sentido.    

Me sigam no Facebook, twitter e Google+

Cine Dica: O CINEMA DE RAOUL WALSH NA SALA P. F. GASTAL

Entre os dias 10 e 20 de março, a Sala P. F. Gastal da Usina do Gasômetro (3º andar) exibe a mostra O Cinema de Raoul Walsh, com uma seleção de treze filmes de um dos mais importantes dos primeiros mestres de Hollywood. Com projeção digital, a mostra tem parceria com as distribuidoras MPLC, Versátil e a locadora E o Vídeo Levou. 
Um dos primeiros discípulos de D. W. Griffith – trabalhou como assistente de direção, montador e ator de O Nascimento de uma Nação (1915) – Raoul Walsh construiu uma das trajetórias mais sólidas de Hollywood. Grande contador de histórias, idolatrado pela influente crítica francesa dos anos 1950 e 60, o diretor atravessou gêneros, estúdios e diferentes períodos ao longo de 52 anos.   
Entre os destaques da mostra, estão filmes que ajudaram a moldar a cara do grande cinema norte-americano. Com o faroeste, Walsh explorou a aventura em A Grande Jornada (1930), filme que revelouJohn Wayne; o lado psicológico dos personagens em Sua Única Saída (1947), e uma grande narrativa histórica dos Estados Unidos em O Intrépido General Custer (1941), com Errol Flynn, o principal astro de sua filmografia. Já com o filme de gângsteres, realizou obras-primas absolutas como Heróis Esquecidos(1939) e Fúria Sanguinária (1949), ambos com James Cagney no papel principal, e Seu Último Refúgio(1941), com Humphrey Bogart em um de seus trabalhos mais emblemáticos. Com o filme de guerra, cunhou o singular Um Punhado de Bravos (1945), um dos primeiros filmes a explorar a sensação de desorientação e o medo do desconhecido ao longo de uma missão. 
A mostra ainda exibe dois filmes da década de 1950 com Clark GableNas Garras da Ambição (1955) eMeu Pecado Foi Nascer (1957), e a despedida de Walsh, o faroeste Um Clarim ao Longe (1964). Também serão exibidos destaques de seu período silencioso, como o seu centenário filme de estreia,Regeneração (1915), e o marco do cinema de fantasia, O Ladrão de Bagdá (1924), com o grandeDouglas Fairbanks, em uma das produções mais impressionantes da década de 1920.     



GRADE DE PROGRAMAÇÃO
10 a 20 de março de 2015



Regeneração (Regeneration, 1915, 70 minutos)

Aos 10 anos, Owens se torna um órfão quando sua santa mãe morre. Os Conways, que são vizinhos, acolhem Owen, mas a constante bebedeira de Jim logo coloca Owen na rua. Aos 17, Owen descobre que força é poder. Aos 25, Owen é o líder de sua própria gangue, que passa a maior parte do seu tempo jogando e bebendo. Mas Marie vem para a área de gângsteres da cidade e tudo muda para Owen quando ele se apaixona por Marie. Exibição em DVD com subtítulos em inglês.

O Ladrão de Bagdá (The Thief of Bagdah, 1924, 139 minutos)

O ladrão Ahmed, fazendo-se passar por príncipe, penetra no castelo para liderar a revolta contra os invasores mongóis. Conto das mil e uma noites que é considerado um dos mais fantasiosos e divertidos do cinema mudo. Com Douglas Fairbanks no papel principal.
Exibição em DVD.

A Grande Jornada (The Big Trail, 1930, 116 minutos)

Nesta arrebatadora aventura dos pioneiros, um jovem e corajoso guia (John Wayne) conduz milhares de colonos por perigosos despenhadeiros, cruéis tempestades de neve, ataques de indígenas e estouros de manadas de búfalos, levando-os a seu destino no oeste distante. Durante a viagem, ele se apaixona por uma linda pioneira (Marguerite Churchill), e nunca desiste de tentar ganhar seu coração. Tyrone Power co-estrela este épico visualmente espetacular. Exibição em DVD.

Heróis Esquecidos (The Roaring Twenties, 1939, 106 minutos)

Eddie Bartlett (James Cagney) é um veterano de guerra desempregado que se torna contrabandista de bebidas, trocando as batalhas por garrafas. Enquanto cresce seu império, Eddie enfrenta ameaças externas e internas, constantes batalhas territoriais, confrontos de gangues e traições. Exibição em DVD.


Seu Último Refúgio (High Sierra, 1941, 100 minutos)

Earle Roy "Mad Dog" é salvo da prisão por um velho que quer sua ajuda em um assalto já programado. Quando o golpe dá errado e um homem é baleado, Earle é forçado a se esconder pelos picos da Sierra Nevada. Exibição em DVD.

O Intrépido General Custer (They Died with Their Boots on, 1941, 140 minutos)

À Sétima Cavalaria o General Armstrong Custer disse, "cavalguem para o inferno ou para a glória. Isto depende do ponto de vista." O ponto de vista de Raoul Walsh está no espetacular O Intrépido General Custer, decididamente para a glória. Errol Flynn interpreta o famoso general nesta crônica sobre sua vida, desde os seus dias em West Point até a Guerra Civil e sua reputação como herói da fronteira, imortalizado pela Batalha de Little Big Horn. Exibição em DVD.

O Ídolo do Público (Gentleman Jim, 1942, 105 minutos)

Cinebiografia romanceada do campeão dos pesos pesados James J. Corbett, um dos raros bons filmes de boxe que defende o esporte e empolgam em vez de mostrar sua violência e as falcatruas que envolvem sua prática. Na São Francisco do final do século XIX, quando as lutas de boxe eram tão populares quanto ilegais, o ambicioso bancário James Corbett (Errol Flynn) dá um jeito de se projetar como pugilista e de ingressar no aristodrático Olympic Club. Alternando vitórias e aventuras boêmias, ele faz a corte à graciosa milionária Victoria Ware (Alexis Smith) e se prepara para enfrentar o campeão mundial John L. Sullivan (Ward Bond). Exibição em DVD.

Um Punhado de Bravos (Objective, Burma!, 1945, 142 minutos)

Durante a 2ª Guerra Mundial uma tropa de pára-quedistas invade a Birmânia (atual Myanma) ocupada pelos japoneses, para destruir um importante posto de radar. A missão tem pleno êxito, mas quando tentam retornar a um ponto para serem resgatados se deparam com japoneses esperando por eles. Assim eles precisam fazer uma perigosa caminhada, através da selva ocupada pelo inimigo. Exibição em DVD.

Sua Única Saída (Pursued, 1947, 100 minutos)

Jeb Rand (Robert Mitchum) é criado pela Sra. Callum, que oculta seu passado, ainda que pesadelos antigos atormentem a mente do rapaz. Com o passar dos anos, decidido a casar com sua irmã de criação, Jeb lutará contra os parentes da moça que se colocarem no caminho e consequentemente entenderá melhor o que ocorreu de obscuro em sua vida quando criança. Exibição em DVD.

Fúria Sanguinária (White Heat, 1949, 105 minutos)

Chefão de gangue de criminosos, após um assalto a um trem que acaba na morte de quatro pessoas, resolve se entregar sob a confissão de um assalto a um hotel, para evitar a câmara de gás por causa do golpe com o trem. Dentro da cadeia, a polícia infiltra um homem como seu companheiro de cela para obter mais informações. Exibição em DVD.

Nas Garras da Ambição (The Tall Men, 1955, 122 minutos)

Após a Guerra Civil Americana, Ben Allison (Clark Gable), juntamente com seu irmão, seguem para Montana. No caminho, salvam Nella (Jane Russell) de um ataque de índios e ela segue com eles. Os dois irmãos agora disputarão o coração da bela jovem. Exibição em DVD.

Meu Pecado Foi Nascer (Band of Angels, 1957, 125 minutos)

Amantha (Yvonne de Carlo) é uma aristocrata que perde sua posição social quando descobrem que ela tem ancestrais negros. À venda como escrava, ela é comprada por Hamish Bond (Clark Gable). O início da Guerra Civil mudará o destino de todos. Exibição em DVD.

Um Clarim ao Longe (A Distant Trumpet, 1964, 120 minutos)

Tenente Hazard, recém-saído de West Point, chega na quente Arizona empoeirada. É o último filme de Raoul Walsh. Exibição em DVD com legendas em espanhol.
  

GRADE DE HORÁRIOS
10 a 20 de março de 2015



10 de março (terça)
15:00 – Regeneração
17:00 – Seu Último Refúgio
19:00 – Um Punhado de Bravos

11 de março (quarta)
15:00 – A Grande Jornada
17:00 – Fúria Sanguinária
19:00 – O Ladrão de Bagdá

12 de março (quinta)
15:00 – Meu Pecado Foi Nascer
17:00 – Um Clarim ao Longe
19:00 – O Intrépido General Custer

13 de março (sexta)
15:00 – Heróis Esquecidos
17:00 – Nas Garras da Ambição
19:00 – O Ídolo do Público

14 de março (sábado)
15:00 – A Grande Jornada
17:00 – Sua Única Saída
19:00 – Regeneração

15 de março (domingo)
15:00 – Seu Último Refúgio
17:00 – Fúria Sanguinária
19:00 – Heróis Esquecidos

17 de março (terça)
15:00 – O Ídolo do Público
17:00 – Sua Única Saída
19:00 – O Intrépido General Custer

18 de março (quarta)
15:00 – Fúria Sanguinária
17:00 – A Grande Jornada
19:00 – Um Punhado de Bravos

19 de março (quinta)
15:00 – Seu Último Refúgio
17:00 – Um Clarim ao Longe
19:00 – Meu Pecado Foi Nascer

20 de março (sexta)
15:00 – Nas Garras da Ambição
17:00 – O Ladrão de Bagdá
20:00 – Projeto Raros
 

Sala P. F. Gastal
Coordenação de Cinema, Vídeo e Fotografia
Av. Pres. João Goulart, 551 - 3º andar - Usina do Gasômetro
Fone 3289 8133
www.salapfgastal.blogspot.com