Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sendo frequentador dos cursos do CENA UM (tendo já 47 certificados),sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros e musica erudita mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Constantine ou me escrevam para beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

Carregando...

quarta-feira, 1 de julho de 2015

Cine Curiosidade: Abertura de ‘Minions’ é a maior para uma animação no Brasil

LONGA DA UNIVERSAL PICTURES LEVOU 1,45 MILHÃO DE PESSOAS
ÀS SALAS DE CINEMA DO PAÍS DESDE A ÚLTIMA QUINTA
Em seu primeiro final de semana em cartaz, “Minions” (Minions) já bateu recordes de público e de renda para uma animação em abertura no Brasil: aproximadamente 1,45 milhão de pessoas assistiram ao filme da Universal Pictures desde 25 de junho, com uma bilheteria de mais de R$ 22 milhões. 
A comédia animada tem direção de Pierre Coffin (“Meu Malvado Favorito”) & Kyle Balda (“Monstros S.A.”). Produzido pela Universal em parceria com a Illumination Entertainment, o longa conta a história dos minions desde sua aparição na Terra até o ano de 1960, quando Kevin, Stuart e Bob embarcam em uma aventura para buscar um novo mestre malvado após várias tentativas desastradas. O roteiro leva a assinatura de Brian Lynch (“O Gato de Botas”), e a produção executiva é de Chris Renaud.

terça-feira, 30 de junho de 2015

Cine Dica: "O Crítico" estreia no CineBancários

O CineBancários traz para Porto Alegre, com exclusividade, o filme inédito “O Crítico”, do diretor argentino Hernán Guerschuny, no dia 2 de julho nas três sessões diárias: 15h, 17h e 19h. O Longa foi exibido na 37a Mostra Internacional de Cinema, no 9º Festival de Cinema Latino-Americano e no 42o Festival de Cinema de Gramado, onde ganhou o prêmio da crítica.

SINOPSE:“O Crítico” é uma grande comédia romântica (até para quem odeia comédias românticas). Dirigido por Hernán Guerschuny, o filme com a história de Téllez, um severo e renomado crítico de cinema, que odeia comédias românticas e tem a convicção de que o melhor cinema foi o feito no passado. Talvez por seu ofício, sofre do que denomina "la Maladie du Cinéma": vê o mundo como um grande filme que não pode deixar de criticar incessantemente. Ao procurar um novo apartamento, conhece inesperadamente Sofía, uma bela mulher mas que pouco tem a ver com seu estilo. Ele a definiria como "elementar, puro clichê". Porém, o acaso os leva a viver situações dignas de uma comédia romântica. Téllez tenta escapar mas se dá conta que nada pode fazer quanto à vingança do gênero que tanto odeia.

CRÍTICA: 
 "Um novo ar para o cinema argentino”
Radio Mitre

Humor inteligente que foge de clichês”
El Clarín

Acolhedor, engraçado e pós-moderno”
Raindance Festival, Londres

Tributo inteligente às comédias românticas”
American Film Institute Festival, Washington

NOTAS DO DIRETOR:
 O crítico Téllez é um homem com uma escala de valor bem rígida, preconceituoso e leva uma vida aparentemente estável. Mas rapidamente nos damos conta de que é um homem em crise. E o interessante é que a crise nos põe em movimento, quase que por instinto de sobrevivência. Assim, ele que passou os últimos anos de vida sentado (seja numa cadeira de cinema, com amigos no café ou no escritório escrevendo) é levado a agir. A desculpa é essa mulher que parece saída de um filme (ruim). Mas na verdade, ela poderia ser produto de sua imaginação, algo criado por seu inconsciente e que o impulsiona a sair dessa estrutura tão engessada que o paraliza.
 FICHA TÉCNICA:
O CRITICO (El Critico)
Argentina – 2013 – 98 minutos
Direção: Hernán Guerschuny
Elenco: Dolores Fonzi e Rafael Spregelburd

Grade de Horários: 
2 de julho (quinta-feira)
15h – O Crítico, de Hernán Guerschuny
17h – O Crítico, de Hernán Guerschuny
19h – O Crítico, de Hernán Guerschuny

3 de julho (sexta-feira)
15h – O Crítico, de Hernán Guerschuny
17h – O Crítico, de Hernán Guerschuny
19h – O Crítico, de Hernán Guerschuny

4 de julho (sábado)
15h – O Crítico, de Hernán Guerschuny
17h – O Crítico, de Hernán Guerschuny
19h – O Crítico, de Hernán Guerschuny

5 de julho (domingo)
15h – O Crítico, de Hernán Guerschuny
17h – O Crítico, de Hernán Guerschuny
19h – O Crítico, de Hernán Guerschuny

7 de julho (terça-feira)
15h – O Crítico, de Hernán Guerschuny
17h – O Crítico, de Hernán Guerschuny
19h – O Crítico, de Hernán Guerschuny

8 de julho (quarta-feira)
15h – O Crítico, de Hernán Guerschuny
17h – O Crítico, de Hernán Guerschuny
19h – O Crítico, de Hernán Guerschuny

segunda-feira, 29 de junho de 2015

Cine Especial: Vilões do Cinema: Os NOSSOS Malvados Favoritos: Extra




Neste último final de semana eu participei do curso Vilões do Cinema: Os nossos malvados favoritos, criado pelo Cine Um e ministrada pela  Mestra e Doutoranda em Comunicação Social Janaina Gamba. Durante esses dois dias de atividade, a aula não era somente para falar sobre os principais vilões do cinema, como também foi um estudo aprofundado sobre até mesmo o significado da palavra “vilão” que, na realidade, vem da idade Média, quando uma pessoa que não pertencia à nobreza feudal, que habitava urbanamente em vilas. Sinceramente, eu não sabia disso e somente fui saber graças essa atividade.
Claro que, como o assunto foi para inúmeros lados, a atividade ia para um bate papo descontraído, para se transformar num verdadeiro cine clube, aonde todos falavam do vilão mais lembrado, dos esquecidos que não foram citados (como vilões de filmes recentes como O Abutre) e colocando para fora quais eram os seus cinco vilões favoritos da sua vida.
Abaixo, solto alguns momentos da atividade e um vídeo destacando os grandes vilões do cinema que foi exibido no segundo dia do curso. 
 Eu pronto para encarar os vilões na minha frente

 Janaína mostrando ser uma verdadeira entendedora sobre vilanias


 Alguém duvidava que ele seria um dos principais protagonistas da atividade?
Vilão ou anti-herói: Alex de Laranja Mecânica foi o foco desse assunto.   

Os dos lados da mesma moeda: Dupla personalidade ou personagens divididos entre o bem e o mau.  
Marlon Brando provando que os vilões da vida real são mais assustadores da ficção.  
 O grande interprete de vilanias não poderia faltar nessa atividade.  

OS 101 VILÕES MAIS MARCANTES DO CINEMA.

Leia mais sobre os vilões do cinema clicando aqui.
 
 Me sigam no Facebook, twitter e Google+

sexta-feira, 26 de junho de 2015

Cine Especial: VILÕES DO CINEMA: NOSSOS MALVADOS FAVORITOS: FINAL



Nos dias 27 e 28 de Junho, eu estarei na Cinemateca Capitólio de Porto Alegre, participando do curso Vilões do Cinema: Nossos Malvados Favoritos, criado pelo Cine Um e ministrado pela  Mestra e Doutoranda em Comunicação Social Janaina Gamba. Enquanto os dias da atividade não chegam, por aqui eu estarei relembrando os maiores vilões do cinema que nós adoramos odiar.

CORINGA

Se você for um gângster, pense duas vezes antes de contratar um palhaço maníaco, pois ele pode muito bem queimar todo o seu dinheiro. Já escrevi tudo que tinha que escrever sobre o Coringa de  Heath Ledger apresentado em Cavaleiro das Trevas, mas nunca é demais falar um pouco mais. Ledger nos brindou não somente com a versão definitiva sobre o personagem, como também o lado mais obscuro do ser humano, do qual todos nós temos, mas enfrentamos para não desperta-lo.
Jared Leto terá uma missão ingrata pela frente.

JACK TORRANCE

Se você for dono de um grande hotel, analise bem quem você irá contratar para cuidar dele, pois nunca se sabe o que o isolamento pode causar na mente da pessoa. Em O Iluminado, Jack Torrance (Jack Nicholson) leva muito á sério em cuidar de um hotel isolado, ao ponto de não se importar em fatiar em pedaços sua mulher e filho caso eles intervenham. A situação piora quando Jack é persuadido por fantasmas que vivem no estabelecimento e o resultado é apocalíptico.     

Anton Chigurh
Nunca aposte o cara e coroa com um desconhecido vindo da estrada, pois nunca se sabe o que você realmente apostou. Em Onde Os Fracos Não Tem Vez, os irmãos Coen apresentam Anton Chigurh, um assassino profissional, cuja missão é resgatar um dinheiro perdido. Porém, nesse faroeste contemporâneo, tanto Anton Chigurh como os personagens que ele cruza durante o seu trajeto parecem meio perdidos, ou cansados da vida que estão levando. 
Chigurh, aliás, faz o que faz porque é um profissional, mas não esconde o fato que, talvez, desejasse estar em outro lugar no mundo. Muito embora eu duvide muito que ele iria deixar certas manias como usar a sua moeda no cara ou coroa ou uma bomba para encher pneu de um jeito inusitado para matar.     
 
Hans Landa
Se você for Hitler em pessoa, analise bem antes de contratar um assassino de Judeus, pois nunca se sabe no caso dele virar um vira casaca. No seu primeiro filme de Guerra, Quentin Tarantino reescreve o final da Segunda Guerra Mundial e faz os Judeus se vingarem com gosto contra os Nazistas intolerantes dentro de um cinema. Porém, Hans Landa (Christoph Waltz) pode ser de tudo um pouco, menos idiota. Quando vê que as coisas irão esquentar para o lado de Hitler, eis que ele toma uma decisão inusitada e colaborando para a queda do líder Nazista.   
 
Silas Malafaia

Para finalizar, se você for eleitor esperto, pense um milhão de vezes antes de votar em alguém como Silas Malafaia em eleições futuras, pois nunca se sabe o quanto a gente pode retroceder e voltar para idade das trevas. Que os vilões temíveis fiquem somente na tela do cinema.
 
Leia também: Parte 1,2,3 e 4.
 
Me sigam no Facebook, twitter e Google+